CONTEÚDO IMPOSTOR FALSA

Condutores de veículos terão que pagar R$ 2 para passar pela Ponte Metálica entre Teresina e Timon? COAMOS documento citado

A imagem de um suposto ofício assinado pelo prefeito Firmino Filho e encaminhado à Procuradoria Geral do Município chegou como uma enxurrada por aplicativos de mensagens e redes sociais. A COAR conferiu e destaca que as únicas publicações referentes ao assunto são datadas do dia 11 de novembro deste ano, em sites piauienses de notícias, desmentindo as informações. As reportagens trazem a argumentação da Procuradoria Geral do Município e, em algumas delas, a imagem do suposto documento disseminado pelas redes sociais. No entanto, além da divergência da data, o outro ponto destacado pela COAR é que o artigo citado da Lei 4.995 de 7 de abril de 2017 no documento falso não confere com a Lei de fato.

Os ofícios são documentos de circulação interna, sem acesso público. A COAR solicitou o ofício de nº 037 enviado pelo gabinete do prefeito Firmino à PGM. O documento é datado de 14 de fevereiro de 2020 e não de 22 de junho de 2020 como consta na imagem divulgada pelas redes sociais e aplicativos de mensagens.

O artigo de lei citado não confere com o documento falso, o que demonstra sua falsidade

O assunto e o remetente do ofício também não conferem. O documento é direcionado ao então presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Piauí, desembargador Francisco Antônio Paes Landim Filho, informando-o sobre a autorização da renovação da requisição de um servidor público do TRE-PI (o qual não divulgaremos o nome por não ter qualquer relação com o conteúdo questionado) e não ao Procurador Geral do Município, Raimundo Eugênio Barbosa dos Santos Rocha, consultando-o  sobre a viabilidade de um Projeto de Lei que estipule pedágio na passagem entre os municípios de Teresina e Timon pela ponte João Luís Ferreira, mais conhecida como Ponte Metálica.

A COAR ocultou o nome do servidor a pedido do mesmo. Foto: Ofício original nº 037/2020

Além disso, outro ponto que a COAR destaca é que geralmente documentos copiados ou fotocópias com assinaturas forjadas são utilizados erroneamente para manipular a opinião das pessoas.

Documento é falso

À COAR, o procurador Raimundo Eugênio Barbosa dos Santos Rocha disse que o documento é uma fraude e informou que iria oferecer denúncia nessa quarta-feira (11) à Delegacia de Crimes de Informática para apurar de onde partiu a falsa informação.

Escrito por: Gorete Santos

Edição: Marta Alencar

Referências da COAR:

Site da Prefeitura de Teresina

Cidadeverde.com

Parlamentopiaui.com.br

Politicadinamica.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: