Lista de líderes mais corruptos do mundo é falsa

A COAR recentemente recebeu uma mensagem que fala sobre uma lista da Transparência Internacional com os líderes mais corruptos do mundo. O levantamento apontou o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) como primeiro colocado.

Foto: Reprodução/WhatsApp.

Confira a mensagem completa:

“Divulgado pela revista Veja Oeste, o ex-Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva entrou para o ranking dos líderes mais corruptos da história da humanidade.

E adivinhe só: Lula é o número 1 da lista.

Uma vitória para o Brasil (ironia).

O Partido dos Trabalhadores (PT) é considerado o partido que mais roubou um país na história. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), a corrupção durante a era Lula e Dilma pode ter sido de aproximadamente 206 bilhões de dólares, ao longo dos 13 anos do PT no poder.

Considerando que Lula é o líder supremo do partido, e esteve nos bastidores controlando tudo enquanto Dilma era Presidente da República entre 2010 e 2015, o petista pode assumir o topo da lista dos líderes mais corruptos do mundo.

“A lista foi realizada pela Organização Não-Governamental de anti-corrupção que é sediada na Alemanha, chamada Transparência Internacional.

Veja abaixo a lista com os 10 líderes mais corruptos do mundo, que inclui Lula na primeira posição:

Ex-presidente do Brasil, Lula ($ 206 bilhões – entre 2003 e 2015)

Ex-presidente da Indonésia, Suharto ($ 15 bilhões – $ 35 bilhões entre 1967 e 1998)

Ex-presidente das Filipinas, Ferdinand Marcos ($ 5 bilhões – $ 10 bilhões entre 1972 e 1986)

Ex-presidente do Zaire, Mobutu Sese Seko ($ 5 bilhões entre 1965 e 1997)

Ex-chefe de Estado da Nigéria, Sani Abacha ($ 2 bilhões – $ 5 bilhões entre 1993 e 1998)

Ex-presidente da Iugoslávia e da Sérvia, Slobodan Milošević ($ 1 bilhão entre 1989 e 2000)

Ex-presidente do Haiti, Jean-Claude Duvalier ($ 300 milhões – $ 800 milhões entre 1971 e 1986)

Ex-presidente do Peru, Alberto Fujimori ($ 600 milhões entre 1990 e 2000)

Ex-primeiro-ministro da Ucrânia, Pavlo Lazarenko ($ 114 milhões – $ 200 milhões entre 1996 e 1997)

Ex-presidente da Nicarágua, Arnoldo Alemán ($ 100 milhões entre 1997 e 2002)

Ex-presidente das Filipinas, Joseph Estrada ($ 78 milhões – $ 80 milhões entre 1998 e 2001)

“PT NUNCA MAIS”

A informação checada pela COAR é falsa. Diversas agências de checagens no Brasil já haviam realizado checagens da mesma lista, que circula pela internet desde 2004. Desta vez com algumas mudanças, mas com os mesmos dados, é possível ver que o link da informação está direcionado para o site de notícias No Momento, que teve a notícia apagada.

Notícia de lista falsa é apagada de site. Foto: Reprodução.

Outra ponto importante diz respeito à “revista Veja Oeste”; analisamos que o nome do veículo de comunicação é falso. Não existe o meio de comunicação citado, mas o portal Veja Oeste, que publicou a lista dos líderes no ano passado, mas ela foi tirada do ar. A COAR conseguiu acessar a notícia por meio de uma ferramenta de busca. O uso da palavra revista pode gerar uma confusão no leitor, pois se associa aos nomes das tradicionais revistas Veja, da editora Abril, e Oeste. Nenhuma delas postou algo relacionado à lista em questão.

Já a lista dos líderes mais corruptos também é falsa. Não encontramos nenhuma lista ou ranking a respeito no site oficial da Transparência Internacional. Por outro lado, a Transparência Internacional, que é uma organização mundial de combate a corrupção no mundo, divulga anualmente o Índice de Percepção da Corrupção (IPC), que é o principal indicador de corrupção do mundo.

Ele avalia 180 países e territórios e os atribui notas em uma escala entre 0 (quando o país é percebido como altamente corrupto) e 100 (quando o país é percebido como muito íntegro). Em nenhuma das suas edições foi destacada a lista citada na mensagem. A sua última edição é a de 2020, clique aqui para conferir.

Também não encontramos nada referente ao valor de U$ 206 bilhões de dólares com base no Ministério Público Federal (MPF), como aponta a mensagem, ou seja, é falso.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Kryssyno Oliveira

Referências da COAR

Transparency International

Transparência Internacional Brasil

Ministério Público Federal (MPF)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s