Vacina da dengue existe sim, mas somente no mercado privado

Após boatos de que existe a vacina da dengue na rede pública, a COAR informa que não é verdade tais conteúdos. No entanto, existe sim uma vacina contra a dengue disponível somente na rede privada e com restrições de uso.

Em dezembro de 2015, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o uso da vacina denominada de Dengvaxia, produzida pelo laboratório francês Sanofi Pasteur. Segundo a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), a Dengvaxia está licenciada no Brasil apenas em certos casos e para pessoas entre 9 e 45 anos que já tiveram dengue – ou seja, ela não deve ser tomada por quem nunca teve a doença.

O imunizante é vendido na rede privada na maior parte do país e não está disponível no Programa Nacional de Imunizações, o PNI. A razão pela falta de inclusão do imunizante no calendário de vacinação em massa, deve-se a necessidade de testagem sorológica prévia à vacinação, além do imunizante não ser igualmente eficiente para os quatro subtipos de vírus da dengue, sendo utilizada em casos específicos sob avaliação médica.  

Mas é importante destacar que no início deste ano, a Sanofi Pasteur fez um comunicado, apresentando que não há estudos clínicos sendo conduzidos pela empresa para avaliar o uso da vacina em indivíduos sem infecção prévia por dengue.

Vacina em testes

Há quase 10 anos, o Instituto Butantan vem desenvolvendo uma vacina contra a dengue em parceria com o Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos Estados Unidos.

A vacina em estudo, será tipo tetravalente, também conhecida como vacina tetravalente viral, tetraviral ou SCRV. É uma vacina que protege o organismo contra doenças causadas por vírus e deverá proteger pessoas com e sem contato prévio com o vírus, assim não necessitando a testagem prévia. A expectativa é que uma dose seja suficiente, já que, segundo os estudos, a dose adicional não induziu diferenças significativas. 

A COAR entrou em contato com o Butantan, que informou que após o término do estudo da fase III, os dados serão analisados por uma comissão independente e posteriormente, o resultado dessa análise será submetido à aprovação da Anvisa.

“Informamos que os ensaios clínicos da fase três da vacina da dengue já estão em andamento. Atualmente, está sendo feito o acompanhamento dos últimos voluntários incluídos nos testes, o que significa que o processo de desenvolvimento do imunizante está em fase final. A previsão é que a pesquisa seja finalizada até 2024. Em paralelo aos estudos clínicos, o Butantan estuda o escalonamento da vacina, ou seja, como a produção de laboratório será elevada para nível industrial. Uma confirmação já obtida é que será necessário apenas uma dose da vacina devido à tecnologia de vírus atenuado. Ela ainda não tem previsão de distribuição à população, mas os ensaios clínicos estão avançados”, informou o Butantan em nota.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo contato ou nosso email coarnews@gmail.com ou mesmo pelo Instagram (@coarnoticias).

Matéria escrita por: Bianca Viana

Revisão: Marta Alencar e Dauryda Luana

Um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s