Liberdade de expressão nas plataformas digitais, Violência de Gênero e Desertos de Notícias são temas do segundo dia do I Colóquio Nacional sobre o Clima

Assuntos como liberdade de expressão nas plataformas digitais, violência de gênero e desertos de notícias também serão abordados no I Colóquio Nacional sobre o Clima: diálogos para pesquisas acadêmicas e cobertura jornalística, que ocorre nos dias 24 a 26 de agosto de 2022, de forma on-line.

Os temas são de suma importância para o amplo debate e possuem interligação.  Como as plataformas digitais vêm lidando com o caos informacional? E até que ponto é possível ter liberdade de expressão em publicações nas redes sociais? E a violência de gênero, revestida de misoginia, também deixa suas marcas no mundo virtual. Existem vários casos de mulheres indígenas que sofrem violência nas aldeias e nas redes sociais. E há casos de outras mulheres em seus lares que lidam com violências extremas, inclusive jornalistas que lidam com diversos assédios. E em outro extremo, há cidades que não possuem jornalismo local, são os chamados desertos de notícias. Estima-se que quase 14% da população brasileira (o equivalente a mais de 29 milhões de pessoas) vivem em cidades nessas circunstâncias.

A inscrição no evento pode ser feita acessando o formulário de inscrição. ACESSE AQUI!

Confira as mesas que serão promovidas no dia 25 de agosto e que contarão com os seguintes palestrantes:

  • Dia 25 de agosto

Manhã – 8h30 às 12h

Mesa: A Luta contra a desinformação e a garantia da liberdade de expressão nas plataformas digitais

Palestrantes:

Ana Regina Rêgo – RNCD

Jornalista pela Universidade Federal do Piauí (1996). Mestrado em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1998). Doutora em Processos Comunicacionais pela UMESP (2010), com estágio de doutorado na Universidad Autónoma de Barcelona -UAB (2009). Pós-Doutorado em Comunicação e Cultura pela ECO-UFRJ(2020). Coordena o NUJOC-Núcleo de Pesquisa em Jornalismo e Comunicação e o Projeto Memória do Jornalismo Piauiense. Criou e Coordena atualmente a Rede Nacional de Combate à Desinformação RNCd Brasil. Participa da Rede de Grupos de Pesquisa em Historicidade dos Processos Comunicacionais e da Rede Latino-americana de História da Comunicação. Ex-presidenta da Associação Brasileira de Pesquisadores de História da Mídia-ALCAR e da Federação Brasileira das Associações Científicas e Acadêmicas da Comunicação-SOCICOM.

Ronaldo Henn – LIC da Unisinos

Professor/pesquisador no PPG em Ciências da Comunicação da Unisinos/RS, com doutorado e mestrado em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1994 e 2000), e estágio de pós-doutorado na Universidade Nova de Lisboa (2015/2016). Pesquisa produção e proliferação de acontecimentos nas redes e plataformas digitais, com foco em processos de desinformação. É pesquisador PQ/CNPq Nível 2. Integra os projetos RISE SMA Social Media Analytics for Society and Crisis Communication (consórcio de pesquisa financiado pela União Europeia) e o Probal DAAD/Capes Misleading imagery. The influence of visualizations on fake news dissemination on social media. Participa do GT Estudos do Jornalismo da Compós (foi coordenador e vice entre 2009 e 2012) e do GP Semiótica da Comunicação da Intercom.

Rafael Grohmann – Universidade de Toronto

Professor de Estudos Críticos de Plataformas e Dados da Universidade de Toronto. Coordenador do Laboratório DigiLabour. Coordenador do Fairwork Brasil. Diretor Científico da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação (COMPÓS). Diretor da Labor Tech Research Network. Membro do Conselho Científico do Center for Critical Internet Inquiry (C2i2), Universidade da California, Los Angeles (UCLA). Membro do Corpo Editorial das revistas Big Data & Society e Work, Employment and Society. Doutor e Mestre em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo (USP). Realizou estágio de pós-doutoramento na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Tarde – 14h às 16h

Mesa: Desigualdade de Gênero e Violência contra a Mulher

Palestrantes:

Maria Clara Aquino – LIC da Unisinos

Doutora e mestre em Comunicação e Informação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, com Pós-Doutorado em Ciências da Comunicação pela Unisinos. Atualmente é pesquisadora e docente do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da Universidade do Vale do Rio dos Sinos. Coordenadora do grupo de pesquisa Laboratório de Investigação do Ciberacontecimento (LIC). Pesquisadora do CNPq nível 2. É docente e pesquisadora no PPG de Ciências da Comunicação e docente na graduação nos cursos de Comunicação Digital, Jornalismo, Publicidade e Propaganda e Relações Públicas da Universidade do Vale do Rio dos Sinos. Atua como parecerista de periódicos nacionais e internacionais. Além dos projetos de pesquisa que coordena, tem envolvimento com projetos nacionais e internacionais, na Unisinos e em parceria com universidades na Espanha e Inglaterra.

Ariene Susui – Ativista indígena e mestranda em Comunicação (PPGCOM-UFRR)

Ativista indígena do povo Wapichana, da comunidade indígena Truaru da cabeceira, Terra Indígena Truaru, Estado de Roraima. Atua desde os 14 anos no movimento indígena pela participação dos jovens e das mulheres nas discussões políticas, ambientais e educação. Possui graduação em Comunicação Social: Hab. Jornalismo pela Universidade Federal de Roraima. Mestranda em Comunicação, Territorialidades e Saberes Amazônicos no Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Roraima (PPGCOM-UFRR). Desenvolve pesquisa sobre comunicadores indígenas, comunicação comunitária e alternativas. Foi assessora de comunicação do Conselho indígena de Roraima, contribuiu na comunicação da Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab) e atualmente atua como jornalista independente na Amazônia.

Tarde – 16h30 às 17h50

Mesa: Desertos de notícias: mapeando fontes de informações no Brasil

Palestrantes:

Francisco Belda – Projor

Professor do Departamento de Comunicação Social da Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação (Faac) da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp), no campus de Bauru, São Paulo. É colíder de The Trust Project no Brasil e cumpre atualmente seu segundo mandato como presidente do Projor – Instituto para o Desenvolvimento do Jornalismo (2019-2021, 2021-2023), entidade que mantém o Observatório da Imprensa. Professor e ex-coordenador do Curso de Jornalismo e docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Mídia e Tecnologia (PPGMiT) da Unesp, no qual atuou como vice-coordenador do Curso de Doutorado e membro do conselho do Curso de Mestrado Profissional. É docente colaborador no Programa de Pós-Graduação em Educação Escolar (PPGEE) na Faculdade de Ciências e Letras (FCL) da Unesp, em Araraquara, onde atua na linha de pesquisa de Política e Gestão Educacional.

Sérgio Lüdtke – Comprova/Abraji

Jornalista, editor-chefe do Projeto Comprova (Jornalismo colaborativo contra a Desinformação). Atualmente, também coordena os cursos da Abraji e a equipe de pesquisadores do Atlas da Notícia no Projor. É formado pela PUC-RS com Master em gestão de empresas jornalísticas pelo ISE Business School e MBA em Marketing Digital pela FGV. Foi editor de livros, editor-executivo de Internet e Inovação no Grupo RBS e editor de plataformas digitais na Editora Globo. Dirigiu o Master em Jornalismo Digital (ISE) e o Programa Avançado em Gestão da Comunicação Digital na Aberje.

Marta Alencar – COAR

Doutoranda em Comunicação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS). Mestra em Comunicação pela Universidade Federal do Piauí (UFPI). Especialista em Gestão de Marketing Digital. Jornalista. Fundadora da COAR (Startup Jornalística e Educativa de Debunking e de Fact-Checking no Nordeste), do Podcast E-COAR e do Projeto Educacional de Cursos Livres, COAR EDUCA. É membra do Laboratório de Investigação do Ciberacontecimento (LIC) da Unisinos.

O evento é realizado pela COAR com o apoio do Capítulo Brasil da União Latina de Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura (Ulepicc–Brasil) e do Laboratório de Investigação do Ciberacontecimento (LIC) da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos).

Para maiores informações, entre em contato pelo e-mail: coarnews@gmail.com.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s