“O Golpe tá aí”. Perfis fakes de empresas e marcas disparam no Piauí

Por Marta Alencar

Edição: Kryssyno Oliveira (Áudio)

Participação e apoio: Wanderson Camêlo (Áudio)

Fazer compras online é uma prática de milhões de brasileiros, principalmente na Black Friday, que é o evento mais aguardado do ano. Apesar das promoções vantajosas e descontos atrativos, Teresina lidera em todo o estado, com o volume de denúncias e reclamações de empresas que não cumprem prazos de entrega ou maquiam preços conforme informações do Programa Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon/MPPI), órgão do Ministério Público do Estado do Piauí.

A Black Friday no Brasil foi atípica em 2021, segundo Felipe Paniago, diretor de marketing do Reclame Aqui, maior plataforma de solução de conflitos entre consumidores e empresas da América Latina.

“Os problemas mais comuns nessa época são: propaganda enganosa, a famosa metade do preço. Na Black Friday de 2021, tivemos um problema atípico na data, que foi o atraso na entrega, como o principal problema no período de quarta-feira até o sábado.”

É justamente nesse período que o Procon alerta sobre o aumento de anúncios falsos, que levam os internautas às páginas piratas, muitas vezes, imitando as de grandes empresas ou marcas. Nessas páginas fakes, o cliente paga e imagina ter garantido o produto. A verdade é que fica sem o dinheiro e sem o presente desejado. 

O contador Adailson Pereira, que foi alvo de um perfil fake no Instagram, que se passava por um restaurante de Teresina. O testemunho do contador representa o de centenas de piauienses que já foram alvos de golpes nas redes sociais.

“O golpista entrou em contato comigo pelo direct no Instagram, com o nome de um restaurante. E solicitava meus dados pessoais, como nome completo, e disse que eu estava concorrendo a um jantar. E depois me enviou um SMS para o número do meu celular e pediu que eu digitasse o código enviado, foi nesse momento que a minha conta no Instagram foi hackeada e ficou vendendo produtos baratos por meio do meu perfil”, relata o contador.

Ricardo Alves, assessor técnico do Procon e professor da Escola Estadual de Defesa do Consumidor. alerta que o consumidor precisa estar atento e pesquisar bastante a reputação de uma empresa. No site do Ministério Público do Piauí, na seção sobre o Procon, o consumidor pode consultar a reputação dos fornecedores no estado.

“Você tem que se perguntar será que não é bom demais para ser verdade? Então o que a gente observa, que é o consumidor estar desatento ou muitas vezes, vulnerável, em uma data especial. O consumidor deve sempre desconfiar de ofertas demasiadamente boas. Saber que no ambiente virtual, é preciso tomar um cuidado redobrado”.

Golpes disparam na internet

De acordo com o indicador de tentativas de fraude da Serasa Experian. Esse número mostra um aumento de 16,8% em relação ao acumulado de 2020, quando o índice registrou 3,5 milhões de ataques. Os dados do ano passado ganham destaque por serem os mais expressivos de toda a série histórica, iniciada em 2011. Além disso, o segmento de bancos e cartões foi o principal foco dos golpistas, marcando 2,3 milhões de tentativas de fraude. 

Infelizmente, cair em golpes de lojas virtuais ou perfis falsos nas redes sociais é cada vez mais comum. O presidente da Comissão de Defesa dos Direitos do Consumidor da Ordem dos Advogados no Piauí, Michel Saldanha, orienta que o consumidor procure o Procon e seja cauteloso com relação às compras por meio de perfis ou páginas em redes sociais.

Promoções fáceis demais e sorteios muito vantajosos podem sinalizar golpes na internet segundo Evelyn Melo Silva, mestranda em direito público pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) e especialista em Direito Digital. 

“Os golpes na internet conquistam consumidores que acreditam em ofertas muito fáceis ou bastante vantajosas. É bom a gente lembrar que não existe almoço grátis ou uma vantagem exorbitante para aqueles que nem se inscreveram em determinadas promoções. Essas vantagens muito fora do padrão, na maioria vezes, pode representar um golpe, o consumidor precisa estar bastante atento. E as pessoas que usam as redes sociais devem verificar se o perfil da empresa é realmente aquele que entrou em contato, se é o telefone informado ou o endereço é aquele mesmo. Principalmente se um perfil entrou em contato dizendo que você ganhou uma promoção, que você nem se inscreveu. Isso provavelmente é golpe”, explica.

Caro leitor da COAR, muito cuidado com golpes nas redes sociais, como falsos sorteios, promoções vantajosas e descontos muito abaixo do mercado. O Procon, órgão do Ministério Público do Estado do Piauí, vem promovendo várias ações para educar o consumidor a fazer uma compra mais segura. Acompanhe maiores informações no site do MPPI,  www.mppi.mp.br.

Empresas e marcam também são vítimas de golpes e falsas promoções

Não são apenas consumidores que são enganados com perfis fakes. Empresas também são prejudicadas e, como consequência, perdem negócios, como restaurantes, hotéis, clínicas, faculdades e outras centenas de empresas no piauí são alvos desses perfis fraudulentos nas redes sociais. Nesse período de fim de ano, um dos lugares que os piauienses mais gostam de viajar para comemorar o natal ou ano novo é Luís Correia. Na cidade, há vários registros e denúncias de empresas, principalmente do segmento hoteleiro, que são vítimas de criminosos virtuais. Uma delas é o Aimberê Eco Resort, que foi alvo por diversas vezes de perfis falsos, onde clientes preencheram formulários, acreditando estarem participando de uma promoção legítima do hotel, o que não era verdade, eram fakes.

Yuri Machado, gerente de marketing do Resort, relata que por mais que adotem diversas medidas para conter essas páginas fakes, eles lidam frequentemente com o surgimento de outras contas fraudulentas. Machado cita que na página oficial do resort, diversas publicações incentivam os clientes a denunciarem essas contas fakes.

Não esqueça que:

– Para o Procon Piauí, a opção mais segura é o acesso direto ao site da empresa.

– Você, deve optar, sempre que possível, por lojas online conhecidas e com credibilidade. 

– Desconfia do perfil de uma loja nas redes sociais ou em um site e acredita que possivelmente seja falso e criado por golpistas? Leve o caso ao Ministério Público do Estado do Piauí, por meio do Programa Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon). No Piauí, o primeiro contato com o órgão é por meio do telefone (86) 98195-5177 e o email procon.alepi@mppi.mp.br.

Agradecemos aos especialistas por contribuírem nesse papel educativo de orientar consumidores e empresas no Piauí.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo WhatsApp, Telegram ou pelo nosso e-mail coarnews@gmail.com ou mesmo pelo Instagram (@coarnoticias).

Um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s