COAMOS: Rodrigo Pacheco (DEM -MG) acatou projeto de voto impresso?

O voto impresso é defendido pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), e alguns aliados, e questionado por outros políticos, como o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), entre eles, o presidente do órgão, Luís Roberto Barroso.

Algumas das informações a respeito do tema podem ser imprecisas ou falsas. Uma delas, COADA por nossa equipe, afirma que o presidente do Senado acatou o projeto de voto impresso e que uma consulta pública teria sido aberta no site da Casa.

A nossa equipe analisou o conteúdo recebido para verificar a veracidade das informações apresentadas na mensagem  e constatamos que ela é falsa. Pacheco não acatou o projeto de voto impresso, como destaca a mensagem. O presidente não possui poder para decidir isso sozinho. Além disso, há diversas versões da mesma mensagem encontradas na internet e algumas com alterações no texto.

O canal de checagem de fatos do Senado, Senado Verifica, também já desmentiu o conteúdo e apontou algumas informações como imprecisas, como a enquete trazida pela mensagem. Na verdade, ela é uma ideia legislativa apresentada em 2018 que pede “voto impresso em 100% das urnas” para ser analisada pelos senadores, e que foi transformada em sugestão após 20 mil apoios.

Ainda com relação a enquete, de acordo com o Senado, ela deve antes ser votada na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH). Se for aprovada pelos senadores, terá andamento como projeto de lei e seguirá os procedimentos previstos no processo legislativo. Após votação no Senado ainda terá que ser analisada pela Câmara dos Deputados e, se aprovada, poderá ser encaminhada à sanção presidencial para ser transformada em lei.  

Em algumas versões da mesma mensagem, o texto pede para que as pessoas votem o quanto antes, pois a votação está perto de ser encerrada, o que não é verdade. A enquete permanece em aberto até o final da tramitação. 

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Kryssyno Oliveira

Referências da COAR:

Senado Verifica

CNN Brasil

Correio Braziliense

COAMOS: José Dirceu faz chantagem com ministro do STF, Luís Roberto Barroso?

Em meio há diversas mensagens em notícias no período atual, é preciso cuidado com o que se recebe e lê. Recebemos no WhatsApp uma mensagem com tom alarmista e erros de português dando uma notícia sobre a reunião do presidente Jair Bolsonaro com o diretor da CIA, e que José Dirceu estaria articulando no exterior “R$ 5 milhões” para deputados e senadores votarem contra a medida que estabelece o voto impresso ou auditável, já para as eleições de 2022.

Como já destacamos logo no início dessa checagem, a mensagem apresenta tom alarmista e erros de português, isso são sinais de que pode ser um texto desinformativo. Além disso, não foram divulgadas informações sobre o que foi tratado durante a reunião entre o presidente e o diretor da CIA, William Joseph Burns, que ocorreu no dia 1 de julho. No mais, informações indicam que a maioria dos políticos são contra a medida, o que não faz sentido pagar para que os mesmos votem contra.

Casos envolvendo Barroso e Moraes

A mensagem ainda destaca outras informações que não são comprovadamente verdadeiras, como a da chantagem de Dirceu a Barroso. O boato teria começado a se espalhar na internet após um tweet de Bolsonaro, sobre uma chantagem feita a um juiz estava fazendo com que a autoridade levantasse processos contra o presidente e os seus filhos. O presidente não deu nomes, de quem é o juiz e quem é a pessoa por trás da chantagem, apenas se dirigiu ao chantagista usando o nome fictício de “Daniel”. 

Os nomes de Barroso e Dirceu sequer aparecem na postagem, mas só isso foi o suficiente para os bolsonaristas começarem a supor que seriam o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e o ex-ministro. Tudo isso ligando a fatos passados já desmentidos por agências de fact-checking e sites de notícias. 

O boato nasceu de um texto atribuído a “João Macedo Costa – Jornalista Político”, que não existe. Barroso teria um “apartamento de luxo” em Miami, custeado pelo médium João de Deus, onde viveria “sua vida miserável de bissexual”. Barroso teria se encontrado com adolescentes “agenciados” por João de Deus e que José Dirceu, sabendo disso, teria gravado alguns encontros e chantageado o ministro. Falso.

Outro nome que a mensagem também apresenta é o de Alexandre de Moraes, o caso apresentado também é falso. O boato vem de uma foto manipulada que mostra presidiários da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) com uma faixa em apoio à indicação de Alexandre de Moraes ao Supremo Tribunal Federal. Na faixa da fotografia original, do fotógrafo Alex Silva (Estadão Conteúdo), que supostamente estava escrito o nome de Moraes, aparece a frase: “Contra a opressão”.  Ou seja, também é falso.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Kryssyno Oliveira

Referências da COAR:

Carta Capital

Fórum

O Hoje

G1

VALE GÁS: Governo Federal está liberando auxílio no valor de R$ 110 por mês? A entrega do Vale Gás em São Luís inicia quarta-feira (26)

Mais uma vez um boato sobre Vale Gás. A COAR informa que existiu sim o Vale Gás, tanto no Maranhão como no Ceará, para auxiliar famílias em situação de vulnerabilidade diante da pandemia. Mas não existe Vale Gás como programa do Governo Federal. A COAR novamente alerta que as informações contidas na mensagem abaixo são falsas e o link informado também.

Esse conteúdo divulgado nas redes sociais é falso

Golpistas criaram falsos cadastros com links enganosos para o suposto programa – que não existe – do Governo Federal, onde informam que haveria direito ao benefício no valor de R$ 110 para pessoas de baixa renda, aposentados e beneficiários do auxílio emergencial e bolsa família. No entanto, o conteúdo sobre o suposto programa não procede. Durante o ano de 2020 e início de 2021, a COAR verificou diversos conteúdos de programas semelhantes, inclusive eles recebiam o mesmo nome de Vale Gás. Assim como os outros, este conteúdo também é FALSO e ENGANOSO

Vale Gás no Ceará

No Ceará, o nome do Programa se chama Vale Gás Social, que é um benefício concedido pelo Governo Estadual por meio da Secretaria da Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos, para diminuir os impactos da pandemia da Covid-19 entre as famílias em vulnerabilidade social. Na Capital, a Prefeitura de Fortaleza realiza a entrega nos Centros de Referência da Assistência Social (CRAS), com data e horário previamente agendados.

Com o vale-gás em mãos, o beneficiário pode ir à revenda da Nacional Gás mais próxima ou ligar para o canal de atendimento da empresa: 0800.7021200 e 0800.7021300. Para receber a recarga, é preciso estar com um botijão vazio e com o vale-gás preenchido. O tíquete deverá ser entregue ao revendedor. Para receber o vale-gás, é necessário apresentar documento oficial com foto e comprovante de endereço. Os vales só serão entregues no dia e local agendados previamente. Portanto, o beneficiário só deve ir ao local no dia e turno confirmados, para evitar aglomerações.

O Governo do Estado começou a distribuir no início de maio, o segundo lote do Vale Gás Social. Os prefeitos dos municípios cearenses receberão os tíquetes na sede da Secretaria da Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos (SPS). Nessa etapa, mais 125.263 famílias devem ser beneficiadas em todo o Ceará.

Vale Gás no Maranhão

No dia 01 de abril deste ano, o Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social (Sedes) anunciou o Programa Social Vale Gás, que visa beneficiar 115 mil famílias inscritas no CadÚnico com renda R$0,00. As famílias beneficiárias receberão um vale que será trocado nas distribuidoras credenciadas pela recarga do botijão de gás. Vale ressaltar que o beneficiário precisa ter o botijão para levar a recarga.

Cada pessoa beneficiada pelo Programa terá direito ao recebimento de até 03 (três) Vale-Gás para cargas equivalentes a um botijão de 13 quilos. Se você está no CadÚnico e não tem nenhuma fonte de renda, está inscrito automaticamente. No entanto, é preciso estar com o cadastro atualizado nos últimos 2 anos. Se não tiver inscrito ou precisa fazer a atualização cadastral, procure o CRAS mais próximo.

01. Como será entregue o vale gás?

– As famílias beneficiárias receberão um vale que será trocado nas distribuidoras credenciadas pela recarga do botijão de gás. Vale ressaltar que o beneficiário precisa ter o botijão para levar a recarga.

02. Por quanto tempo será pago o benefício?

– Cada pessoa beneficiada pelo Programa Vale Gás terá direito ao recebimento de até 03 (três) Vale-Gás para cargas equivalentes a um botijão de 13 quilos.

03. Como se inscrever no programa?

– Se você está no CadÚnico e não tem nenhuma fonte de renda, está inscrito automaticamente. No entanto, é preciso estar com o cadastro atualizado nos últimos 2 anos.

Imagem Reprodução. Site: Governo do Maranhão

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Marta Alencar

Referências da COAR:

Vale Gás do Maranhão

Vale Gás do Ceará

Pesquisa da Defensoria Pública do Rio de Janeiro sobre vacinação em Duque de Caxias é verdadeira?

A COAR recentemente recebeu uma mensagem que fala de uma pesquisa da Defensoria Pública do Rio de Janeiro, que é acompanhada por um documento — PDF — que diz respeito a uma pesquisa levantada pelo órgão para apurar irregularidades diante das aplicações da segunda dose da vacina contra o novo Coronavírus (Covid-19).

Foto: reprodução/WhatsApp

A COAR entrou em contato com a Defensoria Pública do Rio de Janeiro, que confirmou a autenticidade do documento. “Diante de inúmeras notícias de pessoas que não conseguiram receber a 2ª dose da vacina contra a COVID-19 no município de Duque de Caxias, a Defensoria Pública vem buscar informações mais concretas sobre essas pessoas, a fim de que medidas judiciais possam ser tomadas”, disse o órgão em resposta ao nosso e-mail.

No mais, até o fechamento desta checagem, a Defensoria não forneceu mais informações a respeito da pesquisa em si. Também não encontramos nada referente à mesma nos canais de comunicação — site e redes sociais — da Defensoria Pública e em outros veículos de notícias.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Kryssyno Oliveira

Lista de líderes mais corruptos do mundo é falsa

A COAR recentemente recebeu uma mensagem que fala sobre uma lista da Transparência Internacional com os líderes mais corruptos do mundo. O levantamento apontou o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) como primeiro colocado.

Foto: Reprodução/WhatsApp.

Confira a mensagem completa:

“Divulgado pela revista Veja Oeste, o ex-Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva entrou para o ranking dos líderes mais corruptos da história da humanidade.

E adivinhe só: Lula é o número 1 da lista.

Uma vitória para o Brasil (ironia).

O Partido dos Trabalhadores (PT) é considerado o partido que mais roubou um país na história. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), a corrupção durante a era Lula e Dilma pode ter sido de aproximadamente 206 bilhões de dólares, ao longo dos 13 anos do PT no poder.

Considerando que Lula é o líder supremo do partido, e esteve nos bastidores controlando tudo enquanto Dilma era Presidente da República entre 2010 e 2015, o petista pode assumir o topo da lista dos líderes mais corruptos do mundo.

“A lista foi realizada pela Organização Não-Governamental de anti-corrupção que é sediada na Alemanha, chamada Transparência Internacional.

Veja abaixo a lista com os 10 líderes mais corruptos do mundo, que inclui Lula na primeira posição:

Ex-presidente do Brasil, Lula ($ 206 bilhões – entre 2003 e 2015)

Ex-presidente da Indonésia, Suharto ($ 15 bilhões – $ 35 bilhões entre 1967 e 1998)

Ex-presidente das Filipinas, Ferdinand Marcos ($ 5 bilhões – $ 10 bilhões entre 1972 e 1986)

Ex-presidente do Zaire, Mobutu Sese Seko ($ 5 bilhões entre 1965 e 1997)

Ex-chefe de Estado da Nigéria, Sani Abacha ($ 2 bilhões – $ 5 bilhões entre 1993 e 1998)

Ex-presidente da Iugoslávia e da Sérvia, Slobodan Milošević ($ 1 bilhão entre 1989 e 2000)

Ex-presidente do Haiti, Jean-Claude Duvalier ($ 300 milhões – $ 800 milhões entre 1971 e 1986)

Ex-presidente do Peru, Alberto Fujimori ($ 600 milhões entre 1990 e 2000)

Ex-primeiro-ministro da Ucrânia, Pavlo Lazarenko ($ 114 milhões – $ 200 milhões entre 1996 e 1997)

Ex-presidente da Nicarágua, Arnoldo Alemán ($ 100 milhões entre 1997 e 2002)

Ex-presidente das Filipinas, Joseph Estrada ($ 78 milhões – $ 80 milhões entre 1998 e 2001)

“PT NUNCA MAIS”

A informação checada pela COAR é falsa. Diversas agências de checagens no Brasil já haviam realizado checagens da mesma lista, que circula pela internet desde 2004. Desta vez com algumas mudanças, mas com os mesmos dados, é possível ver que o link da informação está direcionado para o site de notícias No Momento, que teve a notícia apagada.

Notícia de lista falsa é apagada de site. Foto: Reprodução.

Outra ponto importante diz respeito à “revista Veja Oeste”; analisamos que o nome do veículo de comunicação é falso. Não existe o meio de comunicação citado, mas o portal Veja Oeste, que publicou a lista dos líderes no ano passado, mas ela foi tirada do ar. A COAR conseguiu acessar a notícia por meio de uma ferramenta de busca. O uso da palavra revista pode gerar uma confusão no leitor, pois se associa aos nomes das tradicionais revistas Veja, da editora Abril, e Oeste. Nenhuma delas postou algo relacionado à lista em questão.

Já a lista dos líderes mais corruptos também é falsa. Não encontramos nenhuma lista ou ranking a respeito no site oficial da Transparência Internacional. Por outro lado, a Transparência Internacional, que é uma organização mundial de combate a corrupção no mundo, divulga anualmente o Índice de Percepção da Corrupção (IPC), que é o principal indicador de corrupção do mundo.

Ele avalia 180 países e territórios e os atribui notas em uma escala entre 0 (quando o país é percebido como altamente corrupto) e 100 (quando o país é percebido como muito íntegro). Em nenhuma das suas edições foi destacada a lista citada na mensagem. A sua última edição é a de 2020, clique aqui para conferir.

Também não encontramos nada referente ao valor de U$ 206 bilhões de dólares com base no Ministério Público Federal (MPF), como aponta a mensagem, ou seja, é falso.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Kryssyno Oliveira

Referências da COAR

Transparency International

Transparência Internacional Brasil

Ministério Público Federal (MPF)

COAMOS: Chapecó é exemplo no combate à Covid-19?

A COAR recebeu o link de uma entrevista onde o prefeito de Chapecó (SC), João Rodrigues (PSD), fala dos trabalhos executados durante o aumento de casos do novo Coronavírus (Covid-19), registrado no final de janeiro a março deste ano. A postagem é direcionada para a página no Facebook do deputado federal Carlos Jordy (PSL).

Entrevista do prefeito de Chapecó (SC), João Rodrigues (PSD), na Jovem Pan News. Reprodução/Facebook.

O vídeo acima é verdadeiro. A entrevista ocorreu no programa “Os Pingos nos Is” da rádio e TV na internet Jovem Pan News.

A cidade de Chapecó virou notícia nacional após ser apresentada como ‘cidade de exemplo a ser seguida’.

Como já foi destacado várias vezes aqui na COAR, o chamado tratamento precoce não tem comprovação científica. No entanto, o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), e outras pessoas continuam afirmando que a ação é eficaz contra a Covid-19.

Segundo João Rodrigues, o tratamento precoce deu certo em Chapecó. Porém, a queda de casos, na verdade, ocorreu por conta dos 14 dias de lockdown, com a ampliação de leitos, testagem rápida e isolamento das pessoas. O tratamento precoce é discutido pelo prefeito desde que assumiu o cargo no começo deste ano, durante a primeira reunião oficial de sua gestão. João Rodrigues, destacou que a medida não era obrigatória, mas tinha que estar disponível e não ficaria ninguém entubado na UTI por falta de tratamento precoce.

Além disso, é importante destacar que os casos da doença em Chapecó não foram zerados e sim reduzidos. A referência de que a cidade zerou os casos é com relação aos dados do Centro Avançado de Atendimento Covid-19 (CAAC), montado no Centro de Eventos de Chapecó, que teve as duas enfermarias e a Unidade de Terapia Semi-Intensiva (UTSI) desativadas após as altas e transferências de pacientes para outras unidades.

A medida de isolamento na cidade já foi suspensa e os leitos temporários foram desativados, porém, seguem montados como prevenção caso haja uma nova onda de infecções.

Amento de casos

No dia primeiro de janeiro deste ano, Chapecó tinha 14.569 casos, 123 óbitos e 69 internações. Durante o período em que a cidade se encaminhava para um novo pico, o poder público começava a flexibilizar as medidas de restrições do funcionamento de alguns setores econômicos. 

Nesse período, em 25 de janeiro, durante uma reunião do comitê do Comitê de Enfrentamento à Covid-19, um médico sugeriu mais capacitação dos profissionais e o uso de tratamento precoce quando as pessoas apresentarem sintomas da Covid-19 para diminuir o impacto da doença e salvar vidas. Na data, a cidade tinha 16.148 casos, 136 óbitos e 54 internações.

A maior quantidade de internações foi no dia 10 de fevereiro, com 105 internações, 145 óbitos e 18.051 casos. Os aumentos, depois desse dia só continuaram, que foi quando o prefeito passou a adotar medidas de restrição.

Do dia em que o lockdown foi anunciado, em 12 de fevereiro, Chapecó tinha 18.510 casos, 147 óbitos e 129 internações. A cidade chegou até o final da medida de restrição, anunciada no dia 04 de março, com 314 internações, 321 óbitos e 27.364 casos.

No dia 05 de março, a cidade registrou 351 internações, 326 óbitos e 27.629 casos. No dia seguinte, as internações seguiram em queda, mas os casos e óbitos continuaram a aumentar. (Clique aqui para conferir todos os boletins epidemiológicos).

Boletim epidemiológico de casos da Covid-19 em Chapecó do dia 10/04. Foto: reprodução/prefeitura de Chapecó

Medicamentos e tratamento precoce

Em nota, a Associação Médica Brasileira (AMB), afirma que o uso de medicamentos como hidroxicloroquina/cloroquina, ivermectina, nitazoxanida, azitromicina e colchicina, entre outras drogas, não possuem eficácia científica no tratamento – tratamento precoce – ou prevenção da Covid-19, seja na fase inicial ou avançada. 

As medidas preventivas de acordo com diversas entidades de saúde são: uso de máscaras, higienização frequente das mãos, distanciamento social e a proteção de olhos e mucosas, como pontua o Conselho Federal de Medicina (CFM).

As duas entidades afirmam ainda que a vacinação em massa de todos os brasileiros é a medida mais eficaz no combate à Covid-19. Até o momento, de acordo com a ferramenta de monitoramento de vacinação do Governo Federal, o Vacinômetro, cerca de 26.483.297 doses foram aplicadas.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Kryssyno Oliveira

Referências da COAR

Os Pingos nos Is

Jovem Pan News

Prefeitura de Chapecó

TV Agência Brasil

G1/SC

Associação Médica Brasileira (AMB)

Conselho Federal de Medicina (CFM)

COAMOS: Hospital é construído em 35 dias em São José dos Campos?

Recentemente a COAR recebeu uma mensagem que parabeniza a cidade de São José dos Campos (SP) pela construção de um hospital em 35 dias. Analisamos o conteúdo recebido para saber a veracidade das informações, confira.

Reprodução/WhatsApp

A mensagem acima é verdadeira, a COAR investigou que a unidade citada é o hospital retaguarda (pronto-socorro) construído pela prefeitura de São José dos Campos (SP) em 35 dias no ano passado. A expectativa era de que a unidade ficasse pronta em 45 dias, mas as obras foram concluídas antes do prazo. 

O hospital, assim como frisa a mensagem, não é de campanha, tanto que a prefeitura municipal de São José dos Campos optou em fazer com que a unidade não fosse destinada para pessoas com Covid-19.

A obra custou cerca de R$ 12,9 milhões, sendo R$ R$ 4,5 milhões da prefeitura da cidade e R$ 8,4 por entidades privadas, sendo 3,1 mil metros quadrados, com 1,5 mil metros de área construída.

Hospital de Campanha do Pacaembu

A mensagem ainda compara os gastos financeiros com o do hospital de campanha do Pacaembu, em São Paulo. Fechado no dia 29 de junho do ano passado, após a queda no número de internações por Covid-19, o hospital encerrou as atividades com um custo de R$ 23 milhões.

Com 200 leitos para atendimento ao novo coronavírus, durante o período de funcionamento, o local recebeu cerca 1.500 pacientes com a Covid-19. Além disso, os equipamentos utilizados no hospital tinham um custo de R$ 7 milhões que foram transferidos para outros hospitais da região.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Kryssyno Oliveira

COAMOS: Baixar aplicativo Kwai oferece retorno financeiro?

Muitos leitores da COAR questionaram: é possível ganhar dinheiro com o aplicativo Kwai? Existem muitas maneiras de ganhar dinheiro pela rede digital, mas é preciso cuidado com a forma como a oportunidade chega.

Foto: reprodução/WhatsApp

A COAR informa que o aplicativo Kwai acima é verdadeiro e fornece oportunidades financeiras. No entanto, é preciso ter cuidado ao receber uma mensagem com link de convite verifique se ele e a rede social são de confiança. Baixamos o aplicativo disponível na Play Store e na App Store e testamos o recurso para saber se é de verdade.

Também no Kwai, procuramos pelo perfil da pessoa do convite compartilhado com a COAR, ela possui uma foto no feed e três seguidores, além disso, ao acessarmos o convite da pessoa referente fizemos um comparativo com um outro criado e também é verdadeiro.

O mesmo recurso usado no Kwai também é usado pelo Tik Tok. Ambas redes sociais são chinesas e de compartilhamento de vídeo. Dessa forma, o dinheiro que as pessoas recebem são uma espécie de bônus, ou seja, uma gratificação pelo usuário ajudar com o crescimento do aplicativo.

Como ganhar dinheiro pelo Kwai

Existem várias maneiras de ganhar dinheiro pelo Kwai, a primeira é a que já citamos aqui. Por meio de um convite, a rede social permite ao usuário compartilhá-lo com amigos em outras redes sociais. 

Ao receber o convite, é preciso seguir as seguintes instruções:

Siga as etapas para se cadastrar e receber até R$20,00. Baixe o Kwai agora!

1. Clique no link, copie o meu código de convite, baixe e instale o Kwai.

2. Vincule meu código de convite para receber dinheiro imediatamente e continue ganhando dinheiro usando-o todos os dias! 

Obs: um link estará acompanhado das instruções!

Golpes

É preciso um cuidado redobrado com comunicados que alertam ou avisam que é fácil ganhar dinheiro baixando aplicativos, porque pode contar com links falsos. A nossa recomendação é não aceitar convite de pessoas desconhecidas. A outra é observar sempre o convite recebido, mesmo que seja de alguém conhecido. E se você recebeu, evite repassar se o link não corresponder ao oficial do aplicativo ou empresa, pois pode ser golpe.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Kryssyno Oliveira

COAMOS: Governo federal divulgou nova lista com datas de vacinação contra a Covid-19?

Uma lista, supostamente divulgada pelo governo federal, com datas relacionadas à nova etapa de vacinação contra a Covid-19 circula nas redes sociais. Nossa reportagem recebeu a informação e checou a veracidade do conteúdo.

De acordo com o texto, a previsão de imunização para a população de 20 a 18 anos, por exemplo, é para o mês de agosto deste ano. O conteúdo continua sendo dissipado em grupos de WhatsApp.

Foto: reprodução/WhatsApp

Analisando a mensagem em termos gramaticais, é possível deduzir que se trata de mais uma chamada “fake news”. Quando o autor (desconhecido) se refere à doença causada pelo novo coronavírus, não há a separação do número “19” com o hífen.

A crase antes uma faixa etária e outra (problema detectado em boa parte do texto) também está aplicada de forma errada. Não se usa o acento indicativo de crase antes de palavras masculinas: no caso, “anos”.

Ademais, em outros pontos a crase é trocada pelo acento agudo.

Nossa reportagem também consultou a Fundação Municipal de Saúde de Teresina (FMS). Além de negar a veracidade da mensagem, a instituição divulgou uma tabela com as reais datas de imunização na capital.

Foto: divulgação/FMS

De acordo com o Ministério, “estados e municípios têm autonomia para montar seu próprio esquema de vacinação e dar vazão à fila de acordo com as características de sua população, demandas específicas de cada região e doses disponibilizadas”. Ou seja, o calendário de imunização não parte exclusivamente do governo federal, como deixa a entender a informação checada.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Wanderson Camêlo

Referências da COAR:

Agência Brasil

Wellington Dias e outros 21 governadores se negaram a diminuir o preço dos combustíveis?

Circula nas redes sociais uma imagem destacando que 22 governadores brasileiros rejeitaram baixar o preço dos combustíveis. Na lista consta em destaque o chefe do executivo piauiense, Wellington Dias (PT).

Frentista abastecendo um caminhão em posto da gasolina no Rio de Janeiro (Foto: reprodução/Exame)

A legenda diz: “conheça os 22 governadores que rejeitaram baixar o preço dos combustíveis”. Logo acima é destacada a palavra “vergonha”. Depois de pesquisa feita pela nossa equipe, foi possível constatar que a imagem, sem as frases destacadas acima ou qualquer outra montagem, consta em uma matéria jornalística publicada, em 06 de fevereiro de 2020, no site Clic Oeste, do interior de Santa Catarina.

Foto: reprodução/internet

Ou seja, o assunto não é recente (portanto, a informação está fora de contexto); ganhou holofotes justamente em fevereiro de 2020 depois de provocação do presidente da República, Jair Bolsonaro. Via Twitter, no dia 02 daquele mês, ele criticou os gestores estaduais devido à não viabilização de uma redução nos preços da gasolina e do diesel nas refinarias da Petrobras.

“Como regra, os governadores não admitem perder receita, mesmo que o preço do litro nas refinarias caia para R$ 0,50 o litro”, escreveu Bolsonaro na publicação. A crítica foi feita após reajuste realizado no preço dos combustíveis ainda no início do ano passado.

É fato que os gestores citados não entraram em acordo visando o reajuste no preço da gasolina, diesel e outros combustíveis, mas a informação contida na imagem analisada não é totalmente precisa. Vamos explicar logo abaixo o porquê.

Vários governadores rebateram o presidente da República por meio de carta conjunta. Comprometeram-se em promover a diminuição dos impostos que incidem nos combustíveis, para que fossem repassados a um preço menor ao consumidor final, desde que houvesse uma contrapartida por parte da União.

Os mandatários cobraram a organização de fóruns para o debate do assunto, além da realização de estudos técnicos. Destacaram, ainda na carta, que o governo federal “pode e deve imediatamente abrir mão das receitas de PIS, COFINS e CIDE, advindas de operações com combustíveis”. Ainda não houve diálogo com o Palácio do Planalto nesse sentido.

Só não assinaram o documento os governadores de Goiás, Rondônia, Acre e Tocantins.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Wanderson Camêlo

Referências da Coar:

Portal da revista Exame

Revista digital Valor Econômico