COAR participa do Primeiro Programa de Residência do Comprova

No período de quase dois meses, a fundadora da COAR, Marta Alencar, participou do Primeiro Programa de Residência do Projeto Comprova.  O projeto selecionou conforme o cumprimento das etapas do curso “Monitoramento e investigação de conteúdos digitais“. Em seguida, a equipe do Comprova avaliou as respostas de um Formulário realizado após o cumprimento do curso, além da disponibilidade e aplicabilidade das ideias propostas pelos 77 inscritos no curso. Desses 77, o Comprova selecionou dez nomes para uma temporada de oito semanas em atividades práticas junto da equipe.

O Comprova reúne jornalistas de 33 diferentes veículos de comunicação brasileiros para descobrir e investigar informações enganosas, inventadas e deliberadamente falsas sobre políticas públicas, processo eleitoral e a pandemia de covid-19 compartilhadas nas redes sociais ou por aplicativos de mensagens.

Texto: Equipe da COAR

Mesas temáticas do Webinário “Desinformação no Nordeste” completas no canal da Ulepicc-Brasil. Confira as mesas e os palestrantes

ULEPICC-Brasil (Capítulo Brasil da União Latina de Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura) e a COAR (1º projeto independente de fact-checking no Piauí) lançaram de 6 a 9 de outubro de 2020, o Webinário “Desinformação no Nordeste: Desafios e oportunidades para o jornalismo”. O evento é totalmente gratuito e exibido na Plataforma Google Meet.

Para a abertura do evento foi promovida a Aula Inaugural no dia 6 de outubro com Carlos Eduardo Franciscato (Currículo Lattes), que é pós-doutor em Comunicação e professor titular da Universidade Federal de Sergipe (UFS). Confira a Aula Inaugural no link.

A partir do dia 7, o evento contou com as seguintes mesas temáticas:

1 – O cenário do acesso à informação no Nordeste: desafios e oportunidades

Sem meios oficiais confiáveis para se informar, nordestinos que convivem com desertos de notícias podem ficam mais suscetíveis a acreditarem em boatos, que muitas vezes não são verdadeiros. Confira a palestra no link.

Abaixo os nomes dos palestrantes:

– Janaine Aires: Doutora em Comunicação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). É líder do EPA! – Grupo de Pesquisa em Economia Política do Audiovisual. Confira mais no Currículo Lattes da palestrante.

– Cristiane Portela: Doutora em Comunicação pela Universidade Metodista de São Paulo (UMESP). Professora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal do Piauí (PPGCOM/UFPI). Confira mais o Currículo Lattes da palestrante.

– Anderson Santos: Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade de Brasília (UnB). Presidente do Capítulo Brasil da União Latina da Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura (Ulepicc- Brasil). Confira mais no Currículo Lattes do palestrante.

2 –O que é desinformação? E o impacto das plataformas digitais na cobertura jornalística de qualidade

A diretora do First Draft (instituto ligado à Universidade de Harvard), Claire Wardle, afirma que o termo fake news não dar conta de explicar a complexidade da desordem informacional na atualidade. Por isso, a diretora prefere utilizar o termo desinformação. Mas, o que é desinformação de fato? E como as plataformas digitais vêm ampliando a desinformação no cenário atual. Na oportunidade é apresentado o projeto Nujoc Checagem da Universidade Federal do Piauí. Confira a palestra no link.

Os palestrantes convidados foram:

– Ana Regina Rêgo: Pós-doutora em Comunicação e Cultura pela ECO-UFRJ(2020). Coordenadora do Núcleo de Pesquisa em Jornalismo e Comunicação (NUJOC) e do Projeto Memória do Jornalismo. A professora também é coordenadora do Projeto Nujoc Checagem. Confira mais no Currículo Lattes da palestrante.

– Jonas Valente: Doutor em Sociologia pela Universidade de Brasília (UnB). Coordenador do grupo de trabalho sobre indústrias midiáticas do capítulo brasileiro da União Latina da Economia Política da Informação, Comunicação e Cultura (Ulepicc-Brasil).Confira mais no Currículo Lattes do palestrante.

– Juliana Teixeira: Doutora em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e em Ciências da Comunicação pela Universidade da Beira Interior (Covilhã/Portugal). Líder do grupo de pesquisa Jornalismo, Inovação e Igualdade (JOII). Confira mais no Currículo Lattes da palestrante.

3– Regulando desinformação e fakenews no Nordeste

No Brasil, há regulamentações vigentes que tratam especificamente sobre a internet, entre elas: o Marco Civil da Internet e a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD ou LGPDP). Mas neste cenário predominante de desinformação, é preciso criar mais leis? E como criar leis que não firam a liberdade e a privacidade? Todos esses pontos foram discutidos no Webinário no dia 8 de outubro. Confira a palestra no link.

Os palestrantes convidados foram:

– Rodrigo Vieira: Professor de Direito Público da Universidade Federal Rural do Semi-Árido em Mossoró (UFERSA). Vice-Coordenador do Programa de Mestrado em Direito da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (PPGD/UFERSA). Pesquisador-Líder do DigiCult (Estudos e Pesquisas em Direito Digital e Direitos Culturais). Confira mais no Currículo Lattes do palestrante.

– Helena Martins:Doutora em Comunicação Social pela Universidade de Brasília (UnB). Docente (Adjunta-A) na Universidade Federal do Ceará (UFC)e integrante do Intervozes (Coletivo Brasil de Comunicação Social). Confira mais no Currículo Lattes da palestrante.

– Raquel Saraiva: Doutoranda em Ciência da Computação pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).Presidenta e fundadora do IP.rec (Instituto de Pesquisa em Direito e Tecnologia do Recife). Confira mais no Currículo Lattes da palestrante.

– Heloísa Massaro: Mestranda em Filosofia e Teoria Geral do Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (FDUSP). Coordenadora de pesquisa na área de Informação e Política no InternetLab. Confira mais no Currículo Lattes da palestrante.

4 – Os discursos de ódio e a desinformação

Neste cenário repleto de informações fraudulentas, há também os desertos de notícias e os discursos de ódio que distanciam a população da liberdade de expressão e dos meios democráticos. Então, o que pode ser feito? E o que vem sendo feito no Nordeste para minimizar o volume dessas atrocidades? Confira a mesa no link.

A aula ocorreu no dia 8 de outubro e contou com uma mesa formada pelos seguintes pesquisadores:

– José Maria da Silva Monteiro Filho: Doutor em Informática pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Tem experiência na área de Ciência da Computação com ênfase em Banco de Dados e Engenharia de Software. Confira mais no Currículo Lattes do palestrante.

– Paulo Fernando: Doutor em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).Professor Associado II da Universidade Federal do Piauí, coordenador do Grupo de Pesquisa Jornalismo e Discursos (JORDIS) e diretor da Rádio Universitária desde 2013. Confira mais no Currículo Lattes do palestrante.

– Pedro Jorge Chaves Mourão: Doutorando em Sociologia pela Universidade Estadual do Ceará (UECE).Pesquisador do Laboratório Grupo de Estudos da Conjuntura e das Ideias Políticas (GECIP-UECE) e do Laboratório de Estudos sobre Política, Eleições e Mídia (LEPEM-UFC). Confira mais no Currículo Lattes do palestrante.

– Francisco Mesquita: Doutor em Sociologia pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Professor no Departamento de Ciências Sociais, nos programas de pós-graduação em Sociologia e gestão pública da UFPI. Confira mais no Currículo Lattes do palestrante.

– Francisco Laerte: Doutor em Comunicação e Cultura pela Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Comunicação na Universidade Federal do Piauí (UFPI). Confira mais no Currículo Lattes do palestrante.

5 – Pesquisas acadêmicas sobre desinformação

No dia 9, a mesa foi apresentada pelos palestrantes:

– Sônia Maria: Mestra em História do Brasil e graduada em Comunicação Social – Habilitação em Jornalismo, ambas pela Universidade Federal do Piauí (UFPI).Docente efetiva, pesquisadora e extensionista do Curso de Comunicação Social – Jornalismo da Universidade Estadual do Piauí.Confira mais no Currículo Lattes da palestrante.

– Carlos Figueiredo: Doutor em Sociologia e mestre em Comunicação pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Realizou pesquisa de pós-doutorado sobre coletivos de mídias a partir da interdisciplinaridade entre as Teorias dos Movimentos Sociais e a Economia Política da Comunicação. Confira mais no Currículo Lattes do palestrante.

– Thiago Freire Gomes: Mestrando em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela Universidade Federal da Bahia (Poscom/UFBA). Pesquisador do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Democracia Digital – ICTD.DD. Confira mais no Currículo Lattes do palestrante.

6 – Fact-checking: ascensão na cobertura política do Nordeste

A mesa foi apresentada por:

– Alice de Souza: Mestre em Indústrias Criativas, pela Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), com dissertação sobre automatização de checagem de fatos. Atua como jornalista, coordenadora editorial do projeto Confere.ai no Jornal do Commercio e colaboradora do Projeto Comprova. Confira mais no Currículo Lattes da palestrante.

– Francisco Rolfsen Belda: Doutor em Engenharia de Produção pela Universidade de São Paulo (USP). Presidente do Projor, coordenador acadêmico do Projeto Credibilidade e professor do curso de jornalismo e do programa de pós-graduação em mídia e tecnologia da Unesp.  Confira mais no Currículo Lattes do palestrante.

– Carla Risso:Pós doutora pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP).O projeto realizado no pós-doutorado foi o projeto “À sombra da (Des)informação: a proliferação de mensagens enganosas em períodos eleitorais Brasil/Portugal”. Confira mais no Currículo Lattes da palestrante.

– Marta Alencar: Mestranda em Comunicação pela Universidade Federal do Piauí (UFPI). Especialista em Gestão de Marketing Digital e graduada em Comunicação Social. Fundadora da COAR, primeiro projeto independente de Fact-Checking do Piauí. Associada da União Latina de Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura (Ulepicc-Brasil). Confira mais no Currículo Lattes da palestrante.

Webinário “Desinformação no Nordeste” será exibido no canal da Ulepicc-Brasil no Youtube. Entenda o motivo

Inicia hoje o Webinário “Desinformação no Nordeste: desafios e oportunidades para o jornalismo“, de 6 a 9 de outubro. Às 19h, teremos palestra com Carlos Eduardo Franciscato, professor titular da Universidade Federal de Sergipe (UFS).  

A Aula Inaugural e todas as mesas do evento serão exibidas no canal da Ulepicc-Brasil no Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCpwMB_nO28fFONsrWEmudcASó inscritos previamente no webinário receberão o certificado de participação. O registro da frequência se dará numa ficha de participação que será disponibilizada a cada atividade. A decisão da mudança da plataforma foi devido à questão de ataques recentes de grupos extremistas em palestras no Piauí, outras entidades e também para a COAR.

Confira a programação completa: https://ulepicc.org.br/programacao-completa-do-webinario-desinformacao-no-nordeste-desafios-e-oportunidades-para-o-jornalismo-inscricoes-gratuitas/ 

Canal da Ulepicc-Brasil: https://www.youtube.com/channel/UCpwMB_nO28fFONsrWEmudcA 

Qualquer dúvida ou crítica pode enviar um email para ulepicc.br@gmail.com ou coarnews@gmail.com.

Atenciosamente, 

Anderson Santos

Presidente da Ulepicc-Brasil

Webinário “Desinformação no Nordeste: desafios e oportunidades para o jornalismo” apresenta mediadores das mesas. Inscrições gratuitas!

A ULEPICC-Brasil (Capítulo Brasil da União Latina de Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura) e a COAR (1º projeto independente de fact-checking no Piauí) lançam de 6 a 9 de outubro de 2020, o Webinário “Desinformação no Nordeste: Desafios e oportunidades para o jornalismo”. O evento é totalmente gratuito e exibido online.

Para a abertura do evento será promovida a Aula Inaugural dia 6 de outubro, às 19h, e apresentada por Carlos Eduardo Franciscato (Currículo Lattes), que é pós-doutor em Comunicação e professor titular da Universidade Federal de Sergipe (UFS). A partir do dia 7, o Webinário contará com mesas temáticas. Para os interessados, as inscrições poderão ser realizadas no link: https://forms.gle/Gqr1M4y8mCQvkQZz9

As mesas estão divididas por temas:

1 – O cenário do acesso à informação no Nordeste: desafios e oportunidades

No dia 7 de outubro, a partir das 16h, a mesa será mediada pelo jornalista e mestrando em Comunicação da Universidade Federal do Piauí, Nicolas Barbosa. A mesa contará com os seguintes pesquisadores:


– Janaine Aires: Doutora em Comunicação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). É líder do EPA! – Grupo de Pesquisa em Economia Política do Audiovisual.


– Cristiane Portela: Doutora em Comunicação pela Universidade Metodista de São Paulo (UMESP). Professora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal do Piauí (PPGCOM/UFPI).


– Anderson Santos: Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade de Brasília (UnB). Presidente do Capítulo Brasil da União Latina da Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura (Ulepicc- Brasil).

2 –O que é desinformação? E o impacto das plataformas digitais na cobertura jornalística de qualidade

No dia 7 de outubro, a partir das 19h, a mesa será mediada pelo jornalista e mestrando em Comunicação da Universidade Federal do Piauí, Luan Matheus Santana. A mesa contará com os seguintes pesquisadores:

– Ana Regina Rêgo: Pós-doutora em Comunicação e Cultura pela ECO-UFRJ(2020). Coordenadora do Núcleo de Pesquisa em Jornalismo e Comunicação (NUJOC) e do Projeto Memória do Jornalismo. A professora também é coordenadora do Projeto Nujoc Checagem.

–Jonas Valente: Doutor em Sociologia pela Universidade de Brasília (UnB). Coordenador do grupo de trabalho sobre indústrias midiáticas do capítulo brasileiro da União Latina da Economia Política da Informação, Comunicação e Cultura (Ulepicc-Brasil).

– Juliana Teixeira: Doutora em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e em Ciências da Comunicação pela Universidade da Beira Interior (Covilhã/Portugal). Líder do grupo de pesquisa Jornalismo, Inovação e Igualdade (JOII).

3– Regulando desinformação e fakenews no Nordeste

No dia 8 de outubro, a partir das 16h, a mesa será mediada pelo professor Adjunto do curso de Jornalismo da Universidade Federal de Alagoas e líder do grupo de pesquisa Crítica da Economia Política da Comunciação (Cepcom/Ufal – CNPq), Júlio Arantes Azevedo. A mesa contará com os seguintes pesquisadores:

– Rodrigo Vieira: Professor de Direito Público da Universidade Federal Rural do Semi-Árido em Mossoró (UFERSA). Vice-Coordenador do Programa de Mestrado em Direito da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (PPGD/UFERSA). Pesquisador-Líder do DigiCult (Estudos e Pesquisas em Direito Digital e Direitos Culturais). Confira mais no Currículo Lattes do palestrante.

– Helena Martins:Doutora em Comunicação Social pela Universidade de Brasília (UnB). Docente (Adjunta-A) na Universidade Federal do Ceará (UFC)e integrante do Intervozes (Coletivo Brasil de Comunicação Social).

– Raquel Saraiva: Doutoranda em Ciência da Computação pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).Presidenta e fundadora do IP.rec (Instituto de Pesquisa em Direito e Tecnologia do Recife).

– Heloísa Massaro: Mestranda em Filosofia e Teoria Geral do Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (FDUSP). Coordenadora de pesquisa na área de Informação e Política no InternetLab.

4 – Os discursos de ódio e a desinformação

No dia 8 de outubro, a partir das 18h30, a mesa será mediada pela mestranda do Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Heloisi Mourão. A mesa contará com os seguintes pesquisadores:

– José Maria da Silva Monteiro Filho: Doutor em Informática pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Tem experiência na área de Ciência da Computação com ênfase em Banco de Dados e Engenharia de Software.

– Paulo Fernando: Doutor em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).Professor Associado II da Universidade Federal do Piauí, coordenador do Grupo de Pesquisa Jornalismo e Discursos (JORDIS) e diretor da Rádio Universitária desde 2013.

– Pedro Jorge Chaves Mourão: Doutorando em Sociologia pela Universidade Estadual do Ceará (UECE).Pesquisador do Laboratório Grupo de Estudos da Conjuntura e das Ideias Políticas (GECIP-UECE) e do Laboratório de Estudos sobre Política, Eleições e Mídia (LEPEM-UFC).

– Francisco Mesquita: Doutor em Sociologia pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Professor no Departamento de Ciências Sociais, nos programas de pós-graduação em Sociologia e gestão pública da UFPI.

– Francisco Laerte: Doutor em Comunicação e Cultura pela Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Comunicação na Universidade Federal do Piauí (UFPI).

5 – Pesquisas acadêmicas sobre desinformação

No dia 9, a partir das 16h, a mesa será sediada pela jornalista, professora e mestranda em Comunicação da Universidade Federal do Piauí, Ruthy Costa. A mesa contará com os seguintes palestrantes:

– Sônia Maria: Mestra em História do Brasil e graduada em Comunicação Social – Habilitação em Jornalismo, ambas pela Universidade Federal do Piauí (UFPI).Docente efetiva, pesquisadora e extensionista do Curso de Comunicação Social – Jornalismo da Universidade Estadual do Piauí.

– Carlos Figueiredo: Doutor em Sociologia e mestre em Comunicação pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Realizou pesquisa de pós-doutorado sobre coletivos de mídias a partir da interdisciplinaridade entre as Teorias dos Movimentos Sociais e a Economia Política da Comunicação.

– Thiago Freire Gomes: Mestrando em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela Universidade Federal da Bahia (Poscom/UFBA). Pesquisador do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Democracia Digital – ICTD.DD.

6 – Fact-checking: ascensão na cobertura política do Nordeste

A fundadora da COAR, jornalista e mestranda em comunicação da Universidade Federal do Piauí, Marta Alencar, mediará a mesa, que será realizada no dia 9 de outubro, a partir das 19h. A mesa é composta pelos seguintes pesquisadores:

– Alice Souza: Mestre em Indústrias Criativas, pela Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), com dissertação sobre automatização de checagem de fatos. Atua como jornalista, coordenadora editorial do projeto Confere.ai no Jornal do Commercio e colaboradora do Projeto Comprova.

– Francisco Rolfsen Belda: Doutor em Engenharia de Produção pela Universidade de São Paulo (USP). Presidente do Projor, coordenador acadêmico do Projeto Credibilidade e professor do curso de jornalismo e do programa de pós-graduação em mídia e tecnologia da Unesp.

– Carla Risso: Pós-doutora pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP).O projeto realizado no pós-doutorado foi o projeto “À sombra da (Des)informação: a proliferação de mensagens enganosas em períodos eleitorais Brasil/Portugal”.

Inscrições gratuitas! O Webinário “Desinformação no Nordeste” apresenta mesas temáticas e pesquisadores convidados

Mais da metade dos municípios brasileiros são desertos de notícia conforme levantamento realizado pelo Atlas da Notícia, idealizado pelo Projor (Instituto para o Desenvolvimento do Jornalismo). Dentre as regiões no país que lidam com esses desertos, o Nordeste é um dos que mais enfrenta desafios e adversidades quanto à cobertura jornalista, principalmente de qualidade.

Diante disso, a ULEPICC-Brasil (Capítulo Brasil da União Latina de Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura) e a COAR (1º projeto independente de fact-checking no Piauí) lançam de 6 a 9 de outubro de 2020, o Webinário “Desinformação no Nordeste: Desafios e oportunidades para o jornalismo”. O evento é totalmente gratuito e exibido na Plataforma Google Meet.

Para a abertura do evento será promovida a Aula Inaugural dia 6 de outubro, às 19h, e apresentada por Carlos Eduardo Franciscato (Currículo Lattes), que é pós-doutor em Comunicação e professor titular da Universidade Federal de Sergipe (UFS). A partir do dia 7, o Webinário contará com mesas temáticas promovidas por pesquisadores e representantes de entidades do jornalismo regional e nacional. Para os interessados, as inscrições poderão ser realizadas no link disponível.

As mesas estão divididas por temas:

1 – O cenário do acesso à informação no Nordeste: desafios e oportunidades

Sem meios oficiais confiáveis para se informar, nordestinos que convivem com desertos de notícias podem ficam mais suscetíveis a acreditarem em boatos, que muitas vezes não são verdadeiros. Diante cenário desafiador, o Webinário apresenta no dia 7 de outubro, a partir das 16h, a mesa composta pelos seguintes pesquisadores:

Janaine Aires: Doutora em Comunicação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). É líder do EPA! – Grupo de Pesquisa em Economia Política do Audiovisual. Confira mais no Currículo Lattes da palestrante.

– Cristiane Portela: Doutora em Comunicação pela Universidade Metodista de São Paulo (UMESP). Professora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal do Piauí (PPGCOM/UFPI). Confira mais o Currículo Lattes da palestrante.

– Anderson Santos: Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade de Brasília (UnB). Presidente do Capítulo Brasil da União Latina da Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura (Ulepicc- Brasil). Confira mais no Currículo Lattes do palestrante.

2 –O que é desinformação? E o impacto das plataformas digitais na cobertura jornalística de qualidade

A diretora do First Draft (instituto ligado à Universidade de Harvard), Claire Wardle, afirma que o termo fake news não dar conta de explicar a complexidade da desordem informacional na atualidade. Por isso, a diretora prefere utilizar o termo desinformação. Mas, o que é desinformação de fato? E como as plataformas digitais vêm ampliando a desinformação no cenário atual. Na oportunidade será apresentado o projeto Nujoc Checagem da Universidade Federal do Piauí. O Webinário será dia 7 de outubro, às 19h.

– Ana Regina Rêgo: Pós-doutora em Comunicação e Cultura pela ECO-UFRJ(2020). Coordenadora do Núcleo de Pesquisa em Jornalismo e Comunicação (NUJOC) e do Projeto Memória do Jornalismo. A professora também é coordenadora do Projeto Nujoc Checagem. Confira mais no Currículo Lattes da palestrante.

– Jonas Valente: Doutor em Sociologia pela Universidade de Brasília (UnB). Coordenador do grupo de trabalho sobre indústrias midiáticas do capítulo brasileiro da União Latina da Economia Política da Informação, Comunicação e Cultura (Ulepicc-Brasil).Confira mais no Currículo Lattes do palestrante.

– Juliana Teixeira: Doutora em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e em Ciências da Comunicação pela Universidade da Beira Interior (Covilhã/Portugal). Líder do grupo de pesquisa Jornalismo, Inovação e Igualdade (JOII). Confira mais no Currículo Lattes da palestrante.

3– Regulando desinformação e fakenews no Nordeste

No Brasil, há regulamentações vigentes que tratam especificamente sobre a internet, entre elas: o Marco Civil da Internet e a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD ou LGPDP). Mas neste cenário predominante de desinformação, é preciso criar mais leis? E como criar leis que não firam a liberdade e a privacidade? Todos esses pontos serão discutidos no Webinário no dia 8 de outubro, a partir das 16h, a mesa contará com os seguintes pesquisadores:

– Rodrigo Vieira: Professor de Direito Público da Universidade Federal Rural do Semi-Árido em Mossoró (UFERSA). Vice-Coordenador do Programa de Mestrado em Direito da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (PPGD/UFERSA). Pesquisador-Líder do DigiCult (Estudos e Pesquisas em Direito Digital e Direitos Culturais). Confira mais no Currículo Lattes do palestrante.

– Helena Martins:Doutora em Comunicação Social pela Universidade de Brasília (UnB). Docente (Adjunta-A) na Universidade Federal do Ceará (UFC)e integrante do Intervozes (Coletivo Brasil de Comunicação Social). Confira mais no Currículo Lattes da palestrante.

– Raquel Saraiva: Doutoranda em Ciência da Computação pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).Presidenta e fundadora do IP.rec (Instituto de Pesquisa em Direito e Tecnologia do Recife). Confira mais no Currículo Lattes da palestrante.

– Heloísa Massaro: Mestranda em Filosofia e Teoria Geral do Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (FDUSP). Coordenadora de pesquisa na área de Informação e Política no InternetLab. Confira mais no Currículo Lattes da palestrante.

4 – Os discursos de ódio e a desinformação

Neste cenário repleto de informações fraudulentas, há também os desertos de notícias e os discursos de ódio que distanciam a população da liberdade de expressão e dos meios democráticos. Então, o que pode ser feito? E o que vem sendo feito no Nordeste para minimizar o volume dessas atrocidades? Essa aula ocorrerá no dia 8 de outubro, a partir das 19h, e contará com uma mesa formada pelos seguintes pesquisadores:

– José Maria da Silva Monteiro Filho: Doutor em Informática pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Tem experiência na área de Ciência da Computação com ênfase em Banco de Dados e Engenharia de Software. Confira mais no Currículo Lattes do palestrante.

– Paulo Fernando: Doutor em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).Professor Associado II da Universidade Federal do Piauí, coordenador do Grupo de Pesquisa Jornalismo e Discursos (JORDIS) e diretor da Rádio Universitária desde 2013. Confira mais no Currículo Lattes do palestrante.

– Pedro Jorge Chaves Mourão: Doutorando em Sociologia pela Universidade Estadual do Ceará (UECE).Pesquisador do Laboratório Grupo de Estudos da Conjuntura e das Ideias Políticas (GECIP-UECE) e do Laboratório de Estudos sobre Política, Eleições e Mídia (LEPEM-UFC). Confira mais no Currículo Lattes do palestrante.

– Francisco Mesquita: Doutor em Sociologia pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Professor no Departamento de Ciências Sociais, nos programas de pós-graduação em Sociologia e gestão pública da UFPI. Confira mais no Currículo Lattes do palestrante.

– Francisco Laerte: Doutor em Comunicação e Cultura pela Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Comunicação na Universidade Federal do Piauí (UFPI). Confira mais no Currículo Lattes do palestrante.

5 – Pesquisas acadêmicas sobre desinformação

No dia 9, a partir das 16h, a mesa abordará pesquisas focadas sobre o tema desinformação.

– Sônia Maria: Mestra em História do Brasil e graduada em Comunicação Social – Habilitação em Jornalismo, ambas pela Universidade Federal do Piauí (UFPI).Docente efetiva, pesquisadora e extensionista do Curso de Comunicação Social – Jornalismo da Universidade Estadual do Piauí.Confira mais no Currículo Lattes da palestrante.

– Carlos Figueiredo: Doutor em Sociologia e mestre em Comunicação pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Realizou pesquisa de pós-doutorado sobre coletivos de mídias a partir da interdisciplinaridade entre as Teorias dos Movimentos Sociais e a Economia Política da Comunicação. Confira mais no Currículo Lattes do palestrante.

– Thiago Freire Gomes: Mestrando em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela Universidade Federal da Bahia (Poscom/UFBA). Pesquisador do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Democracia Digital – ICTD.DD. Confira mais no Currículo Lattes do palestrante.

6 – Fact-checking: ascensão na cobertura política do Nordeste

A crise do jornalismo hoje, atinge principalmente a credibilidade transmitida pelos conglomerados da mídia. Neste cenário de descrédito com os meios tradicionais, o fact-checking vêm ganhando destaque na cobertura jornalística, principalmente em pleitos eleitorais.Diante dessa realidade, o Webinário apresenta no dia 9 de outubro, a partir das 19h, a mesa composta pelos seguintes pesquisadores:

– Alice de Souza: Mestre em Indústrias Criativas, pela Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), com dissertação sobre automatização de checagem de fatos. Atua como jornalista, coordenadora editorial do projeto Confere.ai no Jornal do Commercio e colaboradora do Projeto Comprova. Confira mais no Currículo Lattes da palestrante.

– Francisco Rolfsen Belda: Doutor em Engenharia de Produção pela Universidade de São Paulo (USP). Presidente do Projor, coordenador acadêmico do Projeto Credibilidade e professor do curso de jornalismo e do programa de pós-graduação em mídia e tecnologia da Unesp.  Confira mais no Currículo Lattes do palestrante.

– Carla Risso:Pós doutora pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP).O projeto realizado no pós-doutorado foi o projeto “À sombra da (Des)informação: a proliferação de mensagens enganosas em períodos eleitorais Brasil/Portugal”. Confira mais no Currículo Lattes da palestrante.

– Marta Alencar: Mestranda em Comunicação pela Universidade Federal do Piauí (UFPI). Especialista em Gestão de Marketing Digital e graduada em Comunicação Social. Fundadora da COAR, primeiro projeto independente de Fact-Checking do Piauí. Associada da União Latina de Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura (Ulepicc-Brasil). Confira mais no Currículo Lattes da palestrante.

Webinário “Desinformação no Nordeste: desafios e oportunidades para o jornalismo” tem Aula Inaugural com Carlos Eduardo Franciscato

Diante dos desertos de notícias que configuram a região Nordeste, a COAR (1º Projeto de Fact-checking no Piauí) juntamente com a ULEPICC-Brasil (Capítulo Brasil da União Latina de Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura) promovem de 6 a 9 de outubro de 2020, o Webinário “Desinformação no Nordeste: desafios e oportunidades para o jornalismo”. O evento contará com a presença de pesquisadores renomados e entidades de fact-checking no país.

A Aula Inaugural será realizada no dia 6 de outubro, às 19h, na Plataforma Google Meet, e apresentada por Carlos Eduardo Franciscato, que é pós-doutor em Comunicação e professor titular da Universidade Federal de Sergipe (UFS). Franciscato também é escritor e tem uma vasta experiência na área de comunicação com ênfase em teoria e ética do jornalismo.

O Webinário é totalmente gratuito e aberto para acadêmicos de comunicação, profissionais e pesquisadores. E contará com seis mesas temáticas: 1) O cenário do acesso à informação no Nordeste: desafios e oportunidades; 2) O que é desinformação? E o impacto das plataformas digitais digitais na cobertura jornalística de qualidade; 3) Regulando desinformação e fake news no Nordeste; 4) Os discursos de ódio e a desinformação; 5) Pesquisas acadêmicas sobre desinformação e 6) Fact-checking: ascensão na cobertura política do Nordeste.

O Webinário conta com vários palestrantes confirmados: Anderson Santos, presidente da Ulepicc-Brasil (Alagoas); Rodrigo Vieira, pós-doutorando no Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra (Portugal);  Cristiane Portela (Doutora em Comunicação e Docente do Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade Federal do Piauí); Juliana Fernandes Teixeira (Doutora em Comunicação e Cultura Contemporânea e Docente do Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade Federal do Piauí); Raquel Saraiva, Presidenta e fundadora do IP.rec (Instituto de Pesquisa em Direito e Tecnologia do Recife); Carla Risso (professora de Comunicação da Universidade Federal da Bahia) e Helena Martins (Doutora em Comunicação e diretora da Ong Intervozes).

Além de Janaine Aires (doutora em Comunicação e professora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte); Carlos Peres De Figueiredo Sobrinho (Doutor em Sociologia, Mestre em Comunicação e professor da Universidade Federal de Sergipe) e Heloísa Massaro (Mestranda em Filosofia e Teoria Geral do Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo e pesquisadora do InternetLab). Além de outros palestrantes que serão confirmados até a próxima segunda-feira (14).

Para os interessados, as inscrições poderão ser realizadas no seguinte link: https://forms.gle/7n87nyGbruBq9kRr5.

Escrito por: Marta Alencar

Ulepicc-Brasil e COAR lançam Webinário “Desinformação no Nordeste: Desafios e oportunidades para o jornalismo”

Mais de 60% das cidades brasileiras não têm cobertura jornalística, segundo o Atlas da Notícia, realizado pelo Projor (Instituto para o Desenvolvimento do Jornalismo), em pesquisa divulgada no ano de 2020. Do total de 5.570 municípios brasileiros, 62,6% seriam “desertos de notícias”, ou seja, são locais desamparados por veículos de rádio, impresso, online ou televisão.

Segundo o Projor, os desertos de notícias são, em média, municípios com população mediana de 7.100 habitantes, representando 18% da população nacional. Percebe-se que o desenvolvimento jornalístico é reflexo da centralização nas capitais e outras grandes cidades, além do processo de desenvolvimento socioeconômico (desigual) no Brasil.

É importante considerar ainda que a TV aberta brasileira se desenvolve a partir do modelo de cabeça de rede, com limitação da programação local, com o modelo de retransmissoras de grades emissoras sendo utilizados nos municípios do interior dos Estados. Isso para não tratar de como jornais, revistas, sites, telejornais e programas radiofônicos de caráter nacional dão prioridade a determinadas cidades do Brasil. A situação é pior na região mais pobre do Brasil, o Nordeste. Ainda de acordo com o Atlas do Projor, há uma proporção de “desertos” que abarca 73,5% dos municípios, ainda que nessa parte do país o rádio chegue a alcançar 83% da população, pois há grande quantidade de pequenos municípios.

Essa falta de acesso a conteúdo de cunho jornalístico proporciona a desatualização dos cidadãos aos acontecimentos locais, além de contribuir para a falta de conhecimento em relação a pautas relativas a serviços públicos, difusão cultural local, cobrança de direitos, entre outros. As pessoas acabam por ter como alternativa de meio de informação apenas os boatos passados “boca a boca”, sem garantir nenhuma veracidade ao conteúdo em questão.

Considerando isso, a ULEPICC-Brasil (Capítulo Brasil da União Latina de Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura) e a COAR (1º projeto independente de fact-checking no Piauí) se unem para realizar de 6 a 9 de outubro de 2020, o Webinário “Desinformação no Nordeste: Desafios e oportunidades para o jornalismo”. O evento terá convidadas/os para falar sobre o impacto da desinformação na região e o apontamento de oportunidades para a prática e a análise do jornalismo. Em breve lançaremos a programação completa e a lista das pessoas confirmadas.

As mesas temáticas serão:

1 – Aula inaugural – O cenário do acesso à informação no Nordeste

2 – O que é desinformação?

3 – Regulando desinformação e fake news no Nordeste

4 – Os discursos de ódio e a desinformação

5- Pesquisas acadêmicas sobre desinformação

6 – Fact-checking: ascensão na cobertura política no Nordeste

Inscrições

O webinário será gratuito, realizado em sala virtual do Google Meet, com direito a certificado de participação. Assim, é necessário realizar inscrição prévia a partir do formulário: https://forms.gle/7n87nyGbruBq9kRr5

O presidente da Ulepicc-Brasil, Anderson Santos, e a mestranda e fundadora da COAR, Marta Alencar, agradecem sua inscrição!