RECIPIENTE DE PLÁSTICO PODE SER USADO PARA GUARDAR ALIMENTOS? – Curiosidade sobre bisfenol-A

A utilização de recipientes de plástico é comum na grande maioria dos lares, uma vez que se pode reutilizar embalagens de outros produtos, ou até mesmo podem ser adquiridos de todos os tamanhos e formatos para fazer coleção nas prateleiras da cozinha. Porém, nem sempre o que é bonito aos olhos fará tão bem a nossa saúde, e por isso que se deve ter cuidado e acesso à informação correta para uma utilização cautelosa. Mas o que poderia conter nesses recipientes que nos levasse a uma certa preocupação?

Há um tipo de substância presente nas vasilhas que chamamos de bisfenol-A (BFA), que desde seu descobrimento vêm sendo amplamente utilizado nas indústrias para produzir materiais em geral, por isso podemos encontrar em variados tipos de objetos de em nosso cotidiano. E com a grande produção também é realizado estudos para avaliar os efeitos de tal substância, e em muitos deles, é constatado que o BFA possa estar relacionado algumas doenças bem comuns como diabetes mellitus tipo II e até mesmo câncer.

Essa substância entra em contato com alimentos ou líquidos armazenados em recipientes de plásticos ou enlatados, principalmente quando resfriados ou aquecidos, e esse aumento de BFA foi possível ser detectado em humanos acima de 6 anos no estudo internacional. Outros relacionaram o consumo de alimentos e líquidos enlatados ou armazenados em plásticos, com o aumento do tumor de mama. Mas calma, não é necessário entrar em desespero e parar imediatamente o uso dos recipientes e garrafas.

Os estudos que analisam algumas doenças com o BFA necessitam ser aprimorados e melhor relacionados para se ter um resultado bem mais preciso, porém, o que já nos é disponibilizado pela comunidade científica pode ser posto em prática e assim reduzir os futuros riscos. Primeiramente pode-se evitar aquecer alimentos em vasilhas de plástico, ou colocar algo quente nas mesmas, espere esfriar para assim guardar. Evite usar diariamente garrafas de plástico para congelar líquidos, ou até mesmo colocar café, chás ou outras preparações quentes.

O ideal é utilizar vasilhas de vidro, mas como o custo ainda é muito elevado, então a alternativa é reduzir o uso dos recipientes plásticos, e fazer o uso de forma menos prejudicial possível. Lembrando que toda e qualquer doença será desenvolvida por um conjunto de fatores e não apenas pelo BFA. A notícia boa é que já estão estudado novas substâncias que são menos prejudiciais para saúde e mais biodegradáveis, o que facilitará a nossa qualidade de vida.

Escrito por: Ana Rafaela Silva Pereira

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Ciências e Saúde, UFPI.

Pós-Graduanda da Especialização em Nutrição Oncológica.

REFERÊNCIAS

MALUF, E.M.C. et al. Contaminação em larga escala por Bisfenol-A: estamos conscientes do risco e formas de exposição? Ciências & Saúde Coletiva. 25(11),2020. Doi: 10.1590/1413-812320202511.01852018 

MOKBEL, K.; WAZIR, U. Bisphenol A: A Concise Review of Literature and a Discussion of Health and Regulatory Implications. In Vivo. 33(5):1421-1423, 2019. Doi: 10.21873/invivo.11619.

SEACHRIST, D.D. et al. A review of the carcinogenic potential of bisphenol A. Reproductive Toxicology. 59:167-182, 2016. Doi:  10.1016 / j.reprotox.2015.09.006

Alimentos perdem antioxidantes quando cozidos? Confira boatos e verdades na internet

No Quadro “Saúde sem Desinformação”, a nutricionista e mestranda do Programa de Pós-graduação de Ciências e Saúde da Universidade Federal do Piauí (UFPI), Ana Rafaela Pereira, aborda os alimentos ricos em antioxidantes, que podem ser frutas e verduras com grandes concentrações de vitaminas A, C ou E, assim como o betacaroteno, minerais, como o selênio e o zinco, e aminoácidos. Na internet, existem inúmeros boatos que circulam sobre tais alimentos. Confira os principais:

1-Quanto mais antioxidante for o alimento, melhor?

Alimentos que apresentam uma boa função antioxidante, por sua vez, são os mais naturais e minimamente processados, como frutas. Então quando se tem uma alimentação rica em antioxidante, se tem uma alimentação mais saudável.

2 -Antioxidantes curam doenças?

Não, eles não curam, mas auxiliam na prevenção de um modo geral. Na química básica do ensino médio aprendemos que existem ligações que não estão balanceadas, e para isso necessitam se ligar a outros elementos para ficar estável. No nosso corpo acontece isso, porém, os antioxidantes que são uma boa parte dos responsáveis por estabilizar essas ligações “desbalanceadas”, e diminuem assim o risco de até mesmo caso de câncer algumas vezes. Alguns nutrientes em determinadas doses possuem uma função pró-oxidante, ou seja, fará o processo inverso, e nesse casos às vezes é utilizado para tratar a doença e, ou intensificar o efeito do tratamento.

3- Alimentos perdem antioxidantes quando cozidos?

Não por completo, mas sim. Às vezes, até mesmo o fato de colher uma fruta, se o armazenamento dela não for de forma correta, pode apresentar a perca de nutrientes. O indicado é que se for fazer uma preparação cozida, prefira que seja ao vapor, ou reutilizar a água do preparo em outra preparação.

4- Antioxidantes corroboram para uma vida longa?

Eles possuem propriedades benéficas sim, mas como tudo na nutrição é necessário sempre manter um bom equilíbrio, pois um alimento utilizado de maneira errada, pode desencadear outros fatores indesejados.

Escrito por: Marta Alencar

Caso você receba mensagens com informações duvidosas, questione e não compartilhe. Entre em contato conosco por meio do WhatsApp: (86) 99517-9773 ou pelo Instagram @coarnoticias.

Comer de três em três horas auxilia no emagrecimento? Entenda mitos e verdades sobre alimentos light

No Quadro “Saúde sem Desinformação”, a nutricionista e mestranda do Programa de Pós-graduação de Ciências e Saúde da Universidade Federal do Piauí (UFPI), Ana Rafaela Pereira, responde questionamentos mais comuns sobre mitos e boatos de alimentos que emagrecem.

O correto é comer de três em três horas?

Consumir alimentos de três em três horas é um ideal. Pois, o corpo humano vive em constante trabalho para gerar energia e ter bom funcionamento. A partir do momento que se fica um período de tempo longo sem se alimentar pode ocorrer alguns problemas de saúde, como gastrite. Ao comer de forma fragmentada você lida melhor com o processo de emagrecimento, pois ao invés de comer três vezes ao dia em grandes quantidades irá comer mais vezes ao dia, mas em pequenas quantidades. Mas se a pessoa sofre com a compulsão alimentar e faz o consumo de alimentos seis vezes ao dia irá comer de forma totalmente exagerada durante essas vezes e ter um efeito inverso, como engordar um pouco mais e de uma forma não saudável.

Para emagrecer, é necessário cortar os carboidratos?

Mito. Os carboidratos são importantes fonte de energia, além de serem essenciais para o organismo humano. Existem casos em que a pessoa tem dificuldade em emagrecer devido ao alto ou moderado consumo de alimentos ricos em carboidratos, mas isto só pode ser analisado e confirmado com o teste genético. Uma opção alternativa é o consumo de carboidratos integrais ao invés de cortá-los da alimentação. Na forma integral, ele vai ser rico em fibras, que possuem vários benefícios. Um deles é a questão da saciedade. O alto consumo de fibras faz com que seja ingerido uma maior quantidade de líquidos (além da água), para que se tenha as funções desejadas.

Alimentos diets e lights são sempre mais saudáveis?

Mito. Nem sempre são os mais indicados. O produto diet é retirado de uma substância de sua composição, normalmente o açúcar, mas pode ser também o sal ou a gordura. No alimento light, é reduzido em 25% um elemento de sua composição. O produto diet e light terá menos calorias do que o produto comum, mas essa diferença não será grande.

Deve-se ter cuidado ao analisar o rótulo desses alimentos. Pois, acontece principalmente em refrigerantes diets que se faz a retirada total do açúcar, mas no lugar disso é acrescentado mais sódio e conservantes que podem trazer outros prejuízos. Eles também não são indicados para crianças sem deficiência nutricional, já que elas têm o gasto energético diferente dos adultos. E os déficits energéticos desses alimentos pode ocasionar prejuízo no crescimento da criança.

Arroz com Feijão engorda?

Mito. Quando você faz esse consumo de forma exagerada pode sim acarretar em um ganho de peso indesejado, mas o consumo normal no dia a dia não fará engordar de forma indesejada. O arroz com feijão por si só não faz engordar, o certo é fazer o seu consumo de forma moderada, comendo apenas uma quantidade que supra sua necessidade calórica por dia ou refeição, além de consumir junto com eles alimentos naturais, como verduras. Um outro cuidado deve ser com a com as preparações, por exemplo, o alto uso de óleo, temperos industrializados e carnes gordurosas (Como no caso da feijoada).

É correto cortar frutas por conta da quantidade de açúcar que elas possuem?

Mito! Faça isso apenas se houver um problema de saúde o impeça de realizar tal consumo. É comum as pessoas acreditarem nisto, porque algumas delas possuem um alto índice glicêmico, porém as frutas também têm fibras que auxiliam o processo digestivo. As frutas são alimentos ricos em vitaminas e devem ser consumidas diariamente. É importante que as pessoas consumam de forma integral, utilizando também as cascas e o bagaço. Por exemplo, a laranja é recomendável para pacientes com diabetes, pois irá auxiliá-los na regulação do índice glicêmico. O contraindicado é o suco, já que as fibras são jogadas fora e possuem uma alta concentração da fruta.

Caso você receba mensagens com informações duvidosas, questione e não compartilhe. Entre em contato conosco por meio do WhatsApp: (86) 99517-9773 ou pelo Instagram @coarnoticias.

Escrito por: Glenda Muryelle

Edição: Marta Alencar

JBS Alimentos disponibiliza 1.400 vagas de emprego?

Diante da pandemia, inúmeros boatos sobre Covid-19 proliferam na internet. Mas há também informações fraudulentas e golpistas sobre vagas de empregos ou sorteios. Nesta semana, mais um boato sobre anúncio de vagas de trabalho vem repercutindo na internet. Dessa vez envolvendo a multinacional JBS S.A., reconhecida como uma das líderes globais da indústria de alimentos. A COAR verificou a autenticidade do conteúdo e esclarece que é enganoso e falso.

Vagas de emprego são boatos.

O primeiro passo da COAR foi verificar no site da própria empresa e em suas redes sociais, divulgação recentes de vagas. O site informa que existem apenas 64 vagas abertas e não 1.400 conforme a mensagem que vem sendo compartilhada em grupos de WhatsApp.

Em seguida, o link informado não corresponde ao da empresa. O link correto para acessar o número de vagas e preencher o cadastro é este: https://www.vagas.com.br/empregos/jbs?page=4.

O site Boatos já havia desmentido um conteúdo fraudulento no dia 22 de julho, envolvendo a mesma empresa. O conteúdo dizia que quem estivesse interessado em trabalhar na JBS Alimentos deveria compartilhar um suposto link para amigos no WhatsApp, para conseguir uma tão sonhada vaga de emprego na multinacional. O site classificou como falsa.

Em caso de qualquer dúvida, você pode entrar em contato com a nossa equipe pelo WhatsApp: (86) 99517-9773 ou pelo Instagram @coarnoticias que verificaremos para você.

Escrito por: Marta Alencar

Referências:

Site JBS

Site Boatos