Paolla Oliveira não declarou que prostituição será a única forma de sobrevivência das atrizes da Globo caso Bolsonaro seja reeleito

A desinformação envolvendo o nome da atriz global, Paolla Oliveira, embora tenha sido desmentida por várias sites de fact-checking e de jornalismo, continua a circular em grupos de WhatsApp e no Twitter. A desinformação envolve uma suposta declaração dela, ligando atrizes da TV Globo com prostituição.

Paolla Oliveira desmente a desinformação

Segundo a atriz, seu nome foi citado como se ela tivesse dito que “a prostituição será a única forma de sobrevivência das atrizes da Globo caso Bolsonaro seja reeleito”.

“Está circulando uma MENTIRA (famosa FAKE NEWS) por aí, de um site que eu nunca ouvi falar, sendo compartilhada sobre uma suposta declaração que eu NUNCA DEI à revista Caras. Nunca existiu”, disse a atriz no post em seu perfil oficial no Instagram.

“É MENTIRA e é tão ÓBVIO que é mentira. Primeiro que você nunca vai encontrar essa declaração minha falando sobre esse assunto, porque eu simplesmente nunca diria isso, envolvendo uma empresa e outras colegas e profissionais, inclusive. Não tem sentido. Pode jogar palavra por palavra no Google e não encontrará NADA, além da mentira plantada”, continua Paolla.

A COAR averigou vários perfis de usuários e bots no Twitter citando a Paolla Oliveira à desinformação sobre prostituição, inclusive fazendo piadas e comentários maldosos contra a atriz. Abaixo um exemplo disso:

Perfil no Twitter faz comentário maldoso contra a atriz

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso email coarnews@gmail.com ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Marta Alencar

Referências da COAR:

Instagram da Paolla Oliveira

ANÁLISE COAR: Teorias conspiratórias e sem fundamento sobre voto impresso

O atual presidente da República, Jair Bolsonaro, insiste duvidar do sistema eleitoral vigente no país. Uma das últimas declarações do mandatário sobre o assunto foi divulgada através do canal Migalhas no YouTube e gerou, aliás, discussões entre internautas.

Na gravação Bolsonaro puxa coro para a aprovação da PEC que institui o voto impresso já para os próximos pleitos e ameaça até uma intervenção caso o Congresso não valide a proposta. De acordo com o chefe do executivo federal, o voto impresso “é uma maneira de termos uma eleição limpa”.

“É uma maneira de termos uma eleição limpa, se não tivermos, vamos ter problemas para no ano que vem; eu estou me antecipando a problemas no ano que vem… Como está aí, a fraude está escancarada”, disse o mandatário.

O presidente também faz um sério ataque ao Supremo Tribunal Federal: “Existe uma articulação de três ministro do Supremo para não ter o voto auditável”, e outro direcionado ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

“Tiraram o Lula da cadeia, tornaram ele elegível para ele ser presidente na fraude. E isso não vai acontecer”, acrescentou Jair Bolsonaro.

Mas, afinal, o que tem de verdade em todas essas declarações? Vamos às análises.

Não há nada que comprove a fragilidade do sistema de votação através de urnas eletrônicas. O modelo foi implantado há 25 anos no Brasil.

“É um processo seguro, é um processo auditável, tanto que hoje nós não tivemos nenhuma notícia com nada comprovando qualquer tipo de fraude na urna eletrônica ou qualquer equipamento associado a ela”, disse Anderson Lima, secretário de Tecnologia da Informação do TER-PI, em entrevista à rádio Teresina FM nesta segunda-feira (26).

Também não há informações que levantem suspeitas sobre a articulação de três ministros do STF, como destacou o presidente, para barrar a instituição do voto impresso ou auditável.

E sobre Lula, realmente ele foi solto para viabilizar sua candidatura à presidência da República em 2022? Não existe nada que comprove o fato, ou seja, não passa de uma suposição. Jair Bolsonaro não apresentou, durante a entrevista, provas comprovando a veracidade das declarações.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Wanderson Camêlo

Referências da COAR

COAMOS: José Dirceu faz chantagem com ministro do STF, Luís Roberto Barroso?

Em meio há diversas mensagens em notícias no período atual, é preciso cuidado com o que se recebe e lê. Recebemos no WhatsApp uma mensagem com tom alarmista e erros de português dando uma notícia sobre a reunião do presidente Jair Bolsonaro com o diretor da CIA, e que José Dirceu estaria articulando no exterior “R$ 5 milhões” para deputados e senadores votarem contra a medida que estabelece o voto impresso ou auditável, já para as eleições de 2022.

Como já destacamos logo no início dessa checagem, a mensagem apresenta tom alarmista e erros de português, isso são sinais de que pode ser um texto desinformativo. Além disso, não foram divulgadas informações sobre o que foi tratado durante a reunião entre o presidente e o diretor da CIA, William Joseph Burns, que ocorreu no dia 1 de julho. No mais, informações indicam que a maioria dos políticos são contra a medida, o que não faz sentido pagar para que os mesmos votem contra.

Casos envolvendo Barroso e Moraes

A mensagem ainda destaca outras informações que não são comprovadamente verdadeiras, como a da chantagem de Dirceu a Barroso. O boato teria começado a se espalhar na internet após um tweet de Bolsonaro, sobre uma chantagem feita a um juiz estava fazendo com que a autoridade levantasse processos contra o presidente e os seus filhos. O presidente não deu nomes, de quem é o juiz e quem é a pessoa por trás da chantagem, apenas se dirigiu ao chantagista usando o nome fictício de “Daniel”. 

Os nomes de Barroso e Dirceu sequer aparecem na postagem, mas só isso foi o suficiente para os bolsonaristas começarem a supor que seriam o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e o ex-ministro. Tudo isso ligando a fatos passados já desmentidos por agências de fact-checking e sites de notícias. 

O boato nasceu de um texto atribuído a “João Macedo Costa – Jornalista Político”, que não existe. Barroso teria um “apartamento de luxo” em Miami, custeado pelo médium João de Deus, onde viveria “sua vida miserável de bissexual”. Barroso teria se encontrado com adolescentes “agenciados” por João de Deus e que José Dirceu, sabendo disso, teria gravado alguns encontros e chantageado o ministro. Falso.

Outro nome que a mensagem também apresenta é o de Alexandre de Moraes, o caso apresentado também é falso. O boato vem de uma foto manipulada que mostra presidiários da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) com uma faixa em apoio à indicação de Alexandre de Moraes ao Supremo Tribunal Federal. Na faixa da fotografia original, do fotógrafo Alex Silva (Estadão Conteúdo), que supostamente estava escrito o nome de Moraes, aparece a frase: “Contra a opressão”.  Ou seja, também é falso.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Kryssyno Oliveira

Referências da COAR:

Carta Capital

Fórum

O Hoje

G1

COAMOS: Pesquisa do Instituto Paraná aponta para vitória de Bolsonaro, contra Lula, em todos os estados?

Uma pesquisa de intenção de voto realizada pelo Instituto Paraná Pesquisas aponta para vitória de Jair Bolsonaro em todos os estados, em um possível confronto com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2022, na disputa pela presidência da República? Falso.

No site relativo à empresa não é possível encontrar dados que indicam a execução de aferimentos por estado, como consta na mensagem, compartilhada em grupos de WhatsApp e em outras redes sociais, como o Facebook.

O último levantamento feito pelo instituto foi divulgado no dia 07 deste mês e mostra que o capitão reformado venceria o petista no primeiro turno com uma diferença de apenas 3,4 % dos votos (32,7% contra 29,3). A sondagem foi encomendada pelo grupo Veja.

“[…] o presidente lidera nas quatro simulações de primeiro turno, com porcentuais que variam de 32,7% a 34,5% dos votos, sempre seguido de perto pelo petista. O mesmo contingente — 32,1% — diz que considera o seu governo ótimo ou bom. No segundo turno, ele está à frente dos principais rivais”, destacou a Revista Veja em reportagem publicada no dia 07 deste mês.

Foto: reprodução/Revista Veja

Em âmbito de estado, até o momento a empresa disponibilizou apenas os resultados de pesquisas eleitorais, para simular a disputa entre Bolsonaro e Lula, realizadas na Bahia e no Rio Grande do Sul: de forma individualizada. Os números revelados sobre os dois casos, diga-se de passagem, ajudam a confirmar que o levantamento divulgado nas redes sociais é falso.  

Se dependesse dos gaúchos, o atual presidente brasileiro venceria o pleito no primeiro turno com 30% das intenções de voto, contra 24,9% do ex-presidente. As informações foram retiradas pela nossa reportagem do endereço virtual do Paraná Pesquisas.

Na Bahia o cenário é diferente. Lula levaria a melhor, com 43,3% dos votos válidos, contra 24,6% de Jair Bolsonaro.

Na mensagem checada aqui pela nossa reportagem consta que o atual chefe do executivo brasileiro levaria a melhor com 69,39% de aprovação no Rio Grande do Sul e com 69,62% no estado da Bahia. Confira o conteúdo da mensagem falsa logo abaixo:

Pesquisa realizada hoje!
Paraná pesquisas registrado no TSE:
Bolsonaro Vence hoje em todos os estados, porque o povo quer que ele continue!


Acre: Bolsonaro 74,18 %


Alagoas:Bolsonaro 58,36%


Amapá: Bolsonaro 72,29%


Amazonas: Bolsonaro 66,18%


Bahia: Bolsonaro 69,62%


Ceará: Bolsonaro 67,46%


Distrito federal: Bolsonaro 71,25%


Espírito santo: Bolsonaro 80,70%


Goiás: Bolsonaro 77,25%


Maranhão: Bolsonaro 61,90%


Mato Grosso: Bolsonaro 60,36%


Mato Grosso Sul: Bolsonaro 54,55%


Minas:;Bolsonaro 62,81%


Pará: Bolsonaro 59,67%


Paraíba: Bolsonaro 60,91%
__
Paraná: Bolsonaro 67,88%


Pernambuco: Bolsonaro 68,09%


Piauí: Bolsonaro 65,71%


Rio Janeiro: Bolsonaro 69,72%


Rio Grande Norte:Bolsonaro 76,51%


Rio Grande Sul: Bolsonaro 69,39%


Rondônia Bolsonaro 69,85 %


Roraima: Bolsonaro 60,43%


Santa Catarina: Bolsonaro 82,41%


São Paulo: Bolsonaro 71,47%


Sergipe: Bolsonaro 61,13%


Tocantins: Bolsonaro 61,23%


COMPARTILHE E MOSTRE QUE O POVO CANSOU DE SER BESTA! PORQUÊ O POVO QUER RENOVAÇÃO !Se vc faz parte deste povo, confirme repassando a amigos essa aspiração de alguem honesto sentado na cadeira de presidente de um Brasil renovado ! Faça isso, e não se arrependerá. Tenho certeza.

Essa noticia não vai sair no Estadão, Folha, UOL, Facebook, Instagram, OGLOBO, JB, etc. TVs Globo, Band etc.

A COAR alerta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Retrospectiva: Checagens mais acessadas

2020 foi um ano difícil e repleto de desafios e surpresas. Com a pandemia da Covid-19, o volume de desinformações ascendeu consideravelmente na internet. Diante desse volume, a COAR surgiu em março para combater às fake news e os boatos sobre Covid-19, mas também sobre outras temas. Confira então as principais checagens desse ano em nosso Podcast:

https://open.spotify.com/embed-podcast/episode/4TYenw1O7wfIHwkwcM0Jal

Grupos de WhatsApp informam que Ciro Nogueira novamente espalha outdoors em apoio a Lula

O presidente nacional do Progressistas, senador Ciro Nogueira, e também alinhado ao governo de Jairo Bolsonaro (sem partido), tem seu nome envolvido novamente em uma imagem ao lado do ex-presidente Lula (PT). A imagem de fato é verdadeira, no entanto vem sendo utilizada fora de contexto e espalhada como se fosse atual por alguns perfis nas redes sociais e grupos de WhatsApp.

Imagem é fora de contexto e divulgada nas eleições de 2018

A imagem em questão é de 2018 quando Ciro Nogueira espalhou diversos outdoors com a sua imagem ao lado ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, na disputa pelo Senado Federal. Na época em entrevista a TV Cidade Verde, Ciro disse que seguiria com o Lula até o fim. Mesmo o ex-presidente ter sido preso em 7 de abril de 2018 após ter sido condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá (SP). Convém informar que Lula foi solto após 580 dias preso. Todavia, a parceria com Lula chegou ao fim e o senador atualmente apoia o presidente Jairo Bolsonaro (sem partido) e é o principal nome da oposição ao governador Wellington Dias (PT). 

Convém recordar que em 2013, o parlamentar defendeu a formalização de uma coligação inédita no plano nacional com o PT em apoio a reeleição da presidente Dilma Rousseff. O PP e o PT já estiveram juntos em disputas regionais, mas nunca tiveram para o Palácio do Planalto, essa foi a primeira vez. Já em 2014, o senador progressista esteve ao lado de Lula para apoiar a reeleição de Dilma Rousseff em vários eventos do partido petista. Na época, Dilma conseguiu vencer a disputa com mais de 54 milhões de votos.

Portal Cidade Luz – Ciro Nogueira acredita que Lula em ministério  reaglutina base de Dilma
O senador Ciro Nogueira apoiou a eleição, reeleição e também o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT)

No entanto em 2016, o partido de Ciro decidiu votar a favor da continuidade do processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, que iniciou em 2015 e encerrou em 31 de agosto de 2016. E mesmo tendo votado a favor do impeachment, o senador Ciro Nogueira chegou declarar em diversas entrevistas que a parceria com o governador do Piauí, Wellington Dias (PT), continuaria.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Marta Alencar

Referências da COAR:

Senado Federal

Correio Braziliense

Uol

TV Cidade Verde

COAMOS: Petição solicita cassação da concessão da Globo

Em grupos de WhatsApp que a COAR acompanha, verificamos uma petição pública que solicita a cassação da concessão da Rede Globo por parte do presidente Jair Bolsonaro. A COAR checou o link pelo celular e verificou que o mesmo é falso.

Petição falsa circula novamente em grupos de WhatsApp

A COAR alerta que a petição não tem validade legal e vem sendo utilizada desde o ano passado por meio de vários links falsos para roubar dados dos usuários. Além disso, esses sites que pedem para compartilhar com amigos geralmente são produzidos por golpistas.

O site Boatos já havia feito a verificação do conteúdo em 2019 e ressaltado que os usuários não devem assinar esses sites que pedem a cassação da Globo, porque não possuem valor legal algum.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Marta Alencar

China compra vacina da Oxford para distribuir a sua população e vende a chinesa ao Brasil?

Posts em redes sociais e sites de notícias publicaram erroneamente que a China comprou a vacina de Oxford para distribuir à sua população e que vendeu as opções que estão a ser desenvolvidas para o Brasil. No entanto, tais informações distorcem os fatos.

Até o momento, não existe nenhuma vacina ou fármaco comprovadamente eficaz na prevenção da Covid-19 — estão todas em diversas fases de ensaios clínicos.  Além disso, as parcerias que vêm sendo firmadas entre laboratórios para a produção da vacina contra o novo coronavírus não provam que governos nacionais preferem umas imunizações a outras, conforme aponta Aos Fatos em verificação do mês de setembro.

Posts virais sobre a vacina chinesa distorcem os fatos

As vacinas normalmente requerem anos de pesquisa e testes, mas os cientistas estão correndo para produzir uma vacina contra o coronavírus segura e eficaz no próximo ano . Os pesquisadores estão testando 48 vacinas em ensaios clínicos em humanos, e pelo menos 89 vacinas pré-clínicas estão sob investigação ativa em animais.

Uma empresa chinesa chegou a firmar um acordo para produzir localmente a vacina de Oxford, mas o governo chinês está disposto a consumir vacinas que sejam comprovadamente eficazes e que forem produzidas no próprio país. Das seis vacinas que atualmente estão na etapa mais avançada no mundo, quatro são chinesas. Vale acrescentar que no dia 22, o diretor-presidente da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), Antônio Barra Torres, explicou que a vacina de Oxford trabalha com insumos farmacêutico vindo da China. E ainda declarou que é quase impossível ter um produto feito 100% em um país. Mesmo com tantos impasses, a Anvisa liberou, na sexta-feira (23/10), seis milhões de doses da Coronavac.

Inúmeros perfis no Facebook publicaram o boato

Mas é importante informar que o presidente Jair Bolsonaro afirmou que a CoronaVac, imunizante desenvolvido pelo laboratório da China, Sinovac, não será comprada pelo governo, ainda que venha a possuir a autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A COAR ressalta que inúmeros boatos contra a vacina chinesa são proliferados na internet, inclusive uma publicação no site da Rede Nacional de Combate à Desinformação (RNCD), originalmente produzido pelo Nujoc Checagem, aborda sobre o aumento da riqueza dos chineses na pandemia. Geralmente, conteúdos falsos ou até verdadeiros são compartilhados para denegrir os chineses conforme apontado pelo Nujoc Checagem.

Escrito por: Marta Alencar

Referências da COAR:

Rede Nacional de Combate à Desinformação

New York Times

CNN

Observador

Correio Braziliense

VERIFICAMOS: Lula vendeu solo brasileiro para Canadá conforme documento secreto?

Um conteúdo divulgado em redes sociais com a imagem do ex-presidente Lula (PT), informa que o mesmo “vendeu o solo brasileiro para empresários canadenses” explorarem os minérios. Desde 2019, conteúdos semelhantes vêm sendo divulgados quando o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fez denúncias graves contra o ex-presidente Lula, declarando que ele havia autorizado, via decreto secreto, aos canadenses explorarem, sem concorrência o potássio no rio Madeira, em Rondônia. O mesmo tom da declaração vem sendo publicado desde então, mas mudando apenas alguns termos e variando quem são os estrangeiros. Uma hora é citado canadenses, noruegueses, chineses, entre outros.

Postagens no Instagram e no Facebook já chegaram a alegar que Lula  teria “vendido o solo [da Amazônia] para a Noruega em documento secreto” e que o país arrecadaria “2 bilhões ao ano” com a companhia, mas devolve “180 milhões” para consertar o “estrago” que teria causado. No entanto, tanto o primeiro como o segundo conteúdo, são falsos. Inclusive o Projeto Comprova, Estadão e Folha publicaram a verificação sobre isso.

Pela constituição brasileira, as riquezas minerais do país pertencem à União e não ao proprietário da terra onde elas se encontram. Ou seja, o proprietário do solo (terreno, fazenda, sítio, etc.) não é dono do subsolo. Além disso, o órgão que regulamenta e fiscaliza a pesquisa, extração e comercialização de bens minerais no país é o DNPM (Departamento Nacional de Produção Mineral), do Ministério de Minas e Energia conforme informado na Legislação Mineral Brasileira.

De acordo com a verificação do Comprova: o conteúdo foi classificado como enganoso e falso, pois as riquezas do subsolo não podem ser vendidas. Ainda segundo a verificação, as transações não foram secretas. Há textos sobre elas publicados nos sites das empresas citadas (no caso em postagens anteriores citavam os nomes da mineradora multinacional brasileira, Vale, e a empresa norueguesa, Hydro).

A COAR classifica o conteúdo como falso, pois é 100% fabricado e com o intuito de manipular a opinião dos usuários.

Escrito por: Marta Alencar

Referências da COAR:

Estadão Verifica

Folha

Comprova

É FALSO que repórter ataca filha de Bolsonaro e presidente reage. Dezenas de sites replicaram o conteúdo sem verificação

Vários sites, canais no Youtube e perfis no Facebook de extrema direta divulgaram a seguinte matéria: “Repórter ataca filha de Bolsonaro e presidente reage: “vontade de encher sua boca de porrada”. Diante da repercussão dos conteúdos em grupos, a COAR elencou dezenas de páginas que replicaram o conteúdo sem qualquer verificação dos fatos. Pois, o conteúdo é falso.

Foto: Marcos Corrêa/PR

Algumas páginas que replicaram o conteúdo: Site Terra Brasil Notícias; Blog Rota2014; Canal no Youtube Joaquim Gomes Direto de Brasília e Blog Atualize Notícias.

A verdade é que no domingo (23) ao se dirigir para a Catedral de Brasília, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) rodeado de manifestantes e repórteres foi questionado por um jornalista do “O Globo” sobre cheques no valor total de R$ 89 mil que teriam sido depositados entre 2011 e 2016 pelo ex-assessor Fabrício Queiroz e pela esposa dele, Márcia Aguiar, na conta da primeira-dama, Michelle Bolsonaro.

Diante do questionamento, Bolsonaro declarou que tinha vontade de agredir o jornalista. Ou seja, o repórter não questionou em nenhum momento sobre a filha do presidente.

A COAR alerta que, geralmente, textos maliciosos utilizam informações verdadeiras, mas fora de contexto no início (primeiros parágrafos) e em seguida distorce os dados e acrescenta informações falsas e sem fundamentação no restante do texto.

Escrito por: Marta Alencar

Referências da COAR:

Uol

Poder360