ANÁLISE COAR: Teorias conspiratórias e sem fundamento sobre voto impresso

O atual presidente da República, Jair Bolsonaro, insiste duvidar do sistema eleitoral vigente no país. Uma das últimas declarações do mandatário sobre o assunto foi divulgada através do canal Migalhas no YouTube e gerou, aliás, discussões entre internautas.

Na gravação Bolsonaro puxa coro para a aprovação da PEC que institui o voto impresso já para os próximos pleitos e ameaça até uma intervenção caso o Congresso não valide a proposta. De acordo com o chefe do executivo federal, o voto impresso “é uma maneira de termos uma eleição limpa”.

“É uma maneira de termos uma eleição limpa, se não tivermos, vamos ter problemas para no ano que vem; eu estou me antecipando a problemas no ano que vem… Como está aí, a fraude está escancarada”, disse o mandatário.

O presidente também faz um sério ataque ao Supremo Tribunal Federal: “Existe uma articulação de três ministro do Supremo para não ter o voto auditável”, e outro direcionado ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

“Tiraram o Lula da cadeia, tornaram ele elegível para ele ser presidente na fraude. E isso não vai acontecer”, acrescentou Jair Bolsonaro.

Mas, afinal, o que tem de verdade em todas essas declarações? Vamos às análises.

Não há nada que comprove a fragilidade do sistema de votação através de urnas eletrônicas. O modelo foi implantado há 25 anos no Brasil.

“É um processo seguro, é um processo auditável, tanto que hoje nós não tivemos nenhuma notícia com nada comprovando qualquer tipo de fraude na urna eletrônica ou qualquer equipamento associado a ela”, disse Anderson Lima, secretário de Tecnologia da Informação do TER-PI, em entrevista à rádio Teresina FM nesta segunda-feira (26).

Também não há informações que levantem suspeitas sobre a articulação de três ministros do STF, como destacou o presidente, para barrar a instituição do voto impresso ou auditável.

E sobre Lula, realmente ele foi solto para viabilizar sua candidatura à presidência da República em 2022? Não existe nada que comprove o fato, ou seja, não passa de uma suposição. Jair Bolsonaro não apresentou, durante a entrevista, provas comprovando a veracidade das declarações.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Wanderson Camêlo

Referências da COAR

COAMOS: Rodrigo Pacheco (DEM -MG) acatou projeto de voto impresso?

O voto impresso é defendido pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), e alguns aliados, e questionado por outros políticos, como o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), entre eles, o presidente do órgão, Luís Roberto Barroso.

Algumas das informações a respeito do tema podem ser imprecisas ou falsas. Uma delas, COADA por nossa equipe, afirma que o presidente do Senado acatou o projeto de voto impresso e que uma consulta pública teria sido aberta no site da Casa.

A nossa equipe analisou o conteúdo recebido para verificar a veracidade das informações apresentadas na mensagem  e constatamos que ela é falsa. Pacheco não acatou o projeto de voto impresso, como destaca a mensagem. O presidente não possui poder para decidir isso sozinho. Além disso, há diversas versões da mesma mensagem encontradas na internet e algumas com alterações no texto.

O canal de checagem de fatos do Senado, Senado Verifica, também já desmentiu o conteúdo e apontou algumas informações como imprecisas, como a enquete trazida pela mensagem. Na verdade, ela é uma ideia legislativa apresentada em 2018 que pede “voto impresso em 100% das urnas” para ser analisada pelos senadores, e que foi transformada em sugestão após 20 mil apoios.

Ainda com relação a enquete, de acordo com o Senado, ela deve antes ser votada na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH). Se for aprovada pelos senadores, terá andamento como projeto de lei e seguirá os procedimentos previstos no processo legislativo. Após votação no Senado ainda terá que ser analisada pela Câmara dos Deputados e, se aprovada, poderá ser encaminhada à sanção presidencial para ser transformada em lei.  

Em algumas versões da mesma mensagem, o texto pede para que as pessoas votem o quanto antes, pois a votação está perto de ser encerrada, o que não é verdade. A enquete permanece em aberto até o final da tramitação. 

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Kryssyno Oliveira

Referências da COAR:

Senado Verifica

CNN Brasil

Correio Braziliense

RECIPIENTE DE PLÁSTICO PODE SER USADO PARA GUARDAR ALIMENTOS? – Curiosidade sobre bisfenol-A

A utilização de recipientes de plástico é comum na grande maioria dos lares, uma vez que se pode reutilizar embalagens de outros produtos, ou até mesmo podem ser adquiridos de todos os tamanhos e formatos para fazer coleção nas prateleiras da cozinha. Porém, nem sempre o que é bonito aos olhos fará tão bem a nossa saúde, e por isso que se deve ter cuidado e acesso à informação correta para uma utilização cautelosa. Mas o que poderia conter nesses recipientes que nos levasse a uma certa preocupação?

Há um tipo de substância presente nas vasilhas que chamamos de bisfenol-A (BFA), que desde seu descobrimento vêm sendo amplamente utilizado nas indústrias para produzir materiais em geral, por isso podemos encontrar em variados tipos de objetos de em nosso cotidiano. E com a grande produção também é realizado estudos para avaliar os efeitos de tal substância, e em muitos deles, é constatado que o BFA possa estar relacionado algumas doenças bem comuns como diabetes mellitus tipo II e até mesmo câncer.

Essa substância entra em contato com alimentos ou líquidos armazenados em recipientes de plásticos ou enlatados, principalmente quando resfriados ou aquecidos, e esse aumento de BFA foi possível ser detectado em humanos acima de 6 anos no estudo internacional. Outros relacionaram o consumo de alimentos e líquidos enlatados ou armazenados em plásticos, com o aumento do tumor de mama. Mas calma, não é necessário entrar em desespero e parar imediatamente o uso dos recipientes e garrafas.

Os estudos que analisam algumas doenças com o BFA necessitam ser aprimorados e melhor relacionados para se ter um resultado bem mais preciso, porém, o que já nos é disponibilizado pela comunidade científica pode ser posto em prática e assim reduzir os futuros riscos. Primeiramente pode-se evitar aquecer alimentos em vasilhas de plástico, ou colocar algo quente nas mesmas, espere esfriar para assim guardar. Evite usar diariamente garrafas de plástico para congelar líquidos, ou até mesmo colocar café, chás ou outras preparações quentes.

O ideal é utilizar vasilhas de vidro, mas como o custo ainda é muito elevado, então a alternativa é reduzir o uso dos recipientes plásticos, e fazer o uso de forma menos prejudicial possível. Lembrando que toda e qualquer doença será desenvolvida por um conjunto de fatores e não apenas pelo BFA. A notícia boa é que já estão estudado novas substâncias que são menos prejudiciais para saúde e mais biodegradáveis, o que facilitará a nossa qualidade de vida.

Escrito por: Ana Rafaela Silva Pereira

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Ciências e Saúde, UFPI.

Pós-Graduanda da Especialização em Nutrição Oncológica.

REFERÊNCIAS

MALUF, E.M.C. et al. Contaminação em larga escala por Bisfenol-A: estamos conscientes do risco e formas de exposição? Ciências & Saúde Coletiva. 25(11),2020. Doi: 10.1590/1413-812320202511.01852018 

MOKBEL, K.; WAZIR, U. Bisphenol A: A Concise Review of Literature and a Discussion of Health and Regulatory Implications. In Vivo. 33(5):1421-1423, 2019. Doi: 10.21873/invivo.11619.

SEACHRIST, D.D. et al. A review of the carcinogenic potential of bisphenol A. Reproductive Toxicology. 59:167-182, 2016. Doi:  10.1016 / j.reprotox.2015.09.006

Lázaro Barbosa escapou da Polícia em direção ao Piauí?

Mais um conteúdo impostor e com tom satírico é divulgado nas redes sociais e em grupos de WhatsApp sobre a fuga de Lázaro Barbosa de Sousa, suspeito de uma série de crimes no Distrito Federal e em Goiás. O criminoso é citado em vários memes na internet, no entanto, alguns levam desinformação também ao distorcerem conteúdos com a logo e com links falsos de sites jornalísticos.

Dessa vez o Portal G1 (O portal de notícias da Globo) foi alvo dessa desinformação. Onde um link falso informava que Lázaro estava vindo em direção ao Piauí. Ao clicar no link, o usuário é direcionado a um meme com o humorista Tiririca:

A COAR alerta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Marta Alencar

Lázaro é capturado por policiais?

É falso o vídeo que vem sendo divulgado em inúmeros grupos de WhatsApp de que Lázaro Barbosa de Sousa, suspeito de uma série de crimes no Distrito Federal e em Goiás foi encontrado por policiais. Ele está sendo foragido desde 2016 e tem extensa ficha criminal, segundo a polícia. Infelizmente o criminoso ainda não foi encontrado.

O vídeo verdadeiro é de janeiro deste ano e mostra o momento em que um homem não identificado foi preso por cometer furtos de fios elétricos em uma igreja localizado na avenida Camapuã, no bairro Cidade de Deus, na Zona Norte de Manaus. O suspeito se escondeu dentro de uma freezer para despistar a polícia conforme reportagem do site Imediato.

A COAR alerta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Marta Alencar

Sátira: Imagem do criminoso Lázaro Barbosa de Sousa com Lula é divulgada em grupos de WhatsApp

É frequente encontrarmos na internet imagens que viralizam com conteúdos sátiros sobre políticos no país, incluindo o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, Lula, do Partido dos Trabalhadores (PT). A mais recente é do ex-presidente ao lado de Lázaro Barbosa de Sousa, 32 anos, que vem realizando uma série de ataques em casa e chácaras e matou quatro pessoas de uma mesma família. Nas redes sociais, o suspeito é popularizado como ‘serial killer de Brasília’.

A imagem é questão (abaixo) é manipulada e não condiz com a verdade, não passando de sátira com tom de deboche sobre a real situação do criminoso.

Foto/Reprodução WhatsApp

A verdadeira imagem condiz com o ex-presidente Lula ao lado do ex-candidato a prefeito de São Paulo Guilherme Boulos (Psol).

Lula declara apoio a Boulos em São Paulo para 'restabelecer democracia no  Brasil' | Política: Diario de Pernambuco
Foto: Ricardo Stuckert/Divulgação

A foto é de 2018 e feita durante uma convocação geral do PT em São Bernardo do Campo, após o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública,  Sergio Moro, determinar a prisão de Lula quando exercia o cargo de juiz. O ato, convocado pelo Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, reuniu cerca de 5000 pessoas, de acordo com o sindicado, e várias figuras famosas da política brasileira, como a ex-presidente Dilma Rousseff e a presidente do PT Gleisi Hoffmann.

Luiz Marinho, Gleisi Hoffmann, Lula, Dilma e Boulos em São Bernardo. Foto: Reprodução/Brasil de Fato

A COAR alerta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Marta Alencar

Prêmio Nobel de Medicina declarou que vacinados contra a Covid-19 irão morrer em dois anos?

Uma imagem compartilhada nas redes sociais afirma que o virologista francês e professor Luc Montagnier, que também é vencedor do Prêmio Nobel de Medicina de 2008 declarou que pessoas vacinadas contra o novo coronavírus irão morrer em dois anos. A COAR checou a imagem abaixo com texto:

Reprodução/WhatApp

O conteúdo checado pela COAR é falso. O primeiro ponto que a COAR observa é a forma como o texto está escrito, em tom alarmante, de que as pessoas vacinadas irão morrer em dois anos, o que cientificamente não é verdade. O segundo ponto que torna a mensagem falsa é a manipulação do texto, que durante a entrevista citada o virologista teria falado sobre mortes, e na original, do site americano “RAIR Foundation“, Prof. Montagnier falou da criação de variantes da Covid-19 por meio das vacinas. O próprio veículo também divulgou uma notícia desmentindo o fato deturpado.

Variantes

Alguns especialistas já debateram sobre a suposta teoria de que as vacinas criam variantes, o que também não é verdade, já que a função delas é treinar e preparar as defesas naturais do corpo – o sistema imunológico – para detectar e combater vírus e bactérias selecionados. Se o corpo for subsequentemente exposto a esses patógenos, estará pronto para destruí-los imediatamente, evitando doenças.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), todas as vacinas usadas para a imunização são seguras e protegem contra as formas graves e críticas da doença. Além disso, é necessário que todas as pessoas sejam imunizadas o quanto antes, para evitar que o vírus circule entre as pessoas, mesmo naquelas já imunizadas. 

“Mesmo quem já se vacinou, deve continuar com as demais medidas de prevenção: manter distanciamento físico, evitar aglomerações, usar máscara corretamente, higienizar frequentemente as mãos e manter ambientes arejados”, recomenda a SBI, pois, mesmo quem já se vacinou pode vir a contrair o vírus e transmitir para outras pessoas.

Outra recomendação dos especialistas é com relação às doses, é necessário que todas as pessoas tomem as duas doses das vacinas, pois nenhum imunizante é 100% eficaz. É preciso estar atento ao calendário de vacinação, do estado ou cidade, e não perder prazo.

Vacinação

De acordo com o Vacinômetro, ferramenta de monitoramento de vacinação do Ministério da Saúde, no Brasil, até o dia 02/06, cerca de 68.244.216 brasileiros já foram imunizados contra à Covid-19, sendo 45.940.210 pessoas com a primeira dose e 22.304.006 pessoas com a segunda dose.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Kryssyno Oliveira

Referências da COAR:

Organização Mundial da Saúde (OMS)

RAIR Foundation

Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI)

Ministério da Saúde

COAR lança cursos educacionais com preços acessíveis para acadêmicos e profissionais

Neste primeiro semestre, a COAR está lançando uma extensão educacional: COAR EDUCA para oferecer cursos técnicos com professores para manutenção do projeto, principalmente para custos do site e da equipe. O projeto não recebe doações, mas já recebeu em junho de 2020 de amigos próximos da fundadora. Mas todo o dinheiro foi entregue para ex-membros, exceto para a fundadora.
Diante dos custos em manter o projeto há mais de um ano, sem apoio de empresas, instituições e doações, a COAR decide seguir os passos de grandes projetos de fact-Checking no Brasil, como a Lupa e Aos Fatos.
É a primeira vez que a COAR lança a extensão focada em levar conhecimento de fácil acesso, online e com custo quase zero. No ano passado, a COAR divulgou um evento nacional sobre desinformação, que ganhou notoriedade e centenas de inscrições.

A primeira Edição do COAR Educa contará com três cursos, exibidos no período de 24 a 25 de junho, em uma plataforma digital. Os cursos contam com professores, apoiadores do projeto.

“Redação jornalística para a Web” com Ruthy Costa

Mestra em Comunicação pela Universidade Federal do Piauí (PPGCOM/UFPI) com pesquisa na linha Processos e Práticas do Jornalismo. Graduada em Comunicação Social – Jornalismo e Relações Públicas pela Universidade Estadual do Piauí (UESPI). Membro do Núcleo de Pesquisa em Jornalismo e Comunicação – NUJOC/UFPI. Professora no Instituto de Educação Superior Raimundo Sá (IESRSA).

“Marketing Digital” com Rannyelle Andrade

Mestranda em Comunicação pela Universidade Federal do Piauí (PPGCOM/UFPI), Especialista em Comunicação, Mídias Sociais e Marketing Político. Docente do Ensino Superior, Administração Estratégica e membra do Núcleo de Pesquisa em Estratégia em Comunicação (NEPEC/UFPI). A pesquisadora desenvolve pesquisas em Marketing, Mídias Sociais, Comunicação Política, Análise de Discurso e Estratégia de Dados.

“Fact-checking: técnicas de checagem para jornalistas” com Victor Martini Gabry

Pesquisador em desinformação e agências de checagem na Universidade Federal Fluminense (UFF) e repórter checador no Coletivo Bereia (RNCD).

Para os interessados, basta fazer a inscrição por aqui.

Os três cursos custarão apenas R$ 30. Os cursos serão realizados de 24 a 25 de junho de 2021. Os horários serão divulgados em breve.

Todos os valores arrecadados e o que for realizado com os investimentos serão apresentados na seção Transparência.

Boticário: Link de Promoção do Dia das Mães é falso

É comum encontrarmos na internet, golpistas que utilizam a marca verdadeira de empresas, inclusive o link oficial do site de organizações de forma maliciosa para dar maior credibilidade aos seus conteúdos ao mesmo tempo que utilizam links enganosos para aplicar golpes. A marca de cosméticos O Boticário é um alvo frequente.

Leitora da COAR pedindo esclarecimento sobre o link

Recentemente, há um link que vem sendo divulgado sobre uma promoção para o Dia das Mães com produtos da empresa. Para conseguir a tal promoção, o usuário teria que clicar em um link malicioso —portanto a avisa: Não clique ou compartilhe, pois o link não corresponde ao verdadeiro da empresa. Além disso, não há qualquer informação sobre essa suposta promoção no site da marca, embora existam sim kits promocionais.

A COAR alerta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Marta Alencar

Pesquisa da Defensoria Pública do Rio de Janeiro sobre vacinação em Duque de Caxias é verdadeira?

A COAR recentemente recebeu uma mensagem que fala de uma pesquisa da Defensoria Pública do Rio de Janeiro, que é acompanhada por um documento — PDF — que diz respeito a uma pesquisa levantada pelo órgão para apurar irregularidades diante das aplicações da segunda dose da vacina contra o novo Coronavírus (Covid-19).

Foto: reprodução/WhatsApp

A COAR entrou em contato com a Defensoria Pública do Rio de Janeiro, que confirmou a autenticidade do documento. “Diante de inúmeras notícias de pessoas que não conseguiram receber a 2ª dose da vacina contra a COVID-19 no município de Duque de Caxias, a Defensoria Pública vem buscar informações mais concretas sobre essas pessoas, a fim de que medidas judiciais possam ser tomadas”, disse o órgão em resposta ao nosso e-mail.

No mais, até o fechamento desta checagem, a Defensoria não forneceu mais informações a respeito da pesquisa em si. Também não encontramos nada referente à mesma nos canais de comunicação — site e redes sociais — da Defensoria Pública e em outros veículos de notícias.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Kryssyno Oliveira