Pesquisa da Defensoria Pública do Rio de Janeiro sobre vacinação em Duque de Caxias é verdadeira?

A COAR recentemente recebeu uma mensagem que fala de uma pesquisa da Defensoria Pública do Rio de Janeiro, que é acompanhada por um documento — PDF — que diz respeito a uma pesquisa levantada pelo órgão para apurar irregularidades diante das aplicações da segunda dose da vacina contra o novo Coronavírus (Covid-19).

Foto: reprodução/WhatsApp

A COAR entrou em contato com a Defensoria Pública do Rio de Janeiro, que confirmou a autenticidade do documento. “Diante de inúmeras notícias de pessoas que não conseguiram receber a 2ª dose da vacina contra a COVID-19 no município de Duque de Caxias, a Defensoria Pública vem buscar informações mais concretas sobre essas pessoas, a fim de que medidas judiciais possam ser tomadas”, disse o órgão em resposta ao nosso e-mail.

No mais, até o fechamento desta checagem, a Defensoria não forneceu mais informações a respeito da pesquisa em si. Também não encontramos nada referente à mesma nos canais de comunicação — site e redes sociais — da Defensoria Pública e em outros veículos de notícias.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Kryssyno Oliveira

Lista de líderes mais corruptos do mundo é falsa

A COAR recentemente recebeu uma mensagem que fala sobre uma lista da Transparência Internacional com os líderes mais corruptos do mundo. O levantamento apontou o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) como primeiro colocado.

Foto: Reprodução/WhatsApp.

Confira a mensagem completa:

“Divulgado pela revista Veja Oeste, o ex-Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva entrou para o ranking dos líderes mais corruptos da história da humanidade.

E adivinhe só: Lula é o número 1 da lista.

Uma vitória para o Brasil (ironia).

O Partido dos Trabalhadores (PT) é considerado o partido que mais roubou um país na história. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), a corrupção durante a era Lula e Dilma pode ter sido de aproximadamente 206 bilhões de dólares, ao longo dos 13 anos do PT no poder.

Considerando que Lula é o líder supremo do partido, e esteve nos bastidores controlando tudo enquanto Dilma era Presidente da República entre 2010 e 2015, o petista pode assumir o topo da lista dos líderes mais corruptos do mundo.

“A lista foi realizada pela Organização Não-Governamental de anti-corrupção que é sediada na Alemanha, chamada Transparência Internacional.

Veja abaixo a lista com os 10 líderes mais corruptos do mundo, que inclui Lula na primeira posição:

Ex-presidente do Brasil, Lula ($ 206 bilhões – entre 2003 e 2015)

Ex-presidente da Indonésia, Suharto ($ 15 bilhões – $ 35 bilhões entre 1967 e 1998)

Ex-presidente das Filipinas, Ferdinand Marcos ($ 5 bilhões – $ 10 bilhões entre 1972 e 1986)

Ex-presidente do Zaire, Mobutu Sese Seko ($ 5 bilhões entre 1965 e 1997)

Ex-chefe de Estado da Nigéria, Sani Abacha ($ 2 bilhões – $ 5 bilhões entre 1993 e 1998)

Ex-presidente da Iugoslávia e da Sérvia, Slobodan Milošević ($ 1 bilhão entre 1989 e 2000)

Ex-presidente do Haiti, Jean-Claude Duvalier ($ 300 milhões – $ 800 milhões entre 1971 e 1986)

Ex-presidente do Peru, Alberto Fujimori ($ 600 milhões entre 1990 e 2000)

Ex-primeiro-ministro da Ucrânia, Pavlo Lazarenko ($ 114 milhões – $ 200 milhões entre 1996 e 1997)

Ex-presidente da Nicarágua, Arnoldo Alemán ($ 100 milhões entre 1997 e 2002)

Ex-presidente das Filipinas, Joseph Estrada ($ 78 milhões – $ 80 milhões entre 1998 e 2001)

“PT NUNCA MAIS”

A informação checada pela COAR é falsa. Diversas agências de checagens no Brasil já haviam realizado checagens da mesma lista, que circula pela internet desde 2004. Desta vez com algumas mudanças, mas com os mesmos dados, é possível ver que o link da informação está direcionado para o site de notícias No Momento, que teve a notícia apagada.

Notícia de lista falsa é apagada de site. Foto: Reprodução.

Outra ponto importante diz respeito à “revista Veja Oeste”; analisamos que o nome do veículo de comunicação é falso. Não existe o meio de comunicação citado, mas o portal Veja Oeste, que publicou a lista dos líderes no ano passado, mas ela foi tirada do ar. A COAR conseguiu acessar a notícia por meio de uma ferramenta de busca. O uso da palavra revista pode gerar uma confusão no leitor, pois se associa aos nomes das tradicionais revistas Veja, da editora Abril, e Oeste. Nenhuma delas postou algo relacionado à lista em questão.

Já a lista dos líderes mais corruptos também é falsa. Não encontramos nenhuma lista ou ranking a respeito no site oficial da Transparência Internacional. Por outro lado, a Transparência Internacional, que é uma organização mundial de combate a corrupção no mundo, divulga anualmente o Índice de Percepção da Corrupção (IPC), que é o principal indicador de corrupção do mundo.

Ele avalia 180 países e territórios e os atribui notas em uma escala entre 0 (quando o país é percebido como altamente corrupto) e 100 (quando o país é percebido como muito íntegro). Em nenhuma das suas edições foi destacada a lista citada na mensagem. A sua última edição é a de 2020, clique aqui para conferir.

Também não encontramos nada referente ao valor de U$ 206 bilhões de dólares com base no Ministério Público Federal (MPF), como aponta a mensagem, ou seja, é falso.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Kryssyno Oliveira

Referências da COAR

Transparency International

Transparência Internacional Brasil

Ministério Público Federal (MPF)

COAMOS: Magazine Luiza está dando presentes em comemoração aos seus 60 anos?

A COAR recebeu uma mensagem com um link de promoção do aniversário de 60 anos da Magazine Luiza, que a clicar no mesmo, a pessoa é direcionada para uma página na internet e deverá jogar um jogo para ganhar um presente.

Foto: Reprodução/WhatsApp

A mensagem é falsa, primeiro porque a loja não está completando 60 anos em 2021, mas 64 anos. Atualmente ela tem 63 anos. Além disso, a Magazine Luiza não divulgou nenhuma promoção de aniversário que distribui presentes, como aponta a mensagem, nem mesmo no período em que completava 60 anos, que foi em 2017.

A mensagem se torna mais falsa ainda devido ao link, a formação dele não segue o padrão do site oficial da Magazine Luiza que é https://www.magazineluiza.com.br/.

Este tipo de mensagem costuma circular bastante no aplicativo de mensagens WhatsApp e em outras redes sociais. O objetivo na maioria das vezes é danificar o aparelho celular ou computador da pessoa ou roubar dados pessoais. A COAR pede para que, caso você receba a mesma mensagem ou outra do tipo, não clique no link e nem compartilhe.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Kryssyno Oliveira

Referências da COAR

Magazine Luiza

COAMOS: Chapecó é exemplo no combate à Covid-19?

A COAR recebeu o link de uma entrevista onde o prefeito de Chapecó (SC), João Rodrigues (PSD), fala dos trabalhos executados durante o aumento de casos do novo Coronavírus (Covid-19), registrado no final de janeiro a março deste ano. A postagem é direcionada para a página no Facebook do deputado federal Carlos Jordy (PSL).

Entrevista do prefeito de Chapecó (SC), João Rodrigues (PSD), na Jovem Pan News. Reprodução/Facebook.

O vídeo acima é verdadeiro. A entrevista ocorreu no programa “Os Pingos nos Is” da rádio e TV na internet Jovem Pan News.

A cidade de Chapecó virou notícia nacional após ser apresentada como ‘cidade de exemplo a ser seguida’.

Como já foi destacado várias vezes aqui na COAR, o chamado tratamento precoce não tem comprovação científica. No entanto, o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), e outras pessoas continuam afirmando que a ação é eficaz contra a Covid-19.

Segundo João Rodrigues, o tratamento precoce deu certo em Chapecó. Porém, a queda de casos, na verdade, ocorreu por conta dos 14 dias de lockdown, com a ampliação de leitos, testagem rápida e isolamento das pessoas. O tratamento precoce é discutido pelo prefeito desde que assumiu o cargo no começo deste ano, durante a primeira reunião oficial de sua gestão. João Rodrigues, destacou que a medida não era obrigatória, mas tinha que estar disponível e não ficaria ninguém entubado na UTI por falta de tratamento precoce.

Além disso, é importante destacar que os casos da doença em Chapecó não foram zerados e sim reduzidos. A referência de que a cidade zerou os casos é com relação aos dados do Centro Avançado de Atendimento Covid-19 (CAAC), montado no Centro de Eventos de Chapecó, que teve as duas enfermarias e a Unidade de Terapia Semi-Intensiva (UTSI) desativadas após as altas e transferências de pacientes para outras unidades.

A medida de isolamento na cidade já foi suspensa e os leitos temporários foram desativados, porém, seguem montados como prevenção caso haja uma nova onda de infecções.

Amento de casos

No dia primeiro de janeiro deste ano, Chapecó tinha 14.569 casos, 123 óbitos e 69 internações. Durante o período em que a cidade se encaminhava para um novo pico, o poder público começava a flexibilizar as medidas de restrições do funcionamento de alguns setores econômicos. 

Nesse período, em 25 de janeiro, durante uma reunião do comitê do Comitê de Enfrentamento à Covid-19, um médico sugeriu mais capacitação dos profissionais e o uso de tratamento precoce quando as pessoas apresentarem sintomas da Covid-19 para diminuir o impacto da doença e salvar vidas. Na data, a cidade tinha 16.148 casos, 136 óbitos e 54 internações.

A maior quantidade de internações foi no dia 10 de fevereiro, com 105 internações, 145 óbitos e 18.051 casos. Os aumentos, depois desse dia só continuaram, que foi quando o prefeito passou a adotar medidas de restrição.

Do dia em que o lockdown foi anunciado, em 12 de fevereiro, Chapecó tinha 18.510 casos, 147 óbitos e 129 internações. A cidade chegou até o final da medida de restrição, anunciada no dia 04 de março, com 314 internações, 321 óbitos e 27.364 casos.

No dia 05 de março, a cidade registrou 351 internações, 326 óbitos e 27.629 casos. No dia seguinte, as internações seguiram em queda, mas os casos e óbitos continuaram a aumentar. (Clique aqui para conferir todos os boletins epidemiológicos).

Boletim epidemiológico de casos da Covid-19 em Chapecó do dia 10/04. Foto: reprodução/prefeitura de Chapecó

Medicamentos e tratamento precoce

Em nota, a Associação Médica Brasileira (AMB), afirma que o uso de medicamentos como hidroxicloroquina/cloroquina, ivermectina, nitazoxanida, azitromicina e colchicina, entre outras drogas, não possuem eficácia científica no tratamento – tratamento precoce – ou prevenção da Covid-19, seja na fase inicial ou avançada. 

As medidas preventivas de acordo com diversas entidades de saúde são: uso de máscaras, higienização frequente das mãos, distanciamento social e a proteção de olhos e mucosas, como pontua o Conselho Federal de Medicina (CFM).

As duas entidades afirmam ainda que a vacinação em massa de todos os brasileiros é a medida mais eficaz no combate à Covid-19. Até o momento, de acordo com a ferramenta de monitoramento de vacinação do Governo Federal, o Vacinômetro, cerca de 26.483.297 doses foram aplicadas.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Kryssyno Oliveira

Referências da COAR

Os Pingos nos Is

Jovem Pan News

Prefeitura de Chapecó

TV Agência Brasil

G1/SC

Associação Médica Brasileira (AMB)

Conselho Federal de Medicina (CFM)

COAMOS: Reportagem nacional sobre a Vila Irmã Dulce é imprecisa

Uma reportagem veiculada na Rede Record sobre a Vila Irmã Dulce, bairro localizado na zona sul de Teresina, gerou a revolta de muitos moradores do local. O conteúdo foi ao ar no dia 1° deste mês, no programa Cidade Alerta, e afirma, dentre outras coisas, que a região foi dominada por facções criminosas.

O vídeo circulou massivamente nas redes sociais e chegou a ser replicado por meios de comunicação locais. Na reportagem é dito ainda que o posto de saúde localizado no bairro, devido a supostas pressões de facções, prioriza o atendimento a criminosos e que há a imposição de toques de recolher.

Foto: reprodução/Rede Record

Checamos a gravação e foi possível deduzir que as informações veiculadas são imprecisas. O equívoco diz respeito a um crime retratado logo no início da reportagem para reforçar a suposta dominação de facções no bairro.

O caso ocorreu, na verdade, no vizinho município de Timon (Maranhão), especificamente no bairro Formosa, no dia 03 de março deste ano.

As cenas são do espancamento de um jovem conhecido como “Peladinha”. Depois de agredido, ele aparece sendo levado, pelos braços e pernas, para a carroceria de uma caminhonete. De acordo com matérias veiculadas na imprensa local, à época do acontecido, a hipótese é de que o jovem tenha sido levado para a execução.

Aliás, o Conselho de Presidentes das Associações da Irmã Dulce, através de extensa nota divulgada na imprensa local, rebateu esse e os demais pontos elencados na reportagem.

No entanto, é impossível colocar em cheque todo o conteúdo jornalístico. Citamos, por exemplo, a afirmação sobre a presença massiva de facções criminosas na comunidade.

Em janeiro de 2020, a própria Secretaria de Segurança Pública do Piauí, pela primeira vez, assumiu a presença de grupos como o Bonde dos 40 e o Primeiro Comando da Capital (PCC), destacados na reportagem, em todo o estado.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Wanderson Camêlo

Referências da COAR

Portal Cidade Verde

Portal GP1

Portal Meio Norte