COAMOS: José Dirceu faz chantagem com ministro do STF, Luís Roberto Barroso?

Em meio há diversas mensagens em notícias no período atual, é preciso cuidado com o que se recebe e lê. Recebemos no WhatsApp uma mensagem com tom alarmista e erros de português dando uma notícia sobre a reunião do presidente Jair Bolsonaro com o diretor da CIA, e que José Dirceu estaria articulando no exterior “R$ 5 milhões” para deputados e senadores votarem contra a medida que estabelece o voto impresso ou auditável, já para as eleições de 2022.

Como já destacamos logo no início dessa checagem, a mensagem apresenta tom alarmista e erros de português, isso são sinais de que pode ser um texto desinformativo. Além disso, não foram divulgadas informações sobre o que foi tratado durante a reunião entre o presidente e o diretor da CIA, William Joseph Burns, que ocorreu no dia 1 de julho. No mais, informações indicam que a maioria dos políticos são contra a medida, o que não faz sentido pagar para que os mesmos votem contra.

Casos envolvendo Barroso e Moraes

A mensagem ainda destaca outras informações que não são comprovadamente verdadeiras, como a da chantagem de Dirceu a Barroso. O boato teria começado a se espalhar na internet após um tweet de Bolsonaro, sobre uma chantagem feita a um juiz estava fazendo com que a autoridade levantasse processos contra o presidente e os seus filhos. O presidente não deu nomes, de quem é o juiz e quem é a pessoa por trás da chantagem, apenas se dirigiu ao chantagista usando o nome fictício de “Daniel”. 

Os nomes de Barroso e Dirceu sequer aparecem na postagem, mas só isso foi o suficiente para os bolsonaristas começarem a supor que seriam o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e o ex-ministro. Tudo isso ligando a fatos passados já desmentidos por agências de fact-checking e sites de notícias. 

O boato nasceu de um texto atribuído a “João Macedo Costa – Jornalista Político”, que não existe. Barroso teria um “apartamento de luxo” em Miami, custeado pelo médium João de Deus, onde viveria “sua vida miserável de bissexual”. Barroso teria se encontrado com adolescentes “agenciados” por João de Deus e que José Dirceu, sabendo disso, teria gravado alguns encontros e chantageado o ministro. Falso.

Outro nome que a mensagem também apresenta é o de Alexandre de Moraes, o caso apresentado também é falso. O boato vem de uma foto manipulada que mostra presidiários da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) com uma faixa em apoio à indicação de Alexandre de Moraes ao Supremo Tribunal Federal. Na faixa da fotografia original, do fotógrafo Alex Silva (Estadão Conteúdo), que supostamente estava escrito o nome de Moraes, aparece a frase: “Contra a opressão”.  Ou seja, também é falso.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Kryssyno Oliveira

Referências da COAR:

Carta Capital

Fórum

O Hoje

G1

Prêmio Nobel de Medicina declarou que vacinados contra a Covid-19 irão morrer em dois anos?

Uma imagem compartilhada nas redes sociais afirma que o virologista francês e professor Luc Montagnier, que também é vencedor do Prêmio Nobel de Medicina de 2008 declarou que pessoas vacinadas contra o novo coronavírus irão morrer em dois anos. A COAR checou a imagem abaixo com texto:

Reprodução/WhatApp

O conteúdo checado pela COAR é falso. O primeiro ponto que a COAR observa é a forma como o texto está escrito, em tom alarmante, de que as pessoas vacinadas irão morrer em dois anos, o que cientificamente não é verdade. O segundo ponto que torna a mensagem falsa é a manipulação do texto, que durante a entrevista citada o virologista teria falado sobre mortes, e na original, do site americano “RAIR Foundation“, Prof. Montagnier falou da criação de variantes da Covid-19 por meio das vacinas. O próprio veículo também divulgou uma notícia desmentindo o fato deturpado.

Variantes

Alguns especialistas já debateram sobre a suposta teoria de que as vacinas criam variantes, o que também não é verdade, já que a função delas é treinar e preparar as defesas naturais do corpo – o sistema imunológico – para detectar e combater vírus e bactérias selecionados. Se o corpo for subsequentemente exposto a esses patógenos, estará pronto para destruí-los imediatamente, evitando doenças.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), todas as vacinas usadas para a imunização são seguras e protegem contra as formas graves e críticas da doença. Além disso, é necessário que todas as pessoas sejam imunizadas o quanto antes, para evitar que o vírus circule entre as pessoas, mesmo naquelas já imunizadas. 

“Mesmo quem já se vacinou, deve continuar com as demais medidas de prevenção: manter distanciamento físico, evitar aglomerações, usar máscara corretamente, higienizar frequentemente as mãos e manter ambientes arejados”, recomenda a SBI, pois, mesmo quem já se vacinou pode vir a contrair o vírus e transmitir para outras pessoas.

Outra recomendação dos especialistas é com relação às doses, é necessário que todas as pessoas tomem as duas doses das vacinas, pois nenhum imunizante é 100% eficaz. É preciso estar atento ao calendário de vacinação, do estado ou cidade, e não perder prazo.

Vacinação

De acordo com o Vacinômetro, ferramenta de monitoramento de vacinação do Ministério da Saúde, no Brasil, até o dia 02/06, cerca de 68.244.216 brasileiros já foram imunizados contra à Covid-19, sendo 45.940.210 pessoas com a primeira dose e 22.304.006 pessoas com a segunda dose.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Kryssyno Oliveira

Referências da COAR:

Organização Mundial da Saúde (OMS)

RAIR Foundation

Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI)

Ministério da Saúde

COAMOS: Pesquisa do Instituto Paraná aponta para vitória de Bolsonaro, contra Lula, em todos os estados?

Uma pesquisa de intenção de voto realizada pelo Instituto Paraná Pesquisas aponta para vitória de Jair Bolsonaro em todos os estados, em um possível confronto com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2022, na disputa pela presidência da República? Falso.

No site relativo à empresa não é possível encontrar dados que indicam a execução de aferimentos por estado, como consta na mensagem, compartilhada em grupos de WhatsApp e em outras redes sociais, como o Facebook.

O último levantamento feito pelo instituto foi divulgado no dia 07 deste mês e mostra que o capitão reformado venceria o petista no primeiro turno com uma diferença de apenas 3,4 % dos votos (32,7% contra 29,3). A sondagem foi encomendada pelo grupo Veja.

“[…] o presidente lidera nas quatro simulações de primeiro turno, com porcentuais que variam de 32,7% a 34,5% dos votos, sempre seguido de perto pelo petista. O mesmo contingente — 32,1% — diz que considera o seu governo ótimo ou bom. No segundo turno, ele está à frente dos principais rivais”, destacou a Revista Veja em reportagem publicada no dia 07 deste mês.

Foto: reprodução/Revista Veja

Em âmbito de estado, até o momento a empresa disponibilizou apenas os resultados de pesquisas eleitorais, para simular a disputa entre Bolsonaro e Lula, realizadas na Bahia e no Rio Grande do Sul: de forma individualizada. Os números revelados sobre os dois casos, diga-se de passagem, ajudam a confirmar que o levantamento divulgado nas redes sociais é falso.  

Se dependesse dos gaúchos, o atual presidente brasileiro venceria o pleito no primeiro turno com 30% das intenções de voto, contra 24,9% do ex-presidente. As informações foram retiradas pela nossa reportagem do endereço virtual do Paraná Pesquisas.

Na Bahia o cenário é diferente. Lula levaria a melhor, com 43,3% dos votos válidos, contra 24,6% de Jair Bolsonaro.

Na mensagem checada aqui pela nossa reportagem consta que o atual chefe do executivo brasileiro levaria a melhor com 69,39% de aprovação no Rio Grande do Sul e com 69,62% no estado da Bahia. Confira o conteúdo da mensagem falsa logo abaixo:

Pesquisa realizada hoje!
Paraná pesquisas registrado no TSE:
Bolsonaro Vence hoje em todos os estados, porque o povo quer que ele continue!


Acre: Bolsonaro 74,18 %


Alagoas:Bolsonaro 58,36%


Amapá: Bolsonaro 72,29%


Amazonas: Bolsonaro 66,18%


Bahia: Bolsonaro 69,62%


Ceará: Bolsonaro 67,46%


Distrito federal: Bolsonaro 71,25%


Espírito santo: Bolsonaro 80,70%


Goiás: Bolsonaro 77,25%


Maranhão: Bolsonaro 61,90%


Mato Grosso: Bolsonaro 60,36%


Mato Grosso Sul: Bolsonaro 54,55%


Minas:;Bolsonaro 62,81%


Pará: Bolsonaro 59,67%


Paraíba: Bolsonaro 60,91%
__
Paraná: Bolsonaro 67,88%


Pernambuco: Bolsonaro 68,09%


Piauí: Bolsonaro 65,71%


Rio Janeiro: Bolsonaro 69,72%


Rio Grande Norte:Bolsonaro 76,51%


Rio Grande Sul: Bolsonaro 69,39%


Rondônia Bolsonaro 69,85 %


Roraima: Bolsonaro 60,43%


Santa Catarina: Bolsonaro 82,41%


São Paulo: Bolsonaro 71,47%


Sergipe: Bolsonaro 61,13%


Tocantins: Bolsonaro 61,23%


COMPARTILHE E MOSTRE QUE O POVO CANSOU DE SER BESTA! PORQUÊ O POVO QUER RENOVAÇÃO !Se vc faz parte deste povo, confirme repassando a amigos essa aspiração de alguem honesto sentado na cadeira de presidente de um Brasil renovado ! Faça isso, e não se arrependerá. Tenho certeza.

Essa noticia não vai sair no Estadão, Folha, UOL, Facebook, Instagram, OGLOBO, JB, etc. TVs Globo, Band etc.

A COAR alerta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Lista de líderes mais corruptos do mundo é falsa

A COAR recentemente recebeu uma mensagem que fala sobre uma lista da Transparência Internacional com os líderes mais corruptos do mundo. O levantamento apontou o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) como primeiro colocado.

Foto: Reprodução/WhatsApp.

Confira a mensagem completa:

“Divulgado pela revista Veja Oeste, o ex-Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva entrou para o ranking dos líderes mais corruptos da história da humanidade.

E adivinhe só: Lula é o número 1 da lista.

Uma vitória para o Brasil (ironia).

O Partido dos Trabalhadores (PT) é considerado o partido que mais roubou um país na história. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), a corrupção durante a era Lula e Dilma pode ter sido de aproximadamente 206 bilhões de dólares, ao longo dos 13 anos do PT no poder.

Considerando que Lula é o líder supremo do partido, e esteve nos bastidores controlando tudo enquanto Dilma era Presidente da República entre 2010 e 2015, o petista pode assumir o topo da lista dos líderes mais corruptos do mundo.

“A lista foi realizada pela Organização Não-Governamental de anti-corrupção que é sediada na Alemanha, chamada Transparência Internacional.

Veja abaixo a lista com os 10 líderes mais corruptos do mundo, que inclui Lula na primeira posição:

Ex-presidente do Brasil, Lula ($ 206 bilhões – entre 2003 e 2015)

Ex-presidente da Indonésia, Suharto ($ 15 bilhões – $ 35 bilhões entre 1967 e 1998)

Ex-presidente das Filipinas, Ferdinand Marcos ($ 5 bilhões – $ 10 bilhões entre 1972 e 1986)

Ex-presidente do Zaire, Mobutu Sese Seko ($ 5 bilhões entre 1965 e 1997)

Ex-chefe de Estado da Nigéria, Sani Abacha ($ 2 bilhões – $ 5 bilhões entre 1993 e 1998)

Ex-presidente da Iugoslávia e da Sérvia, Slobodan Milošević ($ 1 bilhão entre 1989 e 2000)

Ex-presidente do Haiti, Jean-Claude Duvalier ($ 300 milhões – $ 800 milhões entre 1971 e 1986)

Ex-presidente do Peru, Alberto Fujimori ($ 600 milhões entre 1990 e 2000)

Ex-primeiro-ministro da Ucrânia, Pavlo Lazarenko ($ 114 milhões – $ 200 milhões entre 1996 e 1997)

Ex-presidente da Nicarágua, Arnoldo Alemán ($ 100 milhões entre 1997 e 2002)

Ex-presidente das Filipinas, Joseph Estrada ($ 78 milhões – $ 80 milhões entre 1998 e 2001)

“PT NUNCA MAIS”

A informação checada pela COAR é falsa. Diversas agências de checagens no Brasil já haviam realizado checagens da mesma lista, que circula pela internet desde 2004. Desta vez com algumas mudanças, mas com os mesmos dados, é possível ver que o link da informação está direcionado para o site de notícias No Momento, que teve a notícia apagada.

Notícia de lista falsa é apagada de site. Foto: Reprodução.

Outra ponto importante diz respeito à “revista Veja Oeste”; analisamos que o nome do veículo de comunicação é falso. Não existe o meio de comunicação citado, mas o portal Veja Oeste, que publicou a lista dos líderes no ano passado, mas ela foi tirada do ar. A COAR conseguiu acessar a notícia por meio de uma ferramenta de busca. O uso da palavra revista pode gerar uma confusão no leitor, pois se associa aos nomes das tradicionais revistas Veja, da editora Abril, e Oeste. Nenhuma delas postou algo relacionado à lista em questão.

Já a lista dos líderes mais corruptos também é falsa. Não encontramos nenhuma lista ou ranking a respeito no site oficial da Transparência Internacional. Por outro lado, a Transparência Internacional, que é uma organização mundial de combate a corrupção no mundo, divulga anualmente o Índice de Percepção da Corrupção (IPC), que é o principal indicador de corrupção do mundo.

Ele avalia 180 países e territórios e os atribui notas em uma escala entre 0 (quando o país é percebido como altamente corrupto) e 100 (quando o país é percebido como muito íntegro). Em nenhuma das suas edições foi destacada a lista citada na mensagem. A sua última edição é a de 2020, clique aqui para conferir.

Também não encontramos nada referente ao valor de U$ 206 bilhões de dólares com base no Ministério Público Federal (MPF), como aponta a mensagem, ou seja, é falso.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Kryssyno Oliveira

Referências da COAR

Transparency International

Transparência Internacional Brasil

Ministério Público Federal (MPF)

COAMOS: Imagem com lista de medicamentos contra Covid-19 é falsa

Mais uma vez voltamos a falar de um tema bastante discutido aqui na COAR, a eficácia dos medicamentos Ivermectina, Azitromicina, Hidroxicloroquina e Zinco. Como já foi destacado, os mesmos não possuem comprovação científica contra o novo Coronavírus (Covid-19), no entanto, ainda circulam diversas informações que apontam o contrário do que a ciência divulga. 

Dessa vez, recebemos uma imagem que diz que os remédios citados acima são eficazes no tratamento contra a Covid-19 (veja a imagem abaixo). O conteúdo foi compartilhado no WhatsApp e é falso, pois não há eficácia contra a doença. 

Informação falsa. Foto: reprodução/WhatsApp

Em nota, a Associação Médica Brasileira (AMB), afirma que o uso de medicamentos como hidroxicloroquina/cloroquina, ivermectina, nitazoxanida, azitromicina e colchicina, entre outras drogas, não possuem eficácia científica no tratamento – tratamento precoce – ou prevenção da Covid-19, seja na fase inicial ou avançada. 

Confira algumas checagens da COAR sobre os medicamentos:

COAMOS: Ivermectina não é 90% eficaz na prevenção à covid-19
Ivermectina supera vacinas ao ter 83% de eficácia contra Covid-19?

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Kryssyno Oliveira

Referências da COAR

Associação Médica Brasileira (AMB)

Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI)

COAMOS: Magazine Luiza está dando presentes em comemoração aos seus 60 anos?

A COAR recebeu uma mensagem com um link de promoção do aniversário de 60 anos da Magazine Luiza, que a clicar no mesmo, a pessoa é direcionada para uma página na internet e deverá jogar um jogo para ganhar um presente.

Foto: Reprodução/WhatsApp

A mensagem é falsa, primeiro porque a loja não está completando 60 anos em 2021, mas 64 anos. Atualmente ela tem 63 anos. Além disso, a Magazine Luiza não divulgou nenhuma promoção de aniversário que distribui presentes, como aponta a mensagem, nem mesmo no período em que completava 60 anos, que foi em 2017.

A mensagem se torna mais falsa ainda devido ao link, a formação dele não segue o padrão do site oficial da Magazine Luiza que é https://www.magazineluiza.com.br/.

Este tipo de mensagem costuma circular bastante no aplicativo de mensagens WhatsApp e em outras redes sociais. O objetivo na maioria das vezes é danificar o aparelho celular ou computador da pessoa ou roubar dados pessoais. A COAR pede para que, caso você receba a mesma mensagem ou outra do tipo, não clique no link e nem compartilhe.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Kryssyno Oliveira

Referências da COAR

Magazine Luiza

Vídeo de enterro de doente por Covid-19 é falso

Uma pessoa não identificada gravou e divulgou um vídeo que circula nas redes sociais, onde afirma que uma equipe de televisão estava simulando um enterro, no Cemitério Municipal da Barra do Jucu, em Vila Velha (ES). O conteúdo foi compartilhado por diversas pessoas e apontado como uma simulação de enterro de alguém vítima da Covid-19. Confira:

Reprodução/UOL Notícias

O vídeo verificado pela COAR é falso. A reportagem produzida pela equipe que aparece no vídeo é da TV Vitória, afiliada à Record TV, em Espírito Santo (ES). O conteúdo que foi ao ar na quarta-feira, 31, tinha como objetivo mostrar o trabalho dos coveiros no período da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19) e não simular um enterro, tão pouco de vítimas por Covid. 

No mesmo dia em que a equipe ainda coletava o material para ir ao ar no dia seguinte, o vídeo da pessoa não identificada já havia sido compartilhado na internet. A TV Vitória, após a exibição da reportagem, se pronunciou sobre o caso por meio da repórter que fez a matéria e através de um comunicado nas redes sociais.  

A repórter Marla Bermudes, em pronunciamento na televisão, conta que se sentiu  desrespeitada, assim como o seu colega de profissão, o repórter cinematográfico Wilian O’brien. “Eu e o cinegrafista Wilian O’brien estávamos fazendo imagens para explicar o trabalho do coveiro e as atividades que eles exercem. A reportagem teve o objetivo de homenagear o trabalho desses profissionais e não de fingir que a coveira em questão estaria simulando a abertura de uma cova ou fingindo que estava enterrando alguém”, explica a repórter. 

Marla Bermudes disse ainda que, antes mesmo da equipe chegar ao local, a cova mostrada no vídeo já estava aberta, pois é um procedimento do cemitério, ou seja, não foi porque a equipe pediu para abrir. Com relação ao momento em que a coveira jogava terra dentro da cova, o cinegrafista estava fazendo imagens de apoio – ação realizada pelas TVs para ilustrar uma matéria televisiva.

Comunicado da TV Vitória

A TV Vitória divulgou um comunicado onde relatou o caso ocorrido. “Circula um vídeo em que uma equipe do nosso jornalismo é acusada de simular enterros. […] O vídeo gravado descontextualiza o momento, deturpa o fato e cria uma narrativa mentirosa”.

A nota esclarece ainda que “a reportagem trata, na verdade, do trabalho exercido por uma das categorias profissionais mais impactadas neste momento grave de pandemia – os coveiros”, e pontua,  “tomará todas as medidas cabíveis, seja fortalecendo a transparência, seja via judicial […]”. 

Reprodução/TV Vitória

Vídeo é compartilhado por deputada

O vídeo, dado como falso e compartilhado por diversas pessoas na internet, chegou a ser divulgado também pela deputada federal Carla Zambelli. “Além da manipulação, é um desrespeito inadmissível pelos mortos que ali estão sepultados”, disse a deputada na publicação.

Escrito por: Kryssyno Oliveira

Referências da COAR:

Folha Vitória

TV Vitória

UOL Notícias

FUNDO PREVIDENCIÁRIO: Caixa Econômica está informando saque de R$ 760 através de SMS?

Leitores da COAR enviaram uma nova mensagem que informa um saque liberado no valor de R$ 760 do Fundo Previdenciário. A mensagem conta com a logo do Ministério da Previdência e Assistência Social do Governo Federal e ainda solicita que o usuário que ao recebê-la, clique no botão compartilhar para grupos de WhatsApp e amigos, pois somente assim poderá receber a quantia informada. A COAR alerta que a mensagem é falsa e enganosa, pois não existe saque do fundo previdenciário liberado. Em 2020, a COAR chegou a checar vários conteúdos que notificavam usuários, saques nos valores de R$ 600 a R$ 1.200. Cadastros ou informações que tratam a respeito da liberação de saque previdenciário são falsos e enganosos.

Vale acrescentar que em reportagem do site G1 publicada em 27 de março de 2020, outra mensagem falsa e semelhante dizia que o governo havia liberado o saque do fundo previdenciário com valores que variavam de R$ 450 a R$ 1.023”.

A COAR alerta que não há recursos previdenciários a serem sacados pelo contribuinte. Além disso, a COAR ressalta que tanto a Caixa Econômica como o Ministério da Previdência e Assistência Social solicita de forma alguma que usuários compartilhem tais conteúdos para somente assim terem acessos a qualquer benefício do Governo Federal. Não procede de forma alguma tal prática. Por isso muito cuidado ao clicar, acessar ou compartilhar tais conteúdos, pois são formulados por golpistas.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Marta Alencar

Referências da COAR:

Site da Previdência Social

G1

COAMOS: Petição solicita cassação da concessão da Globo

Em grupos de WhatsApp que a COAR acompanha, verificamos uma petição pública que solicita a cassação da concessão da Rede Globo por parte do presidente Jair Bolsonaro. A COAR checou o link pelo celular e verificou que o mesmo é falso.

Petição falsa circula novamente em grupos de WhatsApp

A COAR alerta que a petição não tem validade legal e vem sendo utilizada desde o ano passado por meio de vários links falsos para roubar dados dos usuários. Além disso, esses sites que pedem para compartilhar com amigos geralmente são produzidos por golpistas.

O site Boatos já havia feito a verificação do conteúdo em 2019 e ressaltado que os usuários não devem assinar esses sites que pedem a cassação da Globo, porque não possuem valor legal algum.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Marta Alencar

Usuários que enviam mensagens com “Bom dia!” são alvos de hackers chineses?

Leitores da COAR enviaram um texto alarmista que vem circulando no WhatsApp sobre ataques cibernéticos no Brasil. O título “Brasil sofreu 15 bilhões de ataques cibernéticos em apenas 3 meses” consta uma informação verdadeira da empresa multinacional de segurança de informações na internet, Fortinet, embora de 2019, ou seja, fora de contexto. Em 2020, um estudo recente publicado pela empresa registrou mais de 9,7 bilhões de tentativas de ataques cibernéticos na América Latina, sendo 1,6 bilhão de ataques somente no Brasil.

Em 2017, os sites Boatos e E-farsas investigaram boatos semelhantes ao observado neste texto em questão. Outro ponto investigado pela COAR no conteúdo atual é onde cita “China of Shangai International News” como uma fonte oficial, que inclusive não existe, o que demonstra que o texto possui informações falsas e equivocadas.

No texto verificado pela COAR consta também a informação de que “hackers da China” ocultam códigos de phishing (um termo relativamente novo utilizado para descrever fraudes de roubos de dados pessoais e financeiros das vítimas) em gifs e mensagens de “Bom dia! Boa tarde! Boa noite!”, o que não é verdade.

A segunda parte do texto é totalmente falsa, enquanto a primeira parte é fora de contexto.

A COAR entrevistou o engenheiro de software, Lucas Aquiles, que garantiu que não é possível executar conteúdo malicioso por meio de gifs ou imagens no WhatsApp. O engenheiro ressalta que o trecho abordado no conteúdo (acima) que fala sobre gifs e imagens propensos a crimes cibernéticos por hackers chineses é falso.

“Existe sim a técnica de phishing para roubar dados do usuário, que consiste em dar algum tipo de isca pro usuário clicar e capturar alguma informação sensível. Mas a maioria dos sistemas de email ou de mensagens tem mecanismos para higienizar, ou seja, impedir que nada externo furte alguma informação do usuário”.

O engenheiro de software acrescenta uma dica para quem tem receios de cair em golpes na internet: “O cuidado básico para evitar cair em golpes cibernéticos é que a pessoa ao fazer downloads de aplicativos de mensagens busque aqueles que são oficiais (fontes confiáveis) e não de uma fonte pirata. Um aplicativo que seja intacto e que ninguém tenha feito qualquer tipo de modificação ou customização, onde poderia aí ter algum tipo de esquema perigoso para o usuário”.

O site indiano The Logical Indian fez uma checagem semelhante sobre o assunto. Em uma matéria verificada a respeito, os fact-checkers indianos explicam que URLs de malware ou phishing podem ser anexados a uma imagem de maneira oculta, mas tais URLs podem não estar necessariamente restritos apenas a mensagens de bom dia e boa noite.

A COAR alerta que, geralmente, textos maliciosos utilizam informações verdadeiras, mas fora de contexto no início (primeiros parágrafos) e em seguida distorce os dados e acrescenta informações falsas e sem fundamentação no restante do texto.

Escrito por: Marta Alencar

Referências da COAR:

Fortinet

The Logical Indian