Atacadão está contratando pessoas sem experiência profissional? COAMOS conteúdo divulgado no WhatsApp

Mais uma vez, golpistas maliciosos em produzir cadastros falsos de vagas de trabalho promovem novamente uma informação falsa de vagas disponíveis no Atacadão SA (uma das maiores redes atacadistas com 193 lojas de Autosserviço, 29 atacados e um time com mais de 50 mil colaboradores). Os falsos links de cadastro para o Atacadão SA na mensagem divulgada em massa nos grupos de WhatsApp já são compartilhados desde 2016 conforme a COAR checou e investigou.

Falsa informação

Primeiro ponto é que o Atacadão SA informa em seu site que candidatos interessados em concorrer às vagas operacionais ou administrativas ou ainda participar de um dos Programas de Desenvolvimento da Rede Varejista, deve encaminhar o seu currículo diretamente à unidade escolhida. Encontre a loja mais próxima de você. E não conforme a mensagem (acima) que divulga falsos links de cadastramento de currículos.

Segundo ponto é que o próprio Atacadão S.A ressalta que não contrata por meio de redes sociais ou aplicativos. E alerta para que os interessados em ingressar na empresa, não informe os seus dados pessoais e nem compartilhe essas mensagens antes de verificar a veracidade do anúncio.

A empresa notifica sobre a informação desde 2016

Terceiro ponto não consta nas redes sociais ou site da rede sobre novas vagas ou contratações. Na dúvida, desloque-se para uma loja mais próxima do grupo para saber mais a respeito.

Convém lembrar que em 20 de janeiro deste ano, a empresa já havia notificado seus clientes e colaboradores que não realiza sorteios, nem distribuição de vales compras ou anúncios de vagas que não sejam em suas redes sociais oficiais.

Comunicado oficial da empresa

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Marta Alencar

Referências da COAR:

Atacadão SA

GOLPE: Entrega de 3 mil telefones gratuitos em comemoração ao lançamento do iPhone 12

Desde o lançamento do iPhone 12 , criminosos estão aplicando golpes e clonando celulares usando o nome da Apple. Leitores da COAR enviaram a mensagem (abaixo), que divulga um anúncio falso e enganoso de distribuição gratuita de três mil celulares para usuários na internet, o problema é que esses usuários acabam compartilhando dados pessoais com os hackers.

Mensagem falsa

COAR alerta para que nenhum leitor preencha seus dados em qualquer tipo de mensagem por aplicativo sem antes consultar a veracidade do contexto. Caso tenha preenchido o cadastro e se sinta lesado deve procurar a Delegacia de Polícia para registro de queixa e formalização de Boletim de Ocorrência.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Marta Alencar

Alerta sobre golpes envolvendo multas é verdadeiro?

Texto informativo com a marca do Departamento de Trânsito no Rio de Janeiro (Detran-RJ), sobre um suposto golpe envolvendo a aplicação de multas voltou a ser divulgado novamente na internet. O conteúdo vem em formato de alerta e ainda é solicitado a divulgação do texto.

A equipe da COAR se deparou com uma imagem exibindo o texto sendo compartilhada por um perfil no Facebook. O internauta (de Teresina), na legenda, escreve “Fique de olho”.

Foto: reprodução/Facebook

Realmente é necessário ficar atento, porque o conteúdo é falso e circula, pelo menos, desde 2009. A escrita chama atenção de cara. A mensagem é carregada de erros, principalmente no que se refere à pontuação e também à formatação.

Foto: Reprodução/Facebook

Matéria noticiada pelo portal O Tempo no dia 4 de setembro deste ano informa que a mesma mensagem foi usada para passar a ideia de que o golpe inventado estava ocorrendo em Minas Gerais.

Foto: Reprodução

A COAR ainda constatou que centenas de usuários no Facebook divulgaram o conteúdo acreditando ser um golpe.

Usuários compartilham o conteúdo

Em matéria divulgada no portal Correio Braziliense, já fevereiro de 2019, o órgão já negava a autoria do comunicado. A assessoria de comunicação do Detran-RJ nos enviou a seguinte nota:

A informação é falsa e o conteúdo da mensagem não foi divulgado pelo Detran-RJ.

Alguns sites e mensagens por WhatsApp têm utilizado o nome e a identidade visual do Detran.RJ para divulgar notícias falsas e o departamento pede a ajuda da população para que encaminhem denúncias para a nossa ouvidoria ( http://www.detran.rj.gov.br/_monta_aplicacoes.asp?cod=14&tipo=ouvidoria_email ) para que a corregedoria possa investigar.

Pedimos que só confiem nas informações contidas no site do órgão (www.detran.rj.gov.br), nas redes sociais oficiais do departamento ou no Código de Trânsito Brasileiro.

Caso você receba mensagens com informações duvidosas, questione e não compartilhe. Entre em contato conosco por meio do WhatsApp: (86) 99517-9773 ou pelo Instagram @coarnoticias.

Escrito por: Wanderson Camêlo e Marta Alencar

Referências da COAR:

Correio Braziliense

Portal O Tempo

WhatsApp: “Novo Aviso de Privacidade-Brasil” instala vírus no celular ?

Nos últimos dias, um vídeo apenas com a imagem da tela de conversas do WhatsApp juntamente com um áudio – de um homem não identificado – informa aos usuários, que não se deve tocar no novo ícone de privacidade do aplicativo de mensagens instantâneas, onde aparece “Toque para ler o novo aviso de Privacidade-Brasil”. Segundo o autor do vídeo, o ícone foi armado por golpistas que querem o aplicativo de quem o acessa.

Leia mais: FORA DE CONTEXTO: Áudio anunciando determinação judicial de bloqueio de WhatsApp por 48h

“Recebi agora esse ícone dizendo: Toque para ler o novo Aviso de Privacidade- Brasil. Se vocês receberem isso no telefone, não cliquem para ler. Se clicar, a pastinha vai clonar todos os seus dados, vai clonar seu telefone todinho. O que vocês devem fazer? Deixem o celular pelo menos dois minutos desligado ou fora dos serviços de dados. Se não sair essa pastinha cancelem o WhatssApp de vocês e instalem novamente”

A notificação aparece na parte superior da tela das conversas

A COAR averiguou que na realidade a notificação no aplicativo é verdadeira e que o boato compartilhado é falso. Trata-se do novo aviso de privacidade do WhatsApp aos usuários para informá-los sobre as últimas alterações no aplicativo. Essa nova notificação está sendo divulgada na página inicial do aplicativo no país desde agosto. O termo de privacidade foi alterado devido a nova Lei Geral de Proteção a Dados Pessoais (LGPD), que será efetivada no Brasil em maio de 2021 e objetiva a garantia de segurança e transparência às informações pessoais coletadas por empresas públicas e privadas.

Caso você receba mensagens com informações duvidosas, questione e não compartilhe. Entre em contato conosco por meio do WhatsApp: (86) 99517-9773 ou pelo Instagram @coarnoticias.

Escrito por: Maria Luísa Araújo

Edição: Marta Alencar e Wanderson Camêlo

Referências da COAR:

TechTudo

COAMOS: Suposto cadastro do Programa Vale Gás

Leitores da COAR nos questionaram sobre um suposto cadastro para o Programa Vale Gás, que vem sendo divulgado no WhatsApp. De acordo com a mensagem, o programa seria mensal para quem fizesse cadastro e no valor de R$ 238. O conteúdo também informa que o programa é realizado pelo Ministério da Cidadania e receberia inscrições até hoje (12). Além desse conteúdo, a COAR já havia verificado anteriormente, outros semelhantes, que recebiam o mesmo nome de Vale Gás. Assim como os outros, este conteúdo também é enganoso

Conteúdo é enganoso

Primeiramente, a COAR averiguou as informações a respeito do suposto programa no site do Ministério da Cidadania. Não há nenhuma informação no site oficial, inclusive o órgão já havia desmentido no mês de maio, boatos sobre o programa em sua página no Facebook.

Ministério da Cidadania desmente boato

A COAR ressalta que o Programa Vale Gás já existiu no Brasil, mas foi incorporado ao Bolsa Família em 2003. O único programa que atualmente está dando um auxílio relacionado a gás de cozinha é o Vale Gás Social do estado do Ceará. Ele foi criado durante a pandemia do Covid-19 para ajudar as famílias mais carentes do estado. No entanto, o programa do Ceará distribui o auxílio sem necessitar que os cearenses beneficiados se inscrevam em um site específico.

Escrito por: Marta Alencar

Referências da COAR:

Ministério da Cidadania

VERIFICAMOS: Oferta de anúncio de celular das Lojas Americanas por R$ 459,99

O anúncio de uma página, que se identifica Lojas Americanas no Facebook, ganhou repercussão na internet nesta semana. A publicação era referente a um desconto relâmpago de um smartphone Redmi Note 8 por apenas R$459,99 da marca Xiaomi, com a descrição “Melhor Oferta do dia – Xiaomi Redmi note 8”. O anúncio vinha ainda com um link e uma legenda “compre agora”. O conteúdo é semelhante aos mesmos conteúdos divulgados por lojas do mesmo segmento. No entanto, a página não é da Loja Americanas e corresponde a um conteúdo impostor e enganoso. E a COAR explica o porquê da classificação.

Print da falsa oferta que circula na internet (Foto: reprodução)

A COAR constatou que no site da empresa não foi anunciada nenhuma oferta como esta. O valor do aparelho Xiaomi Redmi Note 8 de cor azul (64gb) continua o mesmo, R$1.865,66. No mais, as redes sociais da loja também foram consultadas, e não encontramos publicações que coincidam com a oferta. A página analisada consta apenas com 72 curtidas, a COAR também identificou outras páginas divulgando a mesma promoção falsa. Essas páginas que utilizam o logotipo das Lojas Americanas estão produzindo um conteúdo impostor, além de enganoso por fazer uma falsa promoção.

O site ReclameAqui recebeu, no dia 7 de fevereiro de 2020, uma reclamação semelhante ao falso anúncio no Facebook.

“Pessoal chegou até mim um link de um site falso que diz ser da Americanas ofertando um celular da marca Xiaomi pelo preço de R$399,99, como possuo o costume de comprar com a Americanas fui procurar no site deles e a diferença é clara já que o mesmo aparelho é R$2.529,99“.

Em resposta à reclamação a empresa avisou que, ao analisar, constatou que o site realmente era falso e a promoção não estava sendo oferecida.

Mas não é a primeira vez que isso acontece, o logotipo da empresa já foi usada outras vezes para tentativas de aplicação dos golpes. Em novembro de 2019, no site ReclameAqui, o número de reclamações relacionadas a propagandas enganosas da Americanas chegou a 148. Em 2018 a empresa  publicou em sua página do Facebook um aviso sobre sites e páginas falsas e destacou que a página oficial é americanas.com.

Magazine Luiza, Casas Bahias e Extra são algumas das demais lojas que já tiveram a logo usada para aplicação de golpes.

Perfil oficial das Lojas Americanas no Facebook fez um alerta sobre perfis falsos envolvendo a empresa (Foto: reprodução)

Em abril deste ano, a Polícia Federal passou algumas orientações para alertar a população sobre golpes por meio de páginas falsas.

1 – Não preencher dados de cartões de crédito em formulários;

2) Em caso de ligação, não informe senhas e nem dados dos seus cartões. 

Em caso de boletos falsificados, a PF orienta que fiquem atentos ao nome da empresa e o valor do pagamento. Se houver dúvidas é importante entrar em contato com o credor e com quem emitiu o boleto ou com a instituição bancária.

A Cartilha de Segurança para Internet, produzida pelo Centro de Estudos, Resposta e Tratamento de Incidentes de Segurança no Brasil (CERT.br), também, destaca algumas medidas de prevenção importantes, como fazer uma pesquisa de mercado e comparação do preço do produto que esteja sendo exposto. Se o preço for exageradamente baixo em relação aos outros o cliente deve desconfiar.

Os consumidores também devem ser cuidadosos quando acessarem links patrocinados.

“O anunciante geralmente possui uma página Web – com acesso via conta de usuário e senha – para interagir com o site de busca, alterar configurações, verificar acessos e fazer pagamentos. Este tipo de conta é bastante visado por atacantes, com o intuito de criar redirecionamentos para páginas de phishing ou contendo códigos maliciosos e representa o principal risco relacionado a links patrocinados“, orienta a Cartilha.

A COAR fez várias checagens relacionadas a tentativas de golpes que, inclusive, aumentaram bastante nesse período de pandemia da Covid-19: Falsa promoção do O Boticário; Falsa mensagem solicitando atualização da conta do Banco do Brasil e falso desconto de barris de cerveja em estabelecimento de Teresina.

Como sempre, a dica da COAR é: duvidar e verificar. Duvide de mensagens com links desconhecidos, não clique nesses links, não informe dados e não compartilhe. Descobriu que é golpe? Então esse é o momento certo para compartilhar e avisar aos amigos e familiares para evitar que sejam enganados.

Publicado por: Naiane Feitosa

Edição: Wanderson Camêlo e Marta Alencar

Referências da COAR:

Site Reclame Aqui

Site Lojas Americanas

Portal UOL

Cartilha de Segurança

É GOLPE! Suposta mensagem do Banco do Brasil solicitando dados e senhas de clientes por SMS

Quem não conhece ou nunca caiu em golpe virtual pode ser enganado facilmente por golpistas. Um exemplo desse tipo de crime é o Phishing, tática usada por golpistas para roubar dados pessoais de clientes de banco. Foi o que aconteceu esta semana com milhares de brasileiros que receberam uma suposta mensagem do Banco do Brasil. O conteúdo solicitava que os usuários atualizassem a conta por meio de um link de autoatendimento para evitar o bloqueio da conta pessoal. A mensagem ainda pedia vários dados do titular e senha. A COAR informa que o conteúdo é enganoso por se tratar de um golpe.

Mensagem enviada por golpistas

O próprio Banco do Brasil já alertou, em seu perfil no Twitter, que dados ou senhas nunca são solicitados por meio de mensagens e que as mensagens enviadas pelo SMS do banco são pelo telefone 4004-0001, o que não bate com o número que envia as mensagens falsas, cujo DDD é “016”, ou seja, abrange cidades do estado de São Paulo.

Perfil oficial do Banco do Brasil

Nossa equipe entrou em contato com o titular da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática do Estado do Piauí, o delegado Anchieta Nery, que fez um levantamento da evolução dos casos desses tipos de crimes virtuais entre os anos 2018-2019.

O levantamento consta que uma evolução de 190% nos casos de invasão de dispositivo informático. Nery informou que a Polícia Civil está com dificuldades com relação à produção de dados estatísticos em 2020. Devido à pandemia da Covid-19 – as pessoas foram autorizadas a fazerem o boletim de ocorrência de casa e os de crimes graves são feitos presencialmente. Como todas as ocorrências estão separadas em dois sistemas, as estatísticas só poderão se organizadas depois que a pandemia acabar.

Levantamento feito pelo delegado Anchieta Nery.

A Polícia Federal já fez um alerta sobre ameaças cibernéticas, destacando um aumento nos casos durante a crise sanitária provocada pela Covid-19. Algumas das orientações de prevenção passadas pela instituição são:

Em relação aos aplicativos maliciosos – deve-se ficar atento e baixar apenas os aplicativos indicados em sites oficiais. A PF informa que foram identificados diversos aplicativos solicitando informações ou se passando por órgãos do governo a fim de obter dados pessoais.

No que se refere aos links – assim como a COAR sempre faz, a Polícia Federal também orienta que não cliquem em links enviados por e-mail, SMS ou aplicativos de mensagens, em nome de instituições bancárias, e não preencham dados de cartões de crédito em formulários, nem informem dados de cartões de crédito e senha em ligações telefônicas. É importante buscar informações junto aos seus bancos nos canais oficiais.

A COAR reforça: não clique em links duvidosos e não forneça nenhuma informação pessoal para desconhecidos.

Em caso de dúvidas você pode entrar em contato com nossa esquipe pelo WhatsApp: (86) 995179773 ou pelo Instagram @coarnoticias.

Escrito por: Naiane Feitosa

Edição: Wanderson Camêlo

Referências da COAR:

  1. Perfil no Twitter do Banco do Brasil
  2. Site Exame
  3. Site da Polícia Federal

É GOLPE: Distribuição de produtos gratuitos da Faber-Castell

Circula no aplicativo WhatsApp mensagem sobre uma suposta campanha da produtora de material escolar, artístico, e de escritório Faber-Castell, empresa alemã possui unidades de produção em São Carlos (SP), Prata (MG) e Manaus (AM).

O texto dissipado fala de uma promoção destinada à distribuição gratuita de uma caixa de lápis de cor e um livro de colorir classificado como “Jardim Secreto”. Também é inserido um link (https://cadastro.promohoje.com), que acompanha a seguinte mensagem: “Para ganhar, basta fazer o cadastro da promoção.

A mensagem pede a realização do cadastro através do link

A COAR analisou a veracidade desse conteúdo, buscou informações oficiais da Faber-Castell e concluiu que a mensagem é enganosa. O link disponibilizado, inclusive, encontra-se indisponível.

Nessa sexta-feira (26) a marca se posicionou através do site oficial, bem como o perfil no Twitter. Por meio dessas plataformas, o grupo alertou que a mensagem é falsa e que não possui relação com a iniciativa.

Essa não é a primeira vez que criminosos utilizam o nome dessa empresa para a propagação de fake news. Em 2019 houve um golpe sobre a promoção falsa “De volta às aulas da Faber-Castell”. A corrente falsa foi repassada através do WhatsApp e garantia o oferecimento de materiais escolares gratuitos, porém destinava-se ao roubo dados de usuários.

Na época o portal de notícias G1 esclareceu que é frequente a alteração de brindes oferecidos nos golpes e que os celulares das vítimas não correm o risco de ter alguma praga virtual instalada.

A equipe da COAR destaca a importância da verificação antes do compartilhamento de determinados conteúdos duvidosos. A principal dica é sempre desconfiar de links que contenham alguma oferta tentadora, produtos com preços muito baixos e promoções inacreditáveis. Preste atenção a esses detalhes e, se possível, entre em contato pelo WhatsApp da COAR (86) 99517-9773 ou pelo Instagram(@coarnoticias).

Escrito por: Maria Luísa Araújo

Edição: Wanderson Camêlo

Referências da COAR:

  1. Site da Faber-Castell
  2. Perfil no Twitter da Faber-Castell
  3. Site do G1

É verdadeiro áudio sobre criminosos promovendo falsa pesquisa do Datafolha?

Um áudio que está sendo disseminado pelo Whatsapp, denuncia a existência recente de um falso levantamento organizado por criminosos, que apresentam-se como uma equipe do Instituto Datafolha em parceria com o Ministério da Saúde. Na sonora, uma mulher – não identificada – relata que a quadrilha finge analisar a situação da população em meio à pandemia, por meio de telefonemas. A seguir o trecho da descrição do áudio e na íntegra aqui.

“Tem uma quadrilha que está fazendo uma pesquisa para o Datafolha, pelo celular. Eles pegam seu número, confirmam vários dados e no final é perguntado sobre a covid-19. A linguagem é bem técnica, quase não dar para perceber que é uma quadrilha”

Dessa maneira, os criminosos enviam uma mensagem com 6 dígitos e pedem o retorno desse código para confirmar a pesquisa. A mulher ainda diz que aqueles que acreditam tratar-se apenas de um estudo acabam repassando a sequência numérica. Então a falsa equipe clona o Whatsapp da vítima e rouba os dados bancários.

A COAR verificou o fato, e constatou que na última análise que o instituto efetivou em relação à pandemia tratava-se da opinião do brasileiro sobre a implementação da medida de confinamento lockdown. Ela ocorreu por telefone, porém ainda em maio, entre os dias 25 e 26 e sem a parceria com o Ministério da Saúde. Além disso, o instituto realizou telefonemas, mas pediu dados relacionados basicamente sobre a idade, profissão, sexo e favorecimento ou não à medida.

Golpes realizados por falsos pesquisadores já ocorreram no período eleitoral em 2018. Atualmente, mesmo que o site do órgão possua uma ouvidoria que permite a comunicação sobre dúvidas, ainda há informações fraudulentas que afirmam fazer parte da instituição.

Devido a pandemia da Covid-19, as pesquisas do órgão realizam-se através de telefonemas. Desse modo, muitos infratores veem o cenário perfeito para convencer facilmente as vítimas e então, roubarem dados pessoais das mesmas.

Contudo, a equipe da COAR entrou em contato com a assessoria do Datafolha através da ouvidoria contida no site da instituição e também pelo Whatsapp (0- xx- 11 99486-0293), responsável por averiguar a veracidade de informações duvidosas. Entretanto, não obtivemos respostas complementares ou uma nota explicativa sobre o ocorrido.

Escrito por: Maria Luísa Araújo

Edição: Daniel Silva

Referências da COAR:

  1. Site Datafolha
  2. Site Gazeta do Povo

ENGANOSO cadastro para receber cesta básica do Governo Federal

A COAR recebeu uma mensagem no WhatsApp sobre um suposto programa do Governo Federal chamado “Prato Cheio”, onde após um cadastro, o usuário receberia uma cesta básica gratuita. Cesta básica de graça sempre é bom, principalmente durante essa crise do coronavírus, que vem afetando milhares de famílias brasileiras. Contudo, verificamos que as informações dessa corrente são enganosas.

Enganoso cadastro de cesta básica

Há sim, um programa chamado Prato Cheio. Porém, ele foi criado pelo governo do Distrito Federal e só funciona por lá e o governo Federal não está envolvido. As informações não são apenas imprecisas, pois o erro não está apenas no fato de terem colocado o Executivo Federal. Mas há outros erros:


1º- Link falso: Na mensagem dizia que o cadastro para o tal programa deveria ser feito acessando o link e isso não é verdade. A COAR verificou que o cadastro para os moradores do Distrito Federal que se enquadram no auxílio deve ser feito no site do Banco de Brasília (BRB). Quanto ao site da mensagem desde hoje já está fora do ar, mas antes o link levava a um site falso, onde o usuário colocaria suas informações, que seriam furtadas por golpistas.


2º- Não é cesta básica: O programa do Distrito Federal não dá cestas básicas. O verdadeiro programa é voltado para a compra de alimentos em estabelecimentos conveniados e os cadastrados recebem R$ 250,00.


A COAR alerta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Guilherme Cronemberger

Referências:

  1. Site Metrópoles