Fundação Alimento Solidário está doando cestas básicas e vale-compras de R$ 50 reais?

Desinformações sobre doações de cestas básicas e vale-compras são cada vez mais frequentes e divulgadas em massa nas redes sociais. Uma delas é sobre um ENGANOSO CADASTRO no WhatsApp de cestas básicas e vale-compras da Fundação Alimento Solidário.

O primeiro ponto da desinformação é que não existe Fundação Alimento Solidário e sim Projeto Alimento Solidário, mas promovida pelo Governo de São Paulo e não pelo Governo Federal. Outro ponto da desinformação é que quando o usuário acessa a página, o suposto programa já tem outro nome (Cesta Básica Alimentar) e usa a bandeira do Brasil para manipular e passar a credibilidade de que é promovida pelo Governo Federal, o que não é verdade. O terceiro ponto da desinformação é que o usuário é convidado a preencher o cadastro e em seguida compartilhar o link para mais pessoas. Isso é um cadastro FALSO e promovido por golpistas. Não clique e não compartilhe!

O programa “Alimento Solidário” é uma iniciativa do Governo de São Paulo, por meio do Fundo Social do Estado. A iniciativa repassa cestas de alimentos para que as prefeituras façam a distribuição dos produtos às famílias inscritas do CadÚnico.

O segundo ponto é que o link disponibilizado na mensagem é enganoso, ou seja, criado por golpistas. O link do programa oficial é outro, mas a COAR revela que apenas o Governo de São Paulo promove o programa e que oferta apenas cestas básicas. O Governo de São Paulo não entrega vale-compra de R$ 50 para os inscritos.

A COAR alerta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Marta Alencar

Wellington Dias e outros 21 governadores se negaram a diminuir o preço dos combustíveis?

Circula nas redes sociais uma imagem destacando que 22 governadores brasileiros rejeitaram baixar o preço dos combustíveis. Na lista consta em destaque o chefe do executivo piauiense, Wellington Dias (PT).

Frentista abastecendo um caminhão em posto da gasolina no Rio de Janeiro (Foto: reprodução/Exame)

A legenda diz: “conheça os 22 governadores que rejeitaram baixar o preço dos combustíveis”. Logo acima é destacada a palavra “vergonha”. Depois de pesquisa feita pela nossa equipe, foi possível constatar que a imagem, sem as frases destacadas acima ou qualquer outra montagem, consta em uma matéria jornalística publicada, em 06 de fevereiro de 2020, no site Clic Oeste, do interior de Santa Catarina.

Foto: reprodução/internet

Ou seja, o assunto não é recente (portanto, a informação está fora de contexto); ganhou holofotes justamente em fevereiro de 2020 depois de provocação do presidente da República, Jair Bolsonaro. Via Twitter, no dia 02 daquele mês, ele criticou os gestores estaduais devido à não viabilização de uma redução nos preços da gasolina e do diesel nas refinarias da Petrobras.

“Como regra, os governadores não admitem perder receita, mesmo que o preço do litro nas refinarias caia para R$ 0,50 o litro”, escreveu Bolsonaro na publicação. A crítica foi feita após reajuste realizado no preço dos combustíveis ainda no início do ano passado.

É fato que os gestores citados não entraram em acordo visando o reajuste no preço da gasolina, diesel e outros combustíveis, mas a informação contida na imagem analisada não é totalmente precisa. Vamos explicar logo abaixo o porquê.

Vários governadores rebateram o presidente da República por meio de carta conjunta. Comprometeram-se em promover a diminuição dos impostos que incidem nos combustíveis, para que fossem repassados a um preço menor ao consumidor final, desde que houvesse uma contrapartida por parte da União.

Os mandatários cobraram a organização de fóruns para o debate do assunto, além da realização de estudos técnicos. Destacaram, ainda na carta, que o governo federal “pode e deve imediatamente abrir mão das receitas de PIS, COFINS e CIDE, advindas de operações com combustíveis”. Ainda não houve diálogo com o Palácio do Planalto nesse sentido.

Só não assinaram o documento os governadores de Goiás, Rondônia, Acre e Tocantins.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Wanderson Camêlo

Referências da Coar:

Portal da revista Exame

Revista digital Valor Econômico

Prefeitura de Teresina está realizando cadastro do Programa Vale Gás por SMS?

Novamente há a divulgação do suposto Programa Vale Gás, mas dessa vez não por WhatsApp. Os golpistas foram mais audaciosos e estão enviando por SMS aos teresinenses e informando que o cadastro do suposto programa é por meio da Prefeitura de Teresina, o que não é verdade. A informação foi enviada por um leitor da COAR. Além desse conteúdo, a COAR já havia verificado anteriormente, outros semelhantes, que recebiam o mesmo nome de Vale Gás. Assim como os outros, este conteúdo também é enganoso.

Mensagem falsa

Leia mais: Programa Vale Gás entrega benefício de R$ 70 a R$ 210 para quem realizar cadastro? Verificamos conteúdo na internet

Primeiramente, a COAR entrou em contato com a Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Teresina, que informou que não existe tal programa. Em seguida, a COAR averiguou as informações a respeito do suposto programa no site do Ministério da Cidadania. Não há nenhuma informação no site oficial, inclusive o órgão já havia desmentido no mês de maio, boatos sobre o programa em sua página no Facebook. A COAR também alerta que conteúdos com títulos apelativos como “Informação Urgente” geralmente são criados por golpistas ou hackers, evite clicar em links com títulos assim enviados por essas supostas mensagens.

A COAR ressalta que o Programa Vale Gás já existiu no Brasil, mas foi incorporado ao Bolsa Família em 2003. O único programa que atualmente está dando um auxílio relacionado a gás de cozinha é o Vale Gás Social do estado do Ceará. Ele foi criado durante a pandemia do Covid-19 para ajudar as famílias mais carentes do estado. No entanto, o programa do Ceará distribui o auxílio sem necessitar que os cearenses beneficiados se inscrevam em um site específico.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Marta Alencar

Referências da COAR:

Ministério da Cidadania

COAMOS: Prefeitura abre inscrições para Programa Auxílio Natalino 2020? Famílias cadastradas receberão 1ª Parcela de R$125 imediatamente?

Mais um cadastro sobre um suposto programa social é divulgado na internet. Desta vez, uma mensagem circula em grupos de WhatsApp informando o seguinte:

A informação é falsa e enganosa

A COAR recebeu de leitores a mensagem acima e checou para conferir se era autêntica e de alguma Prefeitura. Após a checagem, a COAR informa que nenhuma Prefeitura está com Programa Auxílio Natalino e no valor de R$ 125. O link utilizado na mensagem é enganoso e feito por golpistas para furtar dados pessoais e bancários de quem o acessa. Na página principal do suposto auxílio natalino há também o símbolo do Ministério da Cidadania, com a marca do governo federal. Há ainda a informação de que o programa é da “prefeitura municipal em parceria com entidades privadas, Ministério da Cidadania, governo federal e estadual”. Antes do preenchimento da ficha cadastral, há a informação de que o auxílio será pago imediatamente. 

Além disso, a COAR alerta para que nenhum leitor preencha seus dados em qualquer tipo de mensagem por aplicativo sem antes consultar a veracidade do contexto. Em caso de qualquer dúvida procure os órgãos oficiais da Prefeitura de onde você reside. Caso tenha preenchido o cadastro e se sinta lesado deve procurar a Delegacia de Polícia para registro de queixa e formalização de Boletim de Ocorrência.

Leia mais em: COAMOS BOATO: Cadastro de cestas básicas e vale alimentação por prefeituras municipais

A mensagem falsa vem sendo desmentida por várias Prefeituras: Prefeitura de Sorocaba (SP); Prefeitura de Taboão da Serra (SP); São Carlos (SP); Prefeitura de Corumbá (MS); Prefeitura de Bebedouro (SP); Prefeitura de Taubaté (SP); Prefeitura de Caraguatatuba (SP); Prefeitura de Blumenau (SC); Prefeitura de Jundiaí (SP) e Prefeituras de São José e Jacareí (SP).

O site Estado de Minas Gerais informou que algumas cidades mineiras, principalmente moradores de Betim e Igarapé, ambas na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), receberam o viral.

A COAR alerta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Marta Alencar

Áudio de Pedro Alcântara criticando Governo do Estado é verdadeiro, mas fora de contexto. Jornalista garante que não tem nada contra Wellington Dias

Vídeos, áudios e textos verdadeiros, mas de anos anteriores, voltam a circular frequentemente na internet, principalmente quando o intuito é denegrir a imagem de um candidato ou adversário político em processos eleitorais. Uma declaração do jornalista Pedro Alcântara da TV Antena 10 voltou a circular nas redes sociais. No vídeo editado em trechos, segue um áudio com o título: “Vaza áudio do jornalista Pedro Alcântara falando do Governador”. Em abril, a COAR já havia desmentindo outra história envolvendo o jornalista. Um vídeo, claramente editado e manipulado atribuía uma falsa declaração a respeito do prefeito da cidade de São José do Divino, Antônio Nonato Lima Gomes, registrado como o primeiro óbito pela Covid-19 no Piauí.

Leia mais: Vídeo de jornalista que circula nas redes sociais não é sobre prefeito de São José do Divino

O áudio que voltou a circular diariamente em grupos de WhatsApp é a respeito de uma reunião privada do apresentador com amigos em agosto de 2018 e divulgado sem o seu consentimento na época. No áudio, o apresentador afirmou: “Nunca houve roubo no estado do Piauí igual a esse. Daqui a pouco você vai ver o tanto de roubo. Cada secretaria tem dono pra roubar”.

Ainda no áudio, o jornalista fez críticas a gestão estadual e pede que quem está participando da reunião, que repense sobre o futuro do estado. Lembrando que em 2018 ocorreu as eleições para governador. “Doze anos ainda acha pouco continuar roubando!?, mas nós não vamos assinar embaixo, não vamos dar esse passaporte. Peço a vocês que conversem com seus vizinhos, com seus irmãos, converse com sua família, conscientize as pessoas que estamos diante de um quadro que se não houver mudança, lá no final de 2022 ele vai colocar a Regina irá  perpetuar a roubalheira da gangue, da quadrilha, só depende de nós”, declarou.

Diante da repercussão do caso em 2018, o próprio jornalista na época, gravou um vídeo comentando a respeito do conteúdo: “Quero dizer que o áudio envolve dois contextos, tiraram apenas a parte final. Realmente eu falei sobre o governador. Mas comentei primeiramente sobre a pessoa do governador Wellington Dias e também falei sobre o governo (a instituição). Sobre a pessoa, o cidadão Wellington Dias não há nenhum reparo… O pai de família, o marido, o avô e o amigo. O que eu falei de crítica foi sobre o governo, a instituição, que na minha opinião deixa a desejar. Tenho esse direito como cidadão de fazer isso. Quero deixar bem claro que não tenho nada contra o cidadão Wellington Dias, que tenho inclusive um apreço”, disse.

A COAR tentou entrar em contato por diversas vezes com o jornalista para falar sobre a repercussão novamente do áudio, mas não obtivemos êxito.

Escrito por: Marta Alencar

Guarda municipal e PM estão multando quem estiver dirigindo sem máscara em Teresina?

Na manhã desta quarta-feira (29), um comunicado falso viralizou em grupos de WhatsApp de Teresina. O suposto boato informa que a Guarda Municipal de Teresina e a Polícia Militar do Piauí (PM-PI) estão multando os motoristas que estiverem dirigindo sem o uso de máscara de proteção. A mensagem ainda informa que o valor da multa seria de R$ 128 por pessoa.

Falso comunicado viralizou em aplicativo de mensagens

Conforme a COAR apurou com o secretário municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), Samuel Silveira, a informação é totalmente falsa e inventada.

Ainda segundo comunicado da Prefeitura de Teresina, a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) e a Guarda Municipal de Teresina esclarecem que não há imposição de penalidade ao condutor por dirigir sem o uso da máscara, pois não existe esse tipo de infração no Código de Trânsito Brasileiro. Existe a obrigatoriedade do uso da máscara em espaços públicos, conforme o Decreto Estadual nº 18.947, de 22 de abril de 2020 que diz que o uso obrigatório deste acessório é mais uma medida de enfrentamento à Covid-19, com o objetivo de garantir mais segurança para a saúde dos piauienses.

A COAR informa que geralmente falsos comunicados contêm vários erros de ortografia e não têm embasamento de fontes oficiais ou credíveis.

Estabelecimentos notificados

Na capital, mais de 2,5 mil estabelecimentos já foram notificados desde o início das fiscalizações para garantir o cumprimento do decreto de isolamento da gestão municipal. As abordagens são feitas pela Guarda Municipal e pelas Superintendências de Desenvolvimento Urbano (SDUs) e também contam com o apoio da Polícia Militar.

Uso obrigatório de máscaras

O Governador Wellington Dias assinou um decreto na última quarta (dia 22) que determina a obrigatoriedade do uso de máscaras para quem circular em vias e espaços públicos. Porém, não estabelece penalidades para quem descumprir o decreto.

Além disso, o Governo do Piauí baixou uma Portaria no dia 7 de abril, que autoriza as autoridades sanitárias das Vigilâncias Sanitárias, aplicarem multas a pessoas físicas e jurídicas, que insistirem no descumprimento das medidas de saúde decretadas no Estado para o enfrentamento do novo Coronavírus.  O valor da multa por infração varia de R$ 500 a R$ 5 mil para pessoas físicas e de R$ 5 mil a R$ 17.650 para pessoas jurídicas.

Escrito por: Marta Alencar e Igor Macêdo

Conteúdo impostor sobre proposta de redução de 20% dos salários dos servidores estaduais

Por: Marta Alencar

O governador do Piauí, Wellington Dias, teve novamente o seu nome envolvido em mais um boato, nesta sexta-feira (3). Um conteúdo com link suspeito vem sendo compartilhado por vários usuários piauienses em formato de notícia para enganar à população. Na informação enganosa, o texto que segue todo o formato de uma notícia jornalística, afirma que o governador teria proposto a redução de 20% dos salários dos servidores públicos por 4 meses. A matéria é atribuída pela segunda vez ao G1, mas o conteúdo não foi publicado pelo site. Inclusive o link é totalmente falso e produzido por golpistas para roubar dados dos usuários. A COAR apurou o conteúdo e confirma que é totalmente fraudulento e enganoso.

Informação com link fraudulento

Inclusive o governador negou um boato anterior, no dia 28 de março, de que teria anunciado o corte de 50% dos salários dos servidores, além de que teria determinado volta às aulas e abertura total do comércio a partir do dia 30 de março.

O governador já havia desmentindo outro boato em seu perfil pessoal

A COAR informa que comumente golpistas ou pessoas ardilosas utilizam logotipos de sites de notícias com o intuito de levar desinformação ou manipular à população. Verifique sempre o site de notícia e evite clicar em links desconhecidos.