Lázaro Barbosa escapou da Polícia em direção ao Piauí?

Mais um conteúdo impostor e com tom satírico é divulgado nas redes sociais e em grupos de WhatsApp sobre a fuga de Lázaro Barbosa de Sousa, suspeito de uma série de crimes no Distrito Federal e em Goiás. O criminoso é citado em vários memes na internet, no entanto, alguns levam desinformação também ao distorcerem conteúdos com a logo e com links falsos de sites jornalísticos.

Dessa vez o Portal G1 (O portal de notícias da Globo) foi alvo dessa desinformação. Onde um link falso informava que Lázaro estava vindo em direção ao Piauí. Ao clicar no link, o usuário é direcionado a um meme com o humorista Tiririca:

A COAR alerta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Marta Alencar

Lázaro é capturado por policiais?

É falso o vídeo que vem sendo divulgado em inúmeros grupos de WhatsApp de que Lázaro Barbosa de Sousa, suspeito de uma série de crimes no Distrito Federal e em Goiás foi encontrado por policiais. Ele está sendo foragido desde 2016 e tem extensa ficha criminal, segundo a polícia. Infelizmente o criminoso ainda não foi encontrado.

O vídeo verdadeiro é de janeiro deste ano e mostra o momento em que um homem não identificado foi preso por cometer furtos de fios elétricos em uma igreja localizado na avenida Camapuã, no bairro Cidade de Deus, na Zona Norte de Manaus. O suspeito se escondeu dentro de uma freezer para despistar a polícia conforme reportagem do site Imediato.

A COAR alerta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Marta Alencar

Governador Rui Costa foi flagrado aglomerando sem máscara em meio à pandemia da Covid-19?

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), foi flagrado dançando forró, sem máscara, em meio à pandemia da Covid-19? A informação que circula massivamente em grupos de WhatsApp e acompanha um vídeo em que aparece não só o gestor, como também os senadores Otto Alencar (PSD-BA) e Jaques Wagner (PT-BA) é falsa, pois o vídeo em questão é de 2018, antes da pandemia. O texto diz o seguinte: “A TURMA DO FIQUE EM CASA E DA CPI DA CLOROQUINA TODOS SEM MÁSCARAS NO FORRÓ NO FINAL DE SEMANA NA BAHIA”.

Foto: reprodução/WhatsApp

Na gravação Rui Costa está dançando com uma mulher, não identificada, ao som de uma banda de forró. Os demais presentes acompanham cantando.

O governador Rui Costa dançando forró em uma festa na Bahia (Foto: reprodução/YouTube)

Depois de checagem foi possível confirmar que o vídeo foi disponibilizado na internet (especificamente no YouTube) em 2018, portanto, bem antes da pandemia da Covid-19. Diante disso, é possível confirmar que a informação analisada é falsa.

A gravação não contém montagem. De acordo com uma das páginas onde o mesmo foi disponibilizado, as cenas foram registradas na cidade de Irecê-BA.

A COAR alerta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Wanderson Camêlo

COAR lança cursos educacionais com preços acessíveis para acadêmicos e profissionais

Neste primeiro semestre, a COAR está lançando uma extensão educacional: COAR EDUCA para oferecer cursos técnicos com professores para manutenção do projeto, principalmente para custos do site e da equipe. O projeto não recebe doações, mas já recebeu em junho de 2020 de amigos próximos da fundadora. Mas todo o dinheiro foi entregue para ex-membros, exceto para a fundadora.
Diante dos custos em manter o projeto há mais de um ano, sem apoio de empresas, instituições e doações, a COAR decide seguir os passos de grandes projetos de fact-Checking no Brasil, como a Lupa e Aos Fatos.
É a primeira vez que a COAR lança a extensão focada em levar conhecimento de fácil acesso, online e com custo quase zero. No ano passado, a COAR divulgou um evento nacional sobre desinformação, que ganhou notoriedade e centenas de inscrições.

A primeira Edição do COAR Educa contará com três cursos, exibidos no período de 24 a 25 de junho, em uma plataforma digital. Os cursos contam com professores, apoiadores do projeto.

“Redação jornalística para a Web” com Ruthy Costa

Mestra em Comunicação pela Universidade Federal do Piauí (PPGCOM/UFPI) com pesquisa na linha Processos e Práticas do Jornalismo. Graduada em Comunicação Social – Jornalismo e Relações Públicas pela Universidade Estadual do Piauí (UESPI). Membro do Núcleo de Pesquisa em Jornalismo e Comunicação – NUJOC/UFPI. Professora no Instituto de Educação Superior Raimundo Sá (IESRSA).

“Marketing Digital” com Rannyelle Andrade

Mestranda em Comunicação pela Universidade Federal do Piauí (PPGCOM/UFPI), Especialista em Comunicação, Mídias Sociais e Marketing Político. Docente do Ensino Superior, Administração Estratégica e membra do Núcleo de Pesquisa em Estratégia em Comunicação (NEPEC/UFPI). A pesquisadora desenvolve pesquisas em Marketing, Mídias Sociais, Comunicação Política, Análise de Discurso e Estratégia de Dados.

“Fact-checking: técnicas de checagem para jornalistas” com Victor Martini Gabry

Pesquisador em desinformação e agências de checagem na Universidade Federal Fluminense (UFF) e repórter checador no Coletivo Bereia (RNCD).

Para os interessados, basta fazer a inscrição por aqui.

Os três cursos custarão apenas R$ 30. Os cursos serão realizados de 24 a 25 de junho de 2021. Os horários serão divulgados em breve.

Todos os valores arrecadados e o que for realizado com os investimentos serão apresentados na seção Transparência.

Pesquisa da Defensoria Pública do Rio de Janeiro sobre vacinação em Duque de Caxias é verdadeira?

A COAR recentemente recebeu uma mensagem que fala de uma pesquisa da Defensoria Pública do Rio de Janeiro, que é acompanhada por um documento — PDF — que diz respeito a uma pesquisa levantada pelo órgão para apurar irregularidades diante das aplicações da segunda dose da vacina contra o novo Coronavírus (Covid-19).

Foto: reprodução/WhatsApp

A COAR entrou em contato com a Defensoria Pública do Rio de Janeiro, que confirmou a autenticidade do documento. “Diante de inúmeras notícias de pessoas que não conseguiram receber a 2ª dose da vacina contra a COVID-19 no município de Duque de Caxias, a Defensoria Pública vem buscar informações mais concretas sobre essas pessoas, a fim de que medidas judiciais possam ser tomadas”, disse o órgão em resposta ao nosso e-mail.

No mais, até o fechamento desta checagem, a Defensoria não forneceu mais informações a respeito da pesquisa em si. Também não encontramos nada referente à mesma nos canais de comunicação — site e redes sociais — da Defensoria Pública e em outros veículos de notícias.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Kryssyno Oliveira

REDE GLOBO: Documento sigiloso 2020 revela diretrizes de pautas sobre Covid-19 para atingir atual governo?

Existem conteúdos que manipulam informações e tentam usar marcas de empresas de comunicação para deturpar dados e assim enganar usuários, principalmente relacionadas à Covid-19. É frequente o número de conteúdos que tentam descredibilizar o papel da imprensa na cobertura sobre a pandemia no país. Grupos extremistas utilizam variadas formas para provocar tal confusão, desde humanos a bots (robôs).

O primeiro ponto da distorção é a logo, além de ser ultrapassada não é semelhante a atual apresentada pela Rede Globo. A Globo começou este ano lançando sua nova marca. Conforme informações colocadas no site institucional do Grupo, a logo “representa uma empresa que cresceu, que traduz essa nova Globo, mais leve, mais próxima”.

Novo logo da Globo apresentada

A evolução das logos da Rede Globo nos últimos anos, o que demonstra mais uma vez que essa logo de 2020 no suposto documento é falso. Além disso, a COAR questiona mais uma vez a veracidade de tal documento, pois não releva o apresentador, que teria sido demitido.

Fonte:  GKPB

O segundo ponto questionado pela COAR é que o título do documento soa totalmente arbitrário e enganoso. Porque pauta jornalista tem um outro formato, que segue objetivos fontes e etc. O documento falso apresentado se realmente tivesse credibilidade deveria ser chamado de diretrizes editoriais para todos os veículos que compõem a Rede Globo e não apenas Pauta para Covid-19, no singular.

Documento é falso

Outro ponto discutível no documento é que claramente mostra que os telejornais da Rede Globo seriam orientados a não ouvir autoridades, servidores ou pesquisadores, o que realmente não é verdade. Confira vídeos de entrevistas aqui. Além disso, é importante ler o documento da Rede Globo, que apresenta os seus princípios editoriais.

Além disso, o documento falso utiliza o nome de Cláudio Marques, editor-chefe do Jornal Hoje, ou seja, que não é editor-chefe da Rede Globo.

A COAR alerta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Marta Alencar

Lista de líderes mais corruptos do mundo é falsa

A COAR recentemente recebeu uma mensagem que fala sobre uma lista da Transparência Internacional com os líderes mais corruptos do mundo. O levantamento apontou o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) como primeiro colocado.

Foto: Reprodução/WhatsApp.

Confira a mensagem completa:

“Divulgado pela revista Veja Oeste, o ex-Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva entrou para o ranking dos líderes mais corruptos da história da humanidade.

E adivinhe só: Lula é o número 1 da lista.

Uma vitória para o Brasil (ironia).

O Partido dos Trabalhadores (PT) é considerado o partido que mais roubou um país na história. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), a corrupção durante a era Lula e Dilma pode ter sido de aproximadamente 206 bilhões de dólares, ao longo dos 13 anos do PT no poder.

Considerando que Lula é o líder supremo do partido, e esteve nos bastidores controlando tudo enquanto Dilma era Presidente da República entre 2010 e 2015, o petista pode assumir o topo da lista dos líderes mais corruptos do mundo.

“A lista foi realizada pela Organização Não-Governamental de anti-corrupção que é sediada na Alemanha, chamada Transparência Internacional.

Veja abaixo a lista com os 10 líderes mais corruptos do mundo, que inclui Lula na primeira posição:

Ex-presidente do Brasil, Lula ($ 206 bilhões – entre 2003 e 2015)

Ex-presidente da Indonésia, Suharto ($ 15 bilhões – $ 35 bilhões entre 1967 e 1998)

Ex-presidente das Filipinas, Ferdinand Marcos ($ 5 bilhões – $ 10 bilhões entre 1972 e 1986)

Ex-presidente do Zaire, Mobutu Sese Seko ($ 5 bilhões entre 1965 e 1997)

Ex-chefe de Estado da Nigéria, Sani Abacha ($ 2 bilhões – $ 5 bilhões entre 1993 e 1998)

Ex-presidente da Iugoslávia e da Sérvia, Slobodan Milošević ($ 1 bilhão entre 1989 e 2000)

Ex-presidente do Haiti, Jean-Claude Duvalier ($ 300 milhões – $ 800 milhões entre 1971 e 1986)

Ex-presidente do Peru, Alberto Fujimori ($ 600 milhões entre 1990 e 2000)

Ex-primeiro-ministro da Ucrânia, Pavlo Lazarenko ($ 114 milhões – $ 200 milhões entre 1996 e 1997)

Ex-presidente da Nicarágua, Arnoldo Alemán ($ 100 milhões entre 1997 e 2002)

Ex-presidente das Filipinas, Joseph Estrada ($ 78 milhões – $ 80 milhões entre 1998 e 2001)

“PT NUNCA MAIS”

A informação checada pela COAR é falsa. Diversas agências de checagens no Brasil já haviam realizado checagens da mesma lista, que circula pela internet desde 2004. Desta vez com algumas mudanças, mas com os mesmos dados, é possível ver que o link da informação está direcionado para o site de notícias No Momento, que teve a notícia apagada.

Notícia de lista falsa é apagada de site. Foto: Reprodução.

Outra ponto importante diz respeito à “revista Veja Oeste”; analisamos que o nome do veículo de comunicação é falso. Não existe o meio de comunicação citado, mas o portal Veja Oeste, que publicou a lista dos líderes no ano passado, mas ela foi tirada do ar. A COAR conseguiu acessar a notícia por meio de uma ferramenta de busca. O uso da palavra revista pode gerar uma confusão no leitor, pois se associa aos nomes das tradicionais revistas Veja, da editora Abril, e Oeste. Nenhuma delas postou algo relacionado à lista em questão.

Já a lista dos líderes mais corruptos também é falsa. Não encontramos nenhuma lista ou ranking a respeito no site oficial da Transparência Internacional. Por outro lado, a Transparência Internacional, que é uma organização mundial de combate a corrupção no mundo, divulga anualmente o Índice de Percepção da Corrupção (IPC), que é o principal indicador de corrupção do mundo.

Ele avalia 180 países e territórios e os atribui notas em uma escala entre 0 (quando o país é percebido como altamente corrupto) e 100 (quando o país é percebido como muito íntegro). Em nenhuma das suas edições foi destacada a lista citada na mensagem. A sua última edição é a de 2020, clique aqui para conferir.

Também não encontramos nada referente ao valor de U$ 206 bilhões de dólares com base no Ministério Público Federal (MPF), como aponta a mensagem, ou seja, é falso.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Kryssyno Oliveira

Referências da COAR

Transparency International

Transparência Internacional Brasil

Ministério Público Federal (MPF)

COAMOS: Imagem com lista de medicamentos contra Covid-19 é falsa

Mais uma vez voltamos a falar de um tema bastante discutido aqui na COAR, a eficácia dos medicamentos Ivermectina, Azitromicina, Hidroxicloroquina e Zinco. Como já foi destacado, os mesmos não possuem comprovação científica contra o novo Coronavírus (Covid-19), no entanto, ainda circulam diversas informações que apontam o contrário do que a ciência divulga. 

Dessa vez, recebemos uma imagem que diz que os remédios citados acima são eficazes no tratamento contra a Covid-19 (veja a imagem abaixo). O conteúdo foi compartilhado no WhatsApp e é falso, pois não há eficácia contra a doença. 

Informação falsa. Foto: reprodução/WhatsApp

Em nota, a Associação Médica Brasileira (AMB), afirma que o uso de medicamentos como hidroxicloroquina/cloroquina, ivermectina, nitazoxanida, azitromicina e colchicina, entre outras drogas, não possuem eficácia científica no tratamento – tratamento precoce – ou prevenção da Covid-19, seja na fase inicial ou avançada. 

Confira algumas checagens da COAR sobre os medicamentos:

COAMOS: Ivermectina não é 90% eficaz na prevenção à covid-19
Ivermectina supera vacinas ao ter 83% de eficácia contra Covid-19?

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Kryssyno Oliveira

Referências da COAR

Associação Médica Brasileira (AMB)

Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI)

COAMOS: Chapecó é exemplo no combate à Covid-19?

A COAR recebeu o link de uma entrevista onde o prefeito de Chapecó (SC), João Rodrigues (PSD), fala dos trabalhos executados durante o aumento de casos do novo Coronavírus (Covid-19), registrado no final de janeiro a março deste ano. A postagem é direcionada para a página no Facebook do deputado federal Carlos Jordy (PSL).

Entrevista do prefeito de Chapecó (SC), João Rodrigues (PSD), na Jovem Pan News. Reprodução/Facebook.

O vídeo acima é verdadeiro. A entrevista ocorreu no programa “Os Pingos nos Is” da rádio e TV na internet Jovem Pan News.

A cidade de Chapecó virou notícia nacional após ser apresentada como ‘cidade de exemplo a ser seguida’.

Como já foi destacado várias vezes aqui na COAR, o chamado tratamento precoce não tem comprovação científica. No entanto, o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), e outras pessoas continuam afirmando que a ação é eficaz contra a Covid-19.

Segundo João Rodrigues, o tratamento precoce deu certo em Chapecó. Porém, a queda de casos, na verdade, ocorreu por conta dos 14 dias de lockdown, com a ampliação de leitos, testagem rápida e isolamento das pessoas. O tratamento precoce é discutido pelo prefeito desde que assumiu o cargo no começo deste ano, durante a primeira reunião oficial de sua gestão. João Rodrigues, destacou que a medida não era obrigatória, mas tinha que estar disponível e não ficaria ninguém entubado na UTI por falta de tratamento precoce.

Além disso, é importante destacar que os casos da doença em Chapecó não foram zerados e sim reduzidos. A referência de que a cidade zerou os casos é com relação aos dados do Centro Avançado de Atendimento Covid-19 (CAAC), montado no Centro de Eventos de Chapecó, que teve as duas enfermarias e a Unidade de Terapia Semi-Intensiva (UTSI) desativadas após as altas e transferências de pacientes para outras unidades.

A medida de isolamento na cidade já foi suspensa e os leitos temporários foram desativados, porém, seguem montados como prevenção caso haja uma nova onda de infecções.

Amento de casos

No dia primeiro de janeiro deste ano, Chapecó tinha 14.569 casos, 123 óbitos e 69 internações. Durante o período em que a cidade se encaminhava para um novo pico, o poder público começava a flexibilizar as medidas de restrições do funcionamento de alguns setores econômicos. 

Nesse período, em 25 de janeiro, durante uma reunião do comitê do Comitê de Enfrentamento à Covid-19, um médico sugeriu mais capacitação dos profissionais e o uso de tratamento precoce quando as pessoas apresentarem sintomas da Covid-19 para diminuir o impacto da doença e salvar vidas. Na data, a cidade tinha 16.148 casos, 136 óbitos e 54 internações.

A maior quantidade de internações foi no dia 10 de fevereiro, com 105 internações, 145 óbitos e 18.051 casos. Os aumentos, depois desse dia só continuaram, que foi quando o prefeito passou a adotar medidas de restrição.

Do dia em que o lockdown foi anunciado, em 12 de fevereiro, Chapecó tinha 18.510 casos, 147 óbitos e 129 internações. A cidade chegou até o final da medida de restrição, anunciada no dia 04 de março, com 314 internações, 321 óbitos e 27.364 casos.

No dia 05 de março, a cidade registrou 351 internações, 326 óbitos e 27.629 casos. No dia seguinte, as internações seguiram em queda, mas os casos e óbitos continuaram a aumentar. (Clique aqui para conferir todos os boletins epidemiológicos).

Boletim epidemiológico de casos da Covid-19 em Chapecó do dia 10/04. Foto: reprodução/prefeitura de Chapecó

Medicamentos e tratamento precoce

Em nota, a Associação Médica Brasileira (AMB), afirma que o uso de medicamentos como hidroxicloroquina/cloroquina, ivermectina, nitazoxanida, azitromicina e colchicina, entre outras drogas, não possuem eficácia científica no tratamento – tratamento precoce – ou prevenção da Covid-19, seja na fase inicial ou avançada. 

As medidas preventivas de acordo com diversas entidades de saúde são: uso de máscaras, higienização frequente das mãos, distanciamento social e a proteção de olhos e mucosas, como pontua o Conselho Federal de Medicina (CFM).

As duas entidades afirmam ainda que a vacinação em massa de todos os brasileiros é a medida mais eficaz no combate à Covid-19. Até o momento, de acordo com a ferramenta de monitoramento de vacinação do Governo Federal, o Vacinômetro, cerca de 26.483.297 doses foram aplicadas.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Kryssyno Oliveira

Referências da COAR

Os Pingos nos Is

Jovem Pan News

Prefeitura de Chapecó

TV Agência Brasil

G1/SC

Associação Médica Brasileira (AMB)

Conselho Federal de Medicina (CFM)

COAMOS: Hospital é construído em 35 dias em São José dos Campos?

Recentemente a COAR recebeu uma mensagem que parabeniza a cidade de São José dos Campos (SP) pela construção de um hospital em 35 dias. Analisamos o conteúdo recebido para saber a veracidade das informações, confira.

Reprodução/WhatsApp

A mensagem acima é verdadeira, a COAR investigou que a unidade citada é o hospital retaguarda (pronto-socorro) construído pela prefeitura de São José dos Campos (SP) em 35 dias no ano passado. A expectativa era de que a unidade ficasse pronta em 45 dias, mas as obras foram concluídas antes do prazo. 

O hospital, assim como frisa a mensagem, não é de campanha, tanto que a prefeitura municipal de São José dos Campos optou em fazer com que a unidade não fosse destinada para pessoas com Covid-19.

A obra custou cerca de R$ 12,9 milhões, sendo R$ R$ 4,5 milhões da prefeitura da cidade e R$ 8,4 por entidades privadas, sendo 3,1 mil metros quadrados, com 1,5 mil metros de área construída.

Hospital de Campanha do Pacaembu

A mensagem ainda compara os gastos financeiros com o do hospital de campanha do Pacaembu, em São Paulo. Fechado no dia 29 de junho do ano passado, após a queda no número de internações por Covid-19, o hospital encerrou as atividades com um custo de R$ 23 milhões.

Com 200 leitos para atendimento ao novo coronavírus, durante o período de funcionamento, o local recebeu cerca 1.500 pacientes com a Covid-19. Além disso, os equipamentos utilizados no hospital tinham um custo de R$ 7 milhões que foram transferidos para outros hospitais da região.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Kryssyno Oliveira