COAR EDUCA lança dois cursos de Produção e Edição de Podcast em parceria com Malamanhadas

Mais uma parceria de sucesso! A Produtora de podcasts no Nordeste, Malamanhadas, idealizada por quatro mulheres incríveis, oferta dois cursos em parceria com o COAR EDUCA: Como Fazer Podcast e Edição de Áudio. Os cursos serão realizados nos dias 30 e 31 de outubro e ministrados pelas professoras:

Jade Araújo – Jornalista, podcaster, produtora e editora de áudio

Aldenora Cavalcante – Jornalista, co-fundadora do Malamanhadas Produtora, podcaster e produtora

Ananda Omati – Jornalista, idealizadora do Malamanhadas Produtora, podcaster e editora de áudio

O Curso de Extensão Como Fazer Podcast terá 3h de duração e custa o investimento de R$ 60. Já o curso Edição de Áudio também com 3h de duração terá o investimento de apenas R$ 80. Os dois cursos custarão R$ 100.

Se você quer fazer sua inscrição basta preencher o Formulário e enviar o comprovante para o email coarnews@gmail.com.

Pesquisa da Defensoria Pública do Rio de Janeiro sobre vacinação em Duque de Caxias é verdadeira?

A COAR recentemente recebeu uma mensagem que fala de uma pesquisa da Defensoria Pública do Rio de Janeiro, que é acompanhada por um documento — PDF — que diz respeito a uma pesquisa levantada pelo órgão para apurar irregularidades diante das aplicações da segunda dose da vacina contra o novo Coronavírus (Covid-19).

Foto: reprodução/WhatsApp

A COAR entrou em contato com a Defensoria Pública do Rio de Janeiro, que confirmou a autenticidade do documento. “Diante de inúmeras notícias de pessoas que não conseguiram receber a 2ª dose da vacina contra a COVID-19 no município de Duque de Caxias, a Defensoria Pública vem buscar informações mais concretas sobre essas pessoas, a fim de que medidas judiciais possam ser tomadas”, disse o órgão em resposta ao nosso e-mail.

No mais, até o fechamento desta checagem, a Defensoria não forneceu mais informações a respeito da pesquisa em si. Também não encontramos nada referente à mesma nos canais de comunicação — site e redes sociais — da Defensoria Pública e em outros veículos de notícias.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Kryssyno Oliveira

COAMOS: Hospital é construído em 35 dias em São José dos Campos?

Recentemente a COAR recebeu uma mensagem que parabeniza a cidade de São José dos Campos (SP) pela construção de um hospital em 35 dias. Analisamos o conteúdo recebido para saber a veracidade das informações, confira.

Reprodução/WhatsApp

A mensagem acima é verdadeira, a COAR investigou que a unidade citada é o hospital retaguarda (pronto-socorro) construído pela prefeitura de São José dos Campos (SP) em 35 dias no ano passado. A expectativa era de que a unidade ficasse pronta em 45 dias, mas as obras foram concluídas antes do prazo. 

O hospital, assim como frisa a mensagem, não é de campanha, tanto que a prefeitura municipal de São José dos Campos optou em fazer com que a unidade não fosse destinada para pessoas com Covid-19.

A obra custou cerca de R$ 12,9 milhões, sendo R$ R$ 4,5 milhões da prefeitura da cidade e R$ 8,4 por entidades privadas, sendo 3,1 mil metros quadrados, com 1,5 mil metros de área construída.

Hospital de Campanha do Pacaembu

A mensagem ainda compara os gastos financeiros com o do hospital de campanha do Pacaembu, em São Paulo. Fechado no dia 29 de junho do ano passado, após a queda no número de internações por Covid-19, o hospital encerrou as atividades com um custo de R$ 23 milhões.

Com 200 leitos para atendimento ao novo coronavírus, durante o período de funcionamento, o local recebeu cerca 1.500 pacientes com a Covid-19. Além disso, os equipamentos utilizados no hospital tinham um custo de R$ 7 milhões que foram transferidos para outros hospitais da região.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Kryssyno Oliveira

COAR em Ação: Projeto de fact-checking se une à iniciativas sociais para solicitar doações ao público

Em comemoração há um ano do site COAR, primeiro projeto de fact-checking no Piauí, os voluntários decidiram promover uma Campanha Social em parceria com duas iniciativas: Eu Quero Ajudar e Brincando com Livros. A COAR resolveu realizar a ação em prol de crianças e famílias carentes. Esperamos contar com sua ajuda para espalhar essa corrente do bem!

O projeto Eu quero ajudar é formado por voluntários que promovem ações filantrópicas em Teresina e outras cidades, onde distribuem alimentos a moradores de rua. Doe 1kg de Alimento, utensílios ou faça sua doação por transferência bancária!

Contas para doação do Eu Quero Ajudar:

• Banco do Brasil
Agência: 1637-3
Conta poupança: 47393-6
Variação: 51
Titular: Priscilla Carolina M. Jacó
CPF: 965.257.203-97

• Caixa Econômica Federal
Agência: 0029. Operação: 013
Conta poupança: 00287791-0
Titular: Francilucia Medeiros
CPF: 249.366.343-87

ONG Brincando com os Livros é uma iniciativa sem fins lucrativos, com a missão de incentivar a leitura infantil em crianças da comunidade Cidade Jardim, periferia da cidade de Teresina. 

O aluguel da sede, os gastos com material de limpeza, conta de luz, dedetização, entre outros, são pagos através de doações e bazares beneficentes.

Participe da Vaquinha Online: https://www.vakinha.com.br/vaquinha/ajude-a-ong-brincando-com-os-livros

LOCKDOWN: OMS não condena isolamento total

Com mais de 290 mil mortes registradas por Covid-19 no Brasil, o volume de desinformações sobre o vírus cresce cada vez mais. Nesse cenário, desinformações já verificadas e contestadas por fact-checkers e jornalistas em 2020 voltam a circular novamente este ano. Uma delas está em destaque abaixo:

A informação distorce o posicionamento da OMS

Primeiramente, os conteúdos desinformativos utilizam a imagem do diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom ao invés de David Nabarro, enviado especial da OMS, que concedeu uma entrevista para a revista britânica The Spectator, e onde apontou pontos positivos e negativos do lockdown.

A entrevista de David Nabarro, enviado especial da OMS foi distorcida e compartilhada por imagens, vídeos e textos nas redes sociais, principalmente no Facebook e WhatsaApp. Na verdade, Nabarro disse que o lockdown diminui a velocidade de contágio do vírus.

“Eu gostaria de afirmar novamente: nós, da Organização Mundial de Saúde, não defendemos o lockdown como o primeiro meio de controle do vírus. O único momento em que nós acreditamos que o lockdown é justificado é para ganhar tempo para reorganizar, reagrupar e rebalancear seus recursos; proteger seus profissionais de saúde que estão exaustos. Mas, em geral, nós preferimos não fazer isto”. Embora esteja ligado à OMS, David Nabarro não é um dos diretores da organização. Ele atua como enviado especial da OMS para assuntos relacionados à pandemia.

Dias após a entrevista de Nabarro, o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom, reforçou que a entidade não condena o isolamento total e declarou:

Existem muitas ferramentas à nossa disposição: a OMS recomenda localização de casos, isolamento, testes, cuidado compassivo, rastreamento de contato, quarentena, distanciamento físico, higiene das mãos, máscaras, etiqueta respiratória, ventilação, evitar multidões e muito mais.  Reconhecemos que, em certos pontos, alguns países não tiveram escolha a não ser emitir pedidos de permanência em casa e outras medidas para ganhar tempo. Muitos países usaram esse tempo para desenvolver planos, treinar profissionais de saúde, colocar suprimentos, aumentar a capacidade de teste, reduzir o tempo de teste e melhorar o atendimento aos pacientes. A OMS espera que os países usem intervenções direcionadas onde e quando necessário, com base na situação local.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Marta Alencar

Referências da COAR:

The Spectator

Estadão Verifica

Prefeitura Municipal oferece inscrições para Vale-Gás 2021?

Mais um cadastro sobre suposto programa Vale Gás viraliza na internet. A COAR recebeu de leitores a mensagem (abaixo) e checou para conferir se era autêntica e de alguma Prefeitura. Após a checagem, a COAR informa que nenhuma Prefeitura está ofertando Programa Vale Gás 2021 e muito menos o Governo Federal.

A informação contém um mesmo link enganoso já checado pela COAR no ano passado

Primeiramente, a COAR averiguou as informações a respeito do suposto programa em páginas da internet e não há nenhum dado ou notificação sobre esse suposto programa em sites de prefeituras municipais. A COAR também alerta que conteúdos com títulos apelativos como “Informação Urgente” ou “Inscrições Abertas” geralmente são criados por golpistas ou hackers, por isso evite clicar em links com tais títulos.

Leia mais:  Programa Vale Gás entrega benefício de R$ 70 a R$ 210 para quem realizar cadastro? Verificamos conteúdo na internet

COAMOS: Suposto cadastro do Programa Vale Gás

Além disso, a COAR alerta para que nenhum leitor preencha seus dados em qualquer tipo de mensagem por aplicativo sem antes consultar a veracidade do contexto. Em caso de qualquer dúvida procure os órgãos oficiais da Prefeitura de onde você reside. Caso tenha preenchido o cadastro e se sinta lesado deve procurar a Delegacia de Polícia para registro de queixa e formalização de Boletim de Ocorrência.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Marta Alencar

CAFÉ: Boatos e verdades sobre seus benefícios

Já tomou o seu cafezinho hoje? A COAR é um projeto criado inspirado no café, precisamente em seu processo de filtragem, que lembra o de apuração. O café é a segunda bebida mais consumida no Brasil segundo a Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic). O grão é repleto de compostos antioxidantes, vitaminas e minerais que trazem diversos benefícios e pode até mesmo prevenir doenças. No entanto, o café é também alvo constante de boatos na internet. A COAR entrevistou a nutricionista e mestranda do Programa de Pós-graduação de Ciências e Saúde da Universidade Federal do Piauí (UFPI), Ana Rafaela Pereira, para esclarecer esses boatos no Quadro “Saúde sem Desinformação”.

1 – Café faz bem para diabéticos?

Nutricionista: Sim, porém seu uso não se torna obrigatório. Estudos feitos com o café e chá verde demostraram que a cafeína presente em ambos pode auxiliar na prevenção do desenvolvimento da diabetes mellitus tipo 2 (DM2), fazendo com que ocorra a redução do colesterol e glicose em jejum, além de atividade anti-inflamatória e atividade antioxidante. Já em pacientes que possuem DM2, alguns estudos são inconclusivos com a potencial eficácia do café, mas em um deles, onde foi observado 4.923 pacientes, demonstrou que o café e chá verde auxiliaram na redução no número de mortes ocasionadas pelo DM2. Lembrando que paciente diabéticos deve-se ter cuidado ao adoçar as preparações, sendo sempre indicado a procura de um profissional da nutrição para ser orientado no que se deve usar.

2 – Café satura os nutrientes dos outros alimentos?

Nutricionista: O café possui excelentes benefícios para saúde, mas o seu consumo inadequado também nos traz prejuízos. Dentre esses o mais comum é a menor biodisponibilidade do cálcio presente em alguns alimentos, ou seja, o nosso organismo não conseguirá absorver todo o cálcio que consumimos devido a cafeína. Outro exemplo é a menor absorção do ferro presente em carnes. Por isso, o consumo do café deve ser moderado e de preferência que não seja após grandes refeições. Lembrando que a cafeína ela está presente não só no café, como em chás verdes e preto (principalmente o chimarrão), chocolate, refrigerante e bebidas energéticas.

3 – Café pode combater o câncer?

Nutricionista: Sim, mas atenção não adianta sair consumindo litros e mais litros de café! Estudos vem sendo realizados com o ácido cafeico, que é uma substância que pode ser extraída do café, e o mesmo demostra um potencial antioxidante, ou seja, auxilia na prevenção do câncer. Importante lembrar mais uma vez que isso só será realmente eficaz se o indivíduo possuir toda uma alimentação saudável, praticar atividades físicas, não fumar, não consumir bebidas alcoólicas em excesso dentre outros fatores. Informação importante para que já possui câncer e faz tratamento, é conversar com seu médico e nutricionista oncológico para saber se o consumo do café está liberado, pois o ácido cafeico pode diminuir a eficácia da medicação em alguns tratamentos.

4 – Café faz mal para os dentes?

Nutricionista: Deve-se lembrar que o cálcio é importantíssimo para formação dos dentes, e se o indivíduo possui uma grave deficiência desse nutriente e ainda assim faz uso do café, podemos dizer que sim, fará mal. Nos demais casos não há com que se preocupar, claro o café possui uma coloração muito forte e pode auxiliar em partes no escurecimento ou manchas nos dentes, principalmente após determinados tipos de procedimentos dentários. O mais aconselhado é que se converse com seu dentista para saber se em seu caso poderá fazer o consumo livre do café e a temperatura ideal.

5 – Beber café emagrece?

Nutricionista: Não! Não há alimento ou bebida que faça uma pessoa emagrecer por si só, o que há é um conjunto de fatores envolvendo a alimentação no geral e o auxílio de atividade física ideal para cada pessoa. A cafeína em si, utilizada de forma correta, pode auxiliar no processo de reeducação alimentar para perca de peso, trazendo os seus variados benefícios discutidos anteriormente. Algumas pessoas fazem seu uso por ser energético e assim obter um melhor rendimento no treino, mas isso varia muito de pessoa para pessoa e o mais aconselhado é buscar um profissional da nutrição para que se tenha uma prescrição correta e saudável.

Escrito por: Ana Rafaela Pereira e Marta Alencar

REFERÊNCIAS CIENTÍFICAS DA COAR:

ALKHATIB A, TSANG C, TISS A, BAHORUN T, AREFANIAN H, BARAKE R, KHADIR A, TUOMILEHTO J. Functional Foods and Lifestyle Approaches for Diabetes Prevention and Management. Nutrients. 2017 Dec 1;9(12):1310.

CORNELIS MC, MUNAFO MR. Mendelian Randomization Studies of Coffee and Caffeine Consumption. Nutrients. 2018 Sep 20;10(10):1343.

FERNANDES, Elenise Stuker et al. O consumo de cafeína e de cálcio por idosas institucionalizadas. Disciplinarum Scientia| Saúde, v. 9, n. 1, p. 89-99, 2008.

KOMORITA Y, IWASE M, FUJII H, OHKUMA T, IDE H, JODAI-KITAMURA T, YOSHINARI M, OKU Y, HIGASHI T, NAKAMURA U, KITAZONO T. Additive effects of green tea and coffee on all-cause mortality in patients with type 2 diabetes mellitus: the Fukuoka Diabetes Registry. BMJ Open Diabetes Res Care. 2020 Oct;8(1):e001252.

LANZILLOTTI, Haydée Serrão et al. Instrument to evaluate the combination of foods to make iron more bioavailable in the diet. Ciência & Saúde Coletiva, v. 23, n. 12, p. 4107-4118, 2018.

SEMIZ S, SERDAREVIC F. Prevention and Management of Type 2 Diabetes and Metabolic Syndrome in the Time of COVID-19: Should We Add a Cup of Coffee? Front Nutr. 2020 Oct 6;7:581680.