COAMOS: Governo federal divulgou nova lista com datas de vacinação contra a Covid-19?

Uma lista, supostamente divulgada pelo governo federal, com datas relacionadas à nova etapa de vacinação contra a Covid-19 circula nas redes sociais. Nossa reportagem recebeu a informação e checou a veracidade do conteúdo.

De acordo com o texto, a previsão de imunização para a população de 20 a 18 anos, por exemplo, é para o mês de agosto deste ano. O conteúdo continua sendo dissipado em grupos de WhatsApp.

Foto: reprodução/WhatsApp

Analisando a mensagem em termos gramaticais, é possível deduzir que se trata de mais uma chamada “fake news”. Quando o autor (desconhecido) se refere à doença causada pelo novo coronavírus, não há a separação do número “19” com o hífen.

A crase antes uma faixa etária e outra (problema detectado em boa parte do texto) também está aplicada de forma errada. Não se usa o acento indicativo de crase antes de palavras masculinas: no caso, “anos”.

Ademais, em outros pontos a crase é trocada pelo acento agudo.

Nossa reportagem também consultou a Fundação Municipal de Saúde de Teresina (FMS). Além de negar a veracidade da mensagem, a instituição divulgou uma tabela com as reais datas de imunização na capital.

Foto: divulgação/FMS

De acordo com o Ministério, “estados e municípios têm autonomia para montar seu próprio esquema de vacinação e dar vazão à fila de acordo com as características de sua população, demandas específicas de cada região e doses disponibilizadas”. Ou seja, o calendário de imunização não parte exclusivamente do governo federal, como deixa a entender a informação checada.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Wanderson Camêlo

Referências da COAR:

Agência Brasil

Wellington Dias e outros 21 governadores se negaram a diminuir o preço dos combustíveis?

Circula nas redes sociais uma imagem destacando que 22 governadores brasileiros rejeitaram baixar o preço dos combustíveis. Na lista consta em destaque o chefe do executivo piauiense, Wellington Dias (PT).

Frentista abastecendo um caminhão em posto da gasolina no Rio de Janeiro (Foto: reprodução/Exame)

A legenda diz: “conheça os 22 governadores que rejeitaram baixar o preço dos combustíveis”. Logo acima é destacada a palavra “vergonha”. Depois de pesquisa feita pela nossa equipe, foi possível constatar que a imagem, sem as frases destacadas acima ou qualquer outra montagem, consta em uma matéria jornalística publicada, em 06 de fevereiro de 2020, no site Clic Oeste, do interior de Santa Catarina.

Foto: reprodução/internet

Ou seja, o assunto não é recente (portanto, a informação está fora de contexto); ganhou holofotes justamente em fevereiro de 2020 depois de provocação do presidente da República, Jair Bolsonaro. Via Twitter, no dia 02 daquele mês, ele criticou os gestores estaduais devido à não viabilização de uma redução nos preços da gasolina e do diesel nas refinarias da Petrobras.

“Como regra, os governadores não admitem perder receita, mesmo que o preço do litro nas refinarias caia para R$ 0,50 o litro”, escreveu Bolsonaro na publicação. A crítica foi feita após reajuste realizado no preço dos combustíveis ainda no início do ano passado.

É fato que os gestores citados não entraram em acordo visando o reajuste no preço da gasolina, diesel e outros combustíveis, mas a informação contida na imagem analisada não é totalmente precisa. Vamos explicar logo abaixo o porquê.

Vários governadores rebateram o presidente da República por meio de carta conjunta. Comprometeram-se em promover a diminuição dos impostos que incidem nos combustíveis, para que fossem repassados a um preço menor ao consumidor final, desde que houvesse uma contrapartida por parte da União.

Os mandatários cobraram a organização de fóruns para o debate do assunto, além da realização de estudos técnicos. Destacaram, ainda na carta, que o governo federal “pode e deve imediatamente abrir mão das receitas de PIS, COFINS e CIDE, advindas de operações com combustíveis”. Ainda não houve diálogo com o Palácio do Planalto nesse sentido.

Só não assinaram o documento os governadores de Goiás, Rondônia, Acre e Tocantins.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Wanderson Camêlo

Referências da Coar:

Portal da revista Exame

Revista digital Valor Econômico

COAMOS: Imagem indica 12 vereadores de Teresina que votaram contra PL de climatização dos ônibus

Uma imagem que indica 12 vereadores que votaram contra instalação de ar-condicionado em ônibus do transporte público da capital piauiense ganhou as redes sociais recentemente. No conteúdo são citados 12 parlamentares com a seguinte frase: “Esses ‘queridos’ vereadores são contra ônibus com ar condicionado”.

Foto: reprodução/WhatsApp

Primeiro é necessário esclarecer que a montagem começou a circular por volta de 2016, quase um ano depois do projeto de lei, proposto pela vereadora Cida Santiago (PSD), entrar em pauta no parlamento municipal.  Em 2016, aliás, portais de notícias de Teresina chegaram a repercutir a fotomontagem. Além do portal Piauí, o Dia também publicou uma matéria onde mostra a repercussão de outra imagem com os vereadores citados na época. A página no Facebook Ratos na Política (a última postagem da página é de 2017) também criaram várias fotomontagens com os vereadores a respeito da votação dos mesmos contra a climatização dos ônibus de Teresina.

De fato, a proposta não contou com o aval da maioria do parlamento teresinense, mas nem todos os vereadores relacionados votaram contra. A exceção da lista foi a vereadora Graça Amorim, que pertencia ao PMB e hoje integra os quadros do Progressistas.  Em plenário ela foi a favor da aprovação da matéria, mas logo depois pediu vistas.

Diga-se de passagem, alguns dos citados não foram reeleitos, são eles: Ananias Carvalho, Tiago Vasconcelos, José Ferreira, e Celene Fernandes. Todos esses foram contra a proposta, assim como Valdemir Virgino (hoje no Progressistas), Levino de Jesus (Republicanos), Edson Melo (PSDB), Teresinha Medeiros (suplente e atualmente no PSL), Ricardo Bandeira (atualmente PSL), Jeová Alencar (PSDB; atual presidente da Câmara) e Luís André (agora filiado ao PSL).

Mais uma parte da mensagem que chama atenção é o fato do nome do vereador Waldemir Virgino estar grafado de forma errada. Foi escrito Waldemir Virgilio na montagem.

A matéria passou por votação no dia 28 de outubro de 2015.

Escrito por: Wanderson Camêlo

Caso você receba mensagens com informações duvidosas, questione e não compartilhe. Entre em contato conosco por meio do WhatsApp: (86) 99517-9773 ou pelo Instagram @coarnoticias.

Referências da COAR:

Câmara Municipal de Teresina

G1 Piauí

Piauí Hoje

Beber água a cada 15 minutos não previne infecção da COVID-19

A hidratação é importante em todos os momentos, não apenas na época de pandemia

Por: Ilriany Alves e Marta Alencar

Mitos e receitas milagrosas vêm circulado nas redes sociais sobre formas de prevenção ou tratamento do novo coronavírus. Uma dessas receitas sem fundamentação científica seria o consumo de água de 15 em 15 minutos. Um dos nossos leitores enviou para o nosso número, a informação abaixo. Apuramos e classificamos como falsa.

O texto destaca a importância da água na prevenção do corona vírus

Inclusive, recentemente, o prefeito de Parnaíba, Mão Santa, 77 anos, médico com especialidade em proctologia, acabou disseminando uma desinformação ao defender que a ingestão de água potável poderia evitar a Covid-19 em um vídeo produzido pela própria prefeitura. 

Mão Santa tem dado informações incorretas à população sobre a prevenção e o combate ao coronavírus

“Quando você bebe água, os germes, no caso os micróbios e vírus, estão na garganta, a água empurrar ele e vai para o estômago, aí o ácido clorídrico mata ele (o vírus), esteriliza ele. É muito mais importante você beber”, diz Mão Santa no vídeo. No entanto, o prefeito apresentou nenhuma comprovação científica sobre o assunto.

“Água no estômago não mata o vírus”

Em entrevista para a COAR, a infectologista, Elna Amara, afirmou que a informação é totalmente infundada. Segundo a especialista, beber água é importante em todo o tempo, não só no período de pandemia. “A hidratação é essencial para qualquer tipo de infecção, pois a garganta seca facilita a instalação de vírus e bactérias”, disse.

Ainda de acordo com a infectologista, as pessoas precisam ter cuidado com informações desconexas e promessas milagrosas na internet. “Essa história da água bater na garganta e levar pro estômago, não nos dá garantia alguma, até porque o vírus invade o DNA das células. Então se você beber água, o vírus não fica em cima da pele da célula, ele entra pra dentro da célula, é o RNA dele na verdade que faz uma mutação nos DNA’s das nossas células”, declara.

A infectologista também destacou: “Beber água sempre será importante, e quanto mais a pessoa beber mais saudável ela estará. Agora dizer que quem bebe não tem coronavírus não tem nenhuma fundamentação científica”, ressaltou.

Pensando no grande número de fake news que aparecem todos os dias relacionados ao coronavírus, o Ministério da Saúde está disponibilizando um canal para esclarecer as informações duvidosas por meio do número (0xx61) 99289-4640.