Pesquisa da Defensoria Pública do Rio de Janeiro sobre vacinação em Duque de Caxias é verdadeira?

A COAR recentemente recebeu uma mensagem que fala de uma pesquisa da Defensoria Pública do Rio de Janeiro, que é acompanhada por um documento — PDF — que diz respeito a uma pesquisa levantada pelo órgão para apurar irregularidades diante das aplicações da segunda dose da vacina contra o novo Coronavírus (Covid-19).

Foto: reprodução/WhatsApp

A COAR entrou em contato com a Defensoria Pública do Rio de Janeiro, que confirmou a autenticidade do documento. “Diante de inúmeras notícias de pessoas que não conseguiram receber a 2ª dose da vacina contra a COVID-19 no município de Duque de Caxias, a Defensoria Pública vem buscar informações mais concretas sobre essas pessoas, a fim de que medidas judiciais possam ser tomadas”, disse o órgão em resposta ao nosso e-mail.

No mais, até o fechamento desta checagem, a Defensoria não forneceu mais informações a respeito da pesquisa em si. Também não encontramos nada referente à mesma nos canais de comunicação — site e redes sociais — da Defensoria Pública e em outros veículos de notícias.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Kryssyno Oliveira

COAMOS: Governo federal divulgou nova lista com datas de vacinação contra a Covid-19?

Uma lista, supostamente divulgada pelo governo federal, com datas relacionadas à nova etapa de vacinação contra a Covid-19 circula nas redes sociais. Nossa reportagem recebeu a informação e checou a veracidade do conteúdo.

De acordo com o texto, a previsão de imunização para a população de 20 a 18 anos, por exemplo, é para o mês de agosto deste ano. O conteúdo continua sendo dissipado em grupos de WhatsApp.

Foto: reprodução/WhatsApp

Analisando a mensagem em termos gramaticais, é possível deduzir que se trata de mais uma chamada “fake news”. Quando o autor (desconhecido) se refere à doença causada pelo novo coronavírus, não há a separação do número “19” com o hífen.

A crase antes uma faixa etária e outra (problema detectado em boa parte do texto) também está aplicada de forma errada. Não se usa o acento indicativo de crase antes de palavras masculinas: no caso, “anos”.

Ademais, em outros pontos a crase é trocada pelo acento agudo.

Nossa reportagem também consultou a Fundação Municipal de Saúde de Teresina (FMS). Além de negar a veracidade da mensagem, a instituição divulgou uma tabela com as reais datas de imunização na capital.

Foto: divulgação/FMS

De acordo com o Ministério, “estados e municípios têm autonomia para montar seu próprio esquema de vacinação e dar vazão à fila de acordo com as características de sua população, demandas específicas de cada região e doses disponibilizadas”. Ou seja, o calendário de imunização não parte exclusivamente do governo federal, como deixa a entender a informação checada.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Wanderson Camêlo

Referências da COAR:

Agência Brasil