Papa Francisco cancela a Bíblia e propõe criar um novo livro?

O Papa Francisco constantemente tem seu nome utilizado por grupos políticos extremistas ou grupos religiosos que espalham boatos, medo, confusão, além de opiniões homofóbicas e antissemitas. Recentemente a COAR checou uma publicação polêmica de um usuário do Rio de Janeiro, que afirmava que o Papa Francisco fez recentemente declarações polêmicas, uma delas é: “A morte de Jesus na cruz foi o fracasso de Deus.” Um leitor da COAR enviou uma mensagem que vem sendo compartilhada em grupos de WhatsApp sobre o Pontífice. A COAR conseguiu identificar que o mesmo conteúdo é divulgado de diversas maneiras e em vários canais. Confira abaixo alguns que identificamos:

Leia mais: Papa Francisco: “A morte de Jesus na cruz foi o fracasso de Deus”? “Casais gays têm direito a união civil”? VERIFICAMOS postagem

pope-francis
Papa Francisco é constantemente alvo de fake news

O texto divulgado nas redes sociais é acompanhado de um link de um site espanhol chamado There is news. O site tem como slogan: “O site não é real, é apenas diversão” (Not real, but is so funny). O site é satírico e de humor cujo objetivo é o entretenimento. Ou seja, qualquer conteúdo nele não corresponde à realidade. A publicação da matéria sátira que tem o título: “Papa Francisco cancela a Bíblia e se propõe a criar um novo livro” não é verdadeira e não passa de publicação de conteúdo com humor ácido. E infelizmente, muitos usuários estão acreditando no conteúdo e compartilhando a mensagem sem verificar sua autencidade. A COAR ressalta: o Papa Francisco não cancelou a Bíblia e nem propôs a criação de um novo livro.

Uma página no Facebook intitulada “Antisistema” seguida por mais de 87 mil usuários e outra divulgada pelo mesmo usuário chamada Última Hora com mais de meio milhão de seguidores (também possui um canal no Youtube com o mesmo nome), divulgaram um vídeo, com matérias falsas e jornalísticas, mas com interpretações duvidosas. O usuário que aparece no vídeo declara: “Da mesma forma que João Batista preparou o terreno pro Mashiach (Jesus). O falso profeta está preparando o caminho para o anticristo. O Papa Francisco está unindo as religiões para o Anticristo… Nunca aconteceu na história da humanidade um padre ser jesuíta.”

Um dos conteúdos divulgados no vídeo informa que o Papa Francisco é jesuíta. A Companhia de Jesus, também conhecida como Ordem dos Jesuítas, foi fundada pelo basco Inácio de Loyola e aprovada oficialmente pelo Papa Paulo III, em 27 de setembro de 1540. Atualmente, cerca de 16 mil jesuítas atuam em torno de 100 países dos cinco continentes. Além disso, a Companhia tem um de seus representantes no comando da Igreja Católica, o papa Francisco.

No vídeo, uma das matérias citadas é da Isto É de 23 de março, que informa que o Papa Francisco, durante uma missa na Casa Santa Marta, no Vaticano, que é preciso quase “ameaçar” Deus durante as orações.   No entanto a declaração do Papa citada na matéria foi distorcida por grupos extremistas e religosos, porque o Pontífice reforçou o seguinte: “É preciso rezar com fé, perseverança e coragem, quase – não quero dizer uma heresia – ‘ameaçando’ o Senhor”, disse, pedindo que os fiéis não repitam as preces como “papagaios”. E ainda acrescentou: “Nestes dias, é necessário orar ainda mais”. A declaração do Papa é uma metáfora sobre perseverar em oração.

Reportagem da BBC Brasil de 26 de março de 2017 destaca que o papa Francisco cada vez mais vem sendo alvo de oposição, principalmente em três âmbitos: teológico, institucional e político. Desde quando eleito em março de 2013, após escândalos que abalaram a imagem do Vaticano, o papa vem se tornou alvo de grupos radicais, após declarações de impacto que polarizam opiniões dentro e fora do mundo católico. A mais recente foi quando o papa Francisco declarou que casais homoafetivos devem ser protegidos por leis de união civil.

Página de humor satírico publica notícia que repercutiu em redes sociais como verdadeira, mas não procede e foi totalmente inventada.

Além disso, outros sites de verificação já fizeram a verificação do conteúdo: Boatos, Lupa, E-Farsas, entre outros.

Caso você receba mensagens com informações duvidosas, questione e não compartilhe. Entre em contato conosco por meio do WhatsApp: (86) 99517-9773 ou pelo Instagram @coarnoticias.

Escrito por: Marta Alencar

Referências da COAR:

Isto É

BBC Brasil

Papa Francisco: “A morte de Jesus na cruz foi o fracasso de Deus”? “Casais gays têm direito a união civil”? VERIFICAMOS postagem

Um usuário no Facebook, residente no Rio de Janeiro, divulgou uma publicação polêmica em que afirma que o Papa Francisco fez recentemente declarações polêmicas, uma delas é: “A morte de Jesus na cruz foi o fracasso de Deus”. A publicação feita ontem (21) já conta com mais de 200 compartilhamentos. A COAR verificou a autencidade das declarações mencionadas.

No primeiro ponto da mensagem, o autor informa que o Papa Francisco declarou que o presidente norte-americano, Donald Trump, é anticristão. Na verdade, o Papa Francisco disse no dia 18 de fevereiro de 2016 (ano das eleições dos Estados Unidos), que o pré-candidato republicano à Casa Branca Donald Trump “não é cristão” por causa de sua opinião sobre imigração.

A mesma postagem do usuário foi compartilhada por outros na internet

Quanto à declaração citada na postagem do usuário, é verdade que o Papa Francisco disse que no texto da Homilia (é uma prelecção dada por um sacerdote no decorrer de uma missa após a leitura do Antigo Testamento e do Novo Testamento, e antes da recitação do Credo). A questão é que houve uma má interpretação do texto do Papa. O texto claramente se refere aos esforços das pessoas em atuarem pelo bem ao próximo e nos projetos de vida , mesmo quando houverem fracassos, pois adversidades e/ou fracassos fazem parte. Abaixo segue um dos trechos do texto do Papa:

Podemos ficar encastrados quando medimos o valor dos nossos esforços apostólicos pelo critério da eficiência, do funcionamento e do sucesso externo que governa o mundo dos negócios. Não digo que estas coisas não sejam importantes! Foi-nos confiada uma grande responsabilidade e o povo de Deus, justamente, espera resultados. Mas o verdadeiro valor do nosso apostolado é medido pelo valor que o mesmo tem aos olhos de Deus. Ver e avaliar as coisas a partir da perspectiva de Deus chama-nos para uma conversão constante ao primeiro tempo da nossa vocação e – nem é preciso dizê-lo – a uma grande humildade. A cruz mostra-nos uma maneira diferente de medir o sucesso: a nós cabe-nos semear, e Deus vê os frutos do nosso trabalho. E se, às vezes, os nossos esforços e o nosso trabalho parecem gorar-se e não dar fruto, estamos a trilhar a mesma via de Jesus Cristo; a sua vida, humanamente falando, acabou com um fracasso: o fracasso da cruz.

A COAR identificou uma declaração do Papa de 14 de setembro de 2018, que ele reforça a verdadeira mensagem da cruz: “A cruz é sinal de vitória e não de derrota para quem é cristão.” Em um dos trechos  do texto do Papa na Missa celebrada na Casa Santa Marta, no Vaticano, reforça isso:

A nossa vitória é a cruz de Jesus, vitória diante do nosso inimigo, a grande antiga serpente, o Grande Acusador”. Na cruz, “fomos salvos, naquele percurso que Jesus quis percorrer até o mais baixo, mas com a força da divindade… “Jesus elevado e satanás destruído. A cruz de Jesus deve ser para nós a atração: olhar para ela, porque é a força para continuar em frente… E a antiga serpente destruída ainda late, ainda ameaça, mas, como diziam os Padres da Igrejas, é um cão acorrentado: não se aproxime e não morderá você; mas se você for acariciá-lo porque o encanto o leva  até lá como se fosse um cachorrinho, prepare-se, ele destruirá você”.

Além disso, o usuário compara o  Pontífice a Satanás e declara que Papa Francisco quer implantar o Governo Único Mundial do AntiCristo. Tais afirmações são infundadas e não passam de boatos.

Gays têm direito a união civil?

Ontem (21), o lançamento do documentário “Francesco”, dirigido pelo americano Evgeny Afineevsky, revelou que o papa Francisco considera que casais homoafetivos devem ser protegidos por leis de união civil.

“Pessoas homossexuais têm o direito de estar em uma família. Elas são filhas de Deus e têm direito a uma família. Ninguém deveria ser descartado [dela] ou ser transformado em miserável por conta disso”, disse o papa no documentário “Francesco”.

Caso você receba mensagens com informações duvidosas, questione e não compartilhe. Entre em contato conosco por meio do WhatsApp: (86) 99517-9773 ou pelo Instagram @coarnoticias.

Escrito por: Marta Alencar

Referências da COAR:

ACI Digital 

G1

Folha