Globo tem queda no ranking das marcas mais valiosas. COAMOS conteúdo desinformativo

Vários sites nacionais publicaram recentemente que as Organizações Globo tiveram queda em um ranking de marcas mais valiosas do mundo. Mas será que o conteúdo é realmente autêntico? Ou os portais não verificaram corretamente os dados sobre o ranking oficial?

Conteúdo divulgado na internet

As páginas replicaram conteúdos citando supostamente dados do IBope kantar  consolidados em reportagem no site Meio e Mensagem. Tais conteúdos abordavam que o Grupo Globo havia caído no ranking das marcas mais valiosas do mundo, inclusive apontando a terceira queda consecutiva do faturamento da organização;

Diante de tais informações, entramos em contato com a Kantar Ibope Media (integra a Kantar, líder global em dados, insights e consultoria) que informou que o ranking “BrandZ Top 50 Marcas Latino Americanas Mais Valiosas 2020” citam apenas países da América Latina, porém a avaliação é realizada por meio de algumas regras. Dentre elas, a empresa precisa ter capital aberto, ser exclusivamente brasileira ou com operação predominantemente no país em estudo.  Assim, a publicação (citada acima) apresenta dados imprecisos sobre o ranking do Kantar Ibope Media.

Entre as 60 marcas mais valiosas do Brasil citadas no ranking, as Organizações Globo ocupavam o 5º Lugar em 2019. Em 2020, as Organizações Globo caíram uma posição.

Ranking do Kantar Ibope Media (2019)

Neste ano, a Rede Globo ocupa a 6º posição (Tabela abaixo), registrando uma queda de 9% em relação ao seu valor de mercado obtido no ano passado. Além disso, a COAR ressalta que não é verdade que o ranking apresentado no título da postagem seja internacional. Dentro do ranking da América Latina, cita apenas as 60 marcas mais valiosas de cada país. Assim, os sites que replicaram o conteúdo, não explicaram corretamente os dados divulgados pelos Kantar no site Meio e Mensagem.

Ranking do Kantar Ibope Media (2020)

No site da Forbes, há a lista das 100 marcas mais valiosas do mundo, porém apenas dois canais de televisão aparecem ocupando a categoria de meios de comunicação, que são a FOX e ESPN.

Além disso, a COAR elenca os portais que citaram informações imprecisas sobre o assunto: 

  • Studiovideomax
  • Tribuna de ituvereva
  • Pleno News 
  • Terra Brasil Notícias 
  • Portal tucuma 

Escrito por: Danilo Kelvin 

Edição: Marta Alencar

Referências da COAR:

Meio e Mensagem

Forbes 

Dados obtidos pelo Ibope Kantar

É FALSO que repórter ataca filha de Bolsonaro e presidente reage. Dezenas de sites replicaram o conteúdo sem verificação

Vários sites, canais no Youtube e perfis no Facebook de extrema direta divulgaram a seguinte matéria: “Repórter ataca filha de Bolsonaro e presidente reage: “vontade de encher sua boca de porrada”. Diante da repercussão dos conteúdos em grupos, a COAR elencou dezenas de páginas que replicaram o conteúdo sem qualquer verificação dos fatos. Pois, o conteúdo é falso.

Foto: Marcos Corrêa/PR

Algumas páginas que replicaram o conteúdo: Site Terra Brasil Notícias; Blog Rota2014; Canal no Youtube Joaquim Gomes Direto de Brasília e Blog Atualize Notícias.

A verdade é que no domingo (23) ao se dirigir para a Catedral de Brasília, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) rodeado de manifestantes e repórteres foi questionado por um jornalista do “O Globo” sobre cheques no valor total de R$ 89 mil que teriam sido depositados entre 2011 e 2016 pelo ex-assessor Fabrício Queiroz e pela esposa dele, Márcia Aguiar, na conta da primeira-dama, Michelle Bolsonaro.

Diante do questionamento, Bolsonaro declarou que tinha vontade de agredir o jornalista. Ou seja, o repórter não questionou em nenhum momento sobre a filha do presidente.

A COAR alerta que, geralmente, textos maliciosos utilizam informações verdadeiras, mas fora de contexto no início (primeiros parágrafos) e em seguida distorce os dados e acrescenta informações falsas e sem fundamentação no restante do texto.

Escrito por: Marta Alencar

Referências da COAR:

Uol

Poder360

IMPRECISA: Alguns portais publicaram confirmação de morte de mulher depois de enxurrada na zona Leste de Teresina

Na ânsia pelo furo jornalístico, alguns portais piauienses acabaram noticiando que uma pessoa havia morrido dentro de um carro, na tarde desta terça-feira (21), depois de uma enxurrada causada pela chuva na zona Leste de Teresina. Diante do ocorrido, a COAR apurou a informação.

Links de matérias dando a fatalidade como comprovada foram compartilhados em vários grupos de WhatsApp, inclusive policiais. Mas logo apareceu a real versão sobre o ocorrido. Uma das manchetes sobre o acidente dizia: “Mulher morre afogada dentro de carro na zona Leste de Teresina”.

Vídeo do momento da chuva na zona Leste da cidade

O veículo, de fato, foi levado pela correnteza (nas proximidades da Avenida Jóquei Clube), no entanto, de acordo com informação do Corpo de Bombeiros em Teresina –veiculada logo depois do incidente, “O veículo realmente foi levado pela enxurrada, mas não foi encontrado no momento nenhuma vítima”, informou o Corpo de Bombeiros. A informação foi compartilhada em um grupo da corporação por um sargento de nome Pimentel.

Além da retificação, no mesmo grupo, o sargento publicou vídeo com o depoimento da pessoa proprietária do veículo de passeio levado pela água da chuva. Trata-se, na verdade, de um homem, que não teve o nome revelado.

“O veículo não tinha ninguém, estava estacionado no Colégio Objetivo e foi levado pela enchente e caiu no ‘valão’, graças a Deus”, disse o dono do carro, na gravação.

COAR é uma iniciativa, genuinamente piauiense, apartidária, que preza pela transparência das fontes, do financiamento e da organização, com uma política de correções aberta e honesta. Até o momento, decidimos não receber nenhum tipo de financiamento. A própria equipe financia o projeto, porque acredita na relevância do mesmo para o Piauí.

Escrito por: Wanderson Camêlo

Vírus está sendo utilizado em testes rápidos da Covid-19?

Por: Wanderson Camêlo

É possível usar vírus em testes rápidos para coronavírus, fazendo assim com que os conteúdos sejam contaminados? Isso é falso, ao contrário do que diz um print que circula nas redes sociais. A COAR entrevistou o doutorando em Biologia Parasitária, Raimundo Leoberto, para esclarecer o boato.

Perfil frequentemente compartilha desinformações

O conteúdo compartilhado pelo perfil do especialista em investimentos, Leandro Ruschel, no Twitter (mais de 375,5k seguidores), dizia: “Teste chinês que não funciona é coisa do passado. Agora ele está vindo com vírus, para dar uma forcinha na epidemia”. Na publicação, o perfil menciona a manchete de um portal Evening Standard do Reino Unido. O título da notícia, traduzida para o português, diz: “Kits de teste de coronavírus que estão indo para o Reino Unido estão contaminados com a Covid-19”.

Segundo Leoberto, essa possibilidade de contaminação dos testes não existe. “Teste rápido ineficiente: verdadeiro. Vírus usado no teste: falso. Pode ser que um ou outro possa ter vindo contaminado, mas usar vírus em teste rápido não confere”, assegurou ele.

Esta imagem possuí um atributo alt vazio; O nome do arquivo é img-20200403-wa0194.jpg
Doutorando em Biologia Parasitária, Raimundo Leoberto.

“O que acontece é que alguns testes rápidos da China estavam vindo com uma eficiência muito reduzida (algo entre 30 e 40%) e o ideal é ter uma eficiência de no mínimo 80%. Então, não é que ele não funcione, é só que o resultado dele não é de confiança, pelo menos pra esse primeiro lote comprado. Agora isso do teste vir com o vírus, não tem nem cabimento… Os testes rápidos funcionam como se fosse um teste de gravidez. Só que, ao invés de detectar o hormônio beta-HCG, ele detecta o anticorpo do corona. Então não tem nada a ver ter o vírus no teste”, acrescentou o biólogo.

A COAR não encontrou nenhum site brasileiro de notícias que tenha repercutido a desinformação sobre a contaminação de vacinas em testes da Covid-19.

Deputada federal posta falsa informação no Twitter e apaga em seguida

Por: Wanderson Camêlo

A deputada federal Bia Kicis, do PSL, acabou tendo de apagar uma postagem, feita via Twitter, que versava sobre a notícia-crime apresentada por parlamentares da oposição na Câmara Federal contra o presidente Jair Bolsonaro. A informação não passava de uma fake news.

Publicação falsa compartilhada no Twitter

Na publicação, veiculada na terça-feira (31), Kicis afirma que o procurador-geral da República (PGR), Augusto Aras, arquivou o processo – apresentado pelo deputado Reginaldo Lopes (PT-MG), contra o presidente da República. Mas o próprio responsável pela apresentação da notícia-crime também negou a veracidade da informação compartilhada pela deputada como checada pela COAR.

Postagem do deputado Reginaldo Lopes

No Twitter, Reginaldo Lopes escreveu: “A deputada Bia Kicis publicou uma notícia falsa sobre a notícia-crime que protocolei contra Jair Bolsonaro. Ela não foi arquivada”. Abaixo da postagem o petista ainda escreveu a hashtag #1deabril, fazendo referência ao Dia da Mentira.

O deputado Reginaldo Lopes protocolou ainda na quarta-feira (25), no Supremo Tribunal Federal, a notícia-crime contra Jair Bolsonaro pelo. A alegação foi que o presidente ignorou a gravidade da pandemia do coronavírus ao participar, por exemplo, de ato em favor de seu governo e contra o Congresso e o Supremo no dia 15 de março deste ano – logo após ter contato com infectados pela Covid-19.
A peça destaca ainda 20 episódios em que Jair Bolsonaro tratou a pandemia como “gripezinha”, “fantasia” e “histeria”.

A petição – enviada à PGR ainda ontem pelo ministro Marco Aurélio, imputa a Bolsonaro a infração de medida sanitária preventiva, com pena de detenção prevista de um mês a um ano, além do pagamento de multa.

Informação falsa circula sobre demora em testes de Covid-19 no Piauí

Por: Marta Alencar

Recebemos, no último final de semana, a seguinte mensagem:

Mensagem compartilhada por usuários

A COAR entrou em contato com a coordenadora de patologia do Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) do Piauí, Joana Carolina Viana Lima, que declarou que a informação é totalmente FALSA. Segundo a coordenadora, os resultados estão saindo em até 24h no Estado. “Tem alguns que demoram mais por causa da demanda. Mas estamos divulgando os diagnósticos em até três dias”.

A COAR acrescenta que é verdade que o governo de São Paulo anunciou nos últimos dias, a criação de uma estrutura de saúde com capacidade para realizar 2 mil exames diários da Covid-19. Resultados inclusive estão sendo fornecidos por lá em um período de 10 a 30 minutos. Embora em São Paulo, alguns testes podem demorar até sete horas para serem realizados.

Falsa informação sobre arrastão em supermercado de Teresina

Por: Marta Alencar e Wanderson Camêlo

A COAR recebeu na manhã deste sábado (28), um conteúdo que vem circulando há alguns dias sobre um suposto arrastão em um supermercado, localizado na Av. Homero Castelo Branco, na capital piauiense.

Conteúdo compartilhado por grupos de WhatsApp em Teresina

A informação checada pela equipe COAR conta com vários equívocos. O primeiro deles é com relação a um suposto arrastão em supermercado na Avenida Homero Castelo Branco e de assaltos a entregadores naquela região. Conforme apuramos juntamente com o delegado Ademar Canabrava, responsável pelo 12° Distrito Policial de Teresina, a informação é totalmente FALSA.

“Não existe isso, faz é dias que isso circula. É uma fake news. Não passa de molecagem. Os arrombamentos de lojas no Centro que tiveram foram moradores de rua [e não presidiários que foram soltos em indulto recentemente. Na rua não vem tendo nada, não tem gente. Então não tem como ter arrastão. Faz dias que o pessoal espalha fake sobre arrastão na cidade”, informou o delegado.

A respeito da soltura de presos recentemente na Penitenciária Major César, a assessoria da Secretaria de Estado da Justiça (Sejus) confirmou a informação de que houve a soltura SIM de 512 presos do regime semiaberto para prisão domiciliar conforme decisão do Juiz da Vara de Execuções penais de Teresina, Vidal de Freitas Filho, desde o dia 20 de março.

Com base na PORTARIA N° 4/2020, o juiz declara que diante dos casos da Covid 19 registrados no Piauí, decidiu seguir a recomendação do Conselho Nacional de Justiça, que editou a Recomendação nº 62, de 17.03.2020, a qual, em seu art. 5º, III, para que os juízes concedessem prisão domiciliar a todos as pessoas presas em cumprimento de pena em regime aberto e semiaberto, mediante condições, sob monitoramento eletrônico, até o dia 31 de maio, a todos os apenados com processo de execução penal que se encontram atualmente cumprindo pena em regime semiaberto na Colônia Agrícola Major Cesar Oliveira, Penitenciária Feminina de Teresina, Unidade de Apoio ao Semiaberto, Penitenciária José Ribamar Leite, Penitenciária Irmão Guido e Unidade de Apoio Prisional.

Confira a Portaria na íntegra:

Apesar da soltura de presos do regime semiaberto, o delegado Ademar Canabrava, responsável pelo 12° Distrito Policial de Teresina, confirmou que não há registros de que essas pessoas tenham praticado qualquer crime na região, conforme citado no conteúdo que a COAR apurou. A assessoria da Secretaria de Segurança Segurança Pública do Piauí confirmou um aumento de assaltos e crimes durante a quarentena no Estado, mas que não estão relacionados diretamente ao boato que circulou acima.

Golpe no WhatsApp: Enganosa mensagem que alerta para versão Gold do aplicativo

Por: Marta Alencar

A popularidade das redes sociais, em especial do aplicativo de mensagens, WhatsApp, tem sido há tempos aproveitada para aplicação de golpes. Circula entre grupos do aplicativo, um conteúdo que alerta aos usuários para instalação sobre uma espécie de versão Premium do aplicativo, WhatsApp Gold. Inclusive esta mensagem circula desde o ano passado, mas voltou a propagar novamente esta semana.

Hoje a Globo estava falando sobre o Whatsapp Gold e é verdade. Existe um vídeo que será lançado amanhã no WhatsApp e se chama Gambarelli. Não abra!! O vírus vai para o seu telefone, sua conta bancaria será zerada e seu telefone bloqueado para sempre! Avisem os seus contatos, amigos e colegas!! Se você receber uma mensagem para atualizar o Whatsapp Gold, não abra! Eles acabaram de anunciar que o vírus é sério. Envie para todos.

Desde 2016 existem boatos sobre a aquisição do WhatsApp Gold ou de estratégias para evitar no golpe, ou seja, até em uma eventual solução reside o problema. Mensagens que servem de alerta as vezes vem acompanhadas de links maliciosos que redirecionam a páginas de malwares. A verdade é que não existe uma versão do WhatsApp Gold e todas as medidas de segurança são adotas pelo Facebook, detentor da ferramenta.

A COAR entrou em contato com a empresa WhatsApp, que declarou que a informação é totalmente falsa, inclusive deu algumas dicas para os usuários aprenderem a detectar fake news e boatos:

1 – Questione informações que causem estranhamento ou desconforto.

2 – Sempre verifique informações que pareçam pouco prováveis ou inusitadas.

3 – Repare se as mensagens contêm erros de ortografia.

4 – Verifique cuidadosamente toda foto, mídia e link contidos na mensagem.

5 – Pesquise e verifique a informação usando outras fontes.

O doutorando, com MBA em ciência da informação com ênfase em Big Data, Pedro Alexandre Cabral alerta para os cuidados com o uso do WhatsApp e outras ferramentas digitais.

“Em tempos de crises surgem muitos oportunistas em relação a criação de aplicativos. Na verdade são aplicativos criados por crackers (pessoas que utilizam seu grande conhecimento na área para quebrar códigos de segurança) pra pegar informações e coletar dados pessoais para usar em benefício próprio. A dica que a gente pode oferecer é que as pessoas tenham cuidado, não clicar em links desconhecidos, não informar dados bancários, ou seja, não nutrir essas plataformas com dados pessoas e evitar clicar em links de empresas que este usuário não teve contato”, explica Pedro.

Pesquisa do Panorama Mobile Time/Opinion Box, realizada em fevereiro deste ano aponta que o aplicativo está instalado em 99% dos dispositivos brasileiros. Para se ter uma ideia, trata-se do maior percentual já registrado pelo aplicativo em cinco anos que a pesquisa é realizada sobre o mensageiro móvel no Brasil anos dessa pesquisa. Em tempos que o confinamento aumentou em decorrência do coronavírus, o Facebook destaca que “durante essa emergência, estamos fazendo todo o possível para manter nossos aplicativos rápidos, estáveis e confiáveis”, assinala a companhia.

A COAR verificou a informação e a classifica como ENGANOSA, diante da investigação que foi feita.

Jogador do Flamengo não doou R$1 milhão para Hospital em Picos

Atualizada às 18h

Com ampla repercussão do trabalho de reportagem da COAR à respeito do valor doado pelo jogador Rêne Rodrigues do Flamengo, a organização da vaquinha prestou esclarecimentos através de nota:

Esta imagem possuí um atributo alt vazio; O nome do arquivo é nota-1-1.jpg
Nota na íntegra
Esta imagem possuí um atributo alt vazio; O nome do arquivo é nota-2.jpg
Nota na íntegra

Entenda o caso

Um página relacionada à torcedores do Flamengo divulgou em seu perfil no Twitter, na tarde de quinta-feira (26), que o lateral direito do time carioca, Renê Rodrigues, teria feito uma doação de R$ 1 milhão, para uma campanha virtual de arrecadação de recursos para o Hospital Regional Justino Luz (HRJL), na cidade de Picos, terra natal do jogador. A informação, no entanto, é FALSA.

Página relacionada ao Flamengo que divulgou a doação do jogador Renê

A COAR apurou a vaquinha virtual, mobilizada pela Loja Maçônica da cidade para a aquisição de equipamentos de proteção individual, necessários à prevenção e cuidados com a proliferação do novo coronavírus (Covid-19). No total, a inciativa pretende arrecadar R$ 100 mil, ou seja, muito menos que a quantia da doação divulgada pela postagem.

Um dos organizadores da iniciativa, o maçom Ítalo Batista confirma que Renê, assim como Rômulo Borges, outro atleta piauiense que atua no Grêmio, colaborou com a ação, mas não com o valor compartilhado por mais de 900 usuários no Twitter. Ele conta que, por conta do boato, muitas pessoas deixaram de contribuir com a campanha, e reforça o pedido de solidariedade.

Até esta sexta-feira (27), a vaquinha virtual já havia arrecadado cerca de R$ 40 mil reais, com a colaboração de 156 apoiadores.

De acordo com os últimos dados divulgados pelo Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde do Piauí (CIEVS-PI), o município de Picos não havia registrado nenhuma notificação de contaminação de Covid-19, mas possuía casos suspeitos sendo monitorados.