WhatsApp: Como torná-lo seguro contra fraudes e golpes? COAR traz dicas conforme solicitação de leitores

Frequentemente leitores da COAR relatam que acessaram conteúdos falsos, como cadastros e links enganosos. Diante disso, a maioria deles solicita dicas e recomendações para prevenir golpes e roubos de conta. O primeiro passo para garantir segurança ao seu WhatsApp é ativar o recurso de confirmação em duas etapas, um código de seis dígitos que você mesmo escolhe.

Em smartphones com o sistema operacional Android, basta abrir o WhatsApp, clicar no símbolo dos três pontinhos, no canto superior direito da tela, ir para Configurações, tocar em Conta, Verificação em Duas Etapas e Ativar. Depois de definir o código de 6 números, basta informar o e-mail e pronto.

Conteúdo publicado no site Folha de São Paulo

Como não cair em golpes?

Entre as recomendações contra golpes estão nunca compartilhar com terceiros o código de ativação do WhatsApp, aquele que chega por SMS, ativar a confirmação em duas etapas e não informar os seis números para ninguém, não instalar apps de terceiros ou compartilhar dados a pedido de outras pessoas pelo WhatsApp e ainda desconfiar de ligações de empresas que usam uma linguagem muito informal.

Conteúdo publicado no site Folha de São Paulo

Conta roubada

A primeira coisa a fazer é tentar recuperar a conta por meio do seu próprio celular. Para isso, reinstale o WhatsApp, insira o número do seu celular e siga os passos na tela. Assim que você se conectar ao app em seu aparelho, quem estiver logado com seu número será desconectado imediatamente.

COAR alerta para que nenhum leitor preencha seus dados em qualquer tipo de mensagem por aplicativo sem antes consultar a veracidade do mesmo. Caso tenha preenchido o cadastro e se sinta lesado deve procurar a Delegacia de Polícia para registro de queixa e formalização de Boletim de Ocorrência.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Referências da COAR:

Estúdio Folha

Áudio anunciando determinação judicial de bloqueio de WhatsApp por 48h

Áudio de um homem – não identificado – está circulando nos grupos de WhatsApp do Piauí informando que foi anunciada uma ordem judicial que determina o bloqueio do WhatsApp em todo o Brasil dentro de 48 horas. Segundo o mesmo, uma atualização do WhatsApp (caso fosse instalada) bloquearia o aplicativo no celular. Para embasar seu ponto, o autor do áudio ainda fala que basta pesquisar por: “Justiça brasileira determina bloqueio do WhatsApp” no site da Folha (versão digital da Folha de São Paulo) para encontrar informações detalhadas sobre o caso. A COAR checou as informações e esclarece alguns pontos.

O referido aplicativo já foi bloqueado no Brasil em três oportunidades. Primeiro ponto, a Folha de São Paulo realmente fez matérias cobrindo os casos, porém todas as matérias são de 2015 e 2016, época em que aconteceram os bloqueios do aplicativo por decisões judiciais. Inclusive em 2015, a determinação partiu de um juiz do Piauí, Luis Moura Correia (atualmente exerce o cargo de juiz auxiliar da Corregedoria), que determinou que empresas de telefonia suspendessem temporariamente o acesso ao aplicativo em todo o país.

No entanto, a COAR constatou por análise que o áudio está se referindo a última discussão no Supremo Tribunal Federal (STF) promovida na semana passada, de que se o WhatsApp poderia ou não ser bloqueado por decisões judiciais. O julgamento da causa possuía dois votos favoráveis ao não bloqueio antes de ter sido suspenso pelo pedido de visto do ministro Alexandre de Moraes. Assim sendo não há data prevista para a retomada do mesmo.

Segundo, este áudio não é a primeira fonte de desinformação circulando nas redes sociais relacionada ao assunto. Desde janeiro, várias desinformações sobre bloqueio de WhatsApp já circulam na internet. Uma delas é sobre um vídeo de uma reportagem da GloboNews, que foi retirado do contexto original. Na verdade, o vídeo fala sobre o bloqueio do aplicativo no país que ocorreu em dezembro de 2015. Mas foi tirado de contexto temporal para informar erroneamente por pessoas maliciosas de que o bloqueio ocorreria em abril deste ano. Muitas pessoas, inclusive, ficaram com medo de um novo bloqueio. Nesta situação, houve um anacronismo, algo que também pode ter acontecido com o referido áudio.

Por: Guilherme Cronemberger

Edição: Marta Alencar

Referências da Coar:

  1. Site Folha de S. Paulo
  2. Vídeo GloboNews