COAMOS: Imagem com lista de medicamentos contra Covid-19 é falsa

Mais uma vez voltamos a falar de um tema bastante discutido aqui na COAR, a eficácia dos medicamentos Ivermectina, Azitromicina, Hidroxicloroquina e Zinco. Como já foi destacado, os mesmos não possuem comprovação científica contra o novo Coronavírus (Covid-19), no entanto, ainda circulam diversas informações que apontam o contrário do que a ciência divulga. 

Dessa vez, recebemos uma imagem que diz que os remédios citados acima são eficazes no tratamento contra a Covid-19 (veja a imagem abaixo). O conteúdo foi compartilhado no WhatsApp e é falso, pois não há eficácia contra a doença. 

Informação falsa. Foto: reprodução/WhatsApp

Em nota, a Associação Médica Brasileira (AMB), afirma que o uso de medicamentos como hidroxicloroquina/cloroquina, ivermectina, nitazoxanida, azitromicina e colchicina, entre outras drogas, não possuem eficácia científica no tratamento – tratamento precoce – ou prevenção da Covid-19, seja na fase inicial ou avançada. 

Confira algumas checagens da COAR sobre os medicamentos:

COAMOS: Ivermectina não é 90% eficaz na prevenção à covid-19
Ivermectina supera vacinas ao ter 83% de eficácia contra Covid-19?

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Escrito por: Kryssyno Oliveira

Referências da COAR

Associação Médica Brasileira (AMB)

Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI)

VERIFICAMOS: Eficácia de Hidroxicloroquina, zinco e azitromicina para curar Covid-19

Um vídeo da declaração da médica africana, Stella Immanuel, tem gerado controvérsias e discussões na internet. A médica garante que 350 pacientes foram curados por meio da combinação dos fármacos: hidroxicloroquina, zinco e azitromicina. Stella tem formação pela Universidade de Calabar, na Nigéria, e dirige uma clínica em Houston, nos Estados Unidos.

Embora a declaração seja de uma médica, a informação é considerada falsa. Existem vários estudos sobre o assunto, inclusive um desenvolvido pelo projeto Recovery, ensaio clínico do Reino Unido, que testou a hidroxicloroquina em 1.542 pacientes com Covid-19, escolhidos aleatoriamente. Entretanto, o medicamento não colaborou para a recuperação dos participantes. Já a Organização Mundial da Saúde (OMS) declara que não há medicamento ou vacina capaz de curar a doença ainda.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump (Partido Republicano), chegou a divulgar a declaração da médica em seu Twitter com 84 milhões de seguidores, na segunda-feira (27). Entretanto, a publicação foi excluída por possuir “informações falsas de tratamento ou cura para a Covid-19”.

A divulgação na rede social foi removida

Outras publicações também estão sendo excluídas no YouTube, Facebook e Instagram — como ocorreu no Instagram da cantora Madonna, que acabou deletando a postagem.

No Brasil, o conteúdo foi disseminado por vários apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que acreditam na eficácia desses medicamentos e defendem o uso dos mesmos.

Caso você receba mensagens com informações duvidosas, questione e não compartilhe. Entre em contato conosco através do WhatsApp: (86) 99517-9773 ou pelo Instagram @coarnoticias.

Publicado por: Maria Luísa Araújo

Edição: Marta Alencar

Referências:

Compartilhamentos do vídeo no Twitter ( 1 e 2)

Compartilhamentos do vídeo no Instagram (1, 2 e 3)

Conselho Médico do Texas

Site da OMS

Pesquisa Francesa sobre as consequências da hidroxicloroquina junto à azitromicina, como tratamento antiviral para COVID-19 em humanos

https://www.recoverytrial.net/news/statement-from-the-chief-investigators-of-the-randomised-evaluation-of-covid-19-therapy-recovery-trial-on-hydroxychloroquine-5-june-2020-no-clinical-benefit-from-use-of-hydroxychloroquine-in-hospitalised-patients-with-covid-19